31/01/17

F.C. do Porto Efemérides - Foi em dezembro de 1976 que João Pinto, ainda Sub-15, fez o primeiro jogo pelo FC Porto, iniciando aí um longo percurso que lhe valeu logo um título nacional na época de estreia no clube.



«A FARTURA DOS 40

A ligação de João Pinto ao FC Porto tem 40 anos e um sem-número de momentos inesquecíveis. Escolhemos 40

Por Fernando Rola/Museu FC Porto

Foi em dezembro de 1976 que João Pinto, ainda Sub-15, fez o primeiro jogo pelo FC Porto, iniciando aí um longo percurso que lhe valeu logo um título nacional na época de estreia no clube. Pela equipa principal, jogou entre 1981 e 1997. Foram 16 anos em que ganhou quase tudo com a camisola dos Dragões. O capitão portista, que dançou a mais bela valsa de sempre em Viena, continua a transportar e a partilhar a mística azul e branca. E 40 anos depois da chegada ao clube, eis 40 momentos que o eternizam na história portista e não só.

1
5 DE DEZEMBRO DE 1976
A primeira vez
João Pinto estreia-se em competições oficiais com a camisola do FC Porto. Foi frente ao Sporting da Cruz, no Campeonato Distrital de Iniciados (Sub-15), fazendo um dos golos na vitória por 4-0.

2
7 DE FEVEREIRO DE 1978
Por Portugal
João Pinto estreia-se na seleção portuguesa de juvenis (Sub-17), contribuindo para a vitória (1-0) sobre Israel, no Torneio Internacional do Algarve. Nesta altura, era futebolisticamente conhecido por Silva Pinto.

3
13 DE NOVEMBRO DE 1978
Internacional júnior
Primeiro jogo pela seleção nacional de juniores (Sub-19). Estreia complicada no Torneio Internacional do Mónaco, num jogo que Portugal perdeu (2-0). Foi suplente utilizado.

4
1 DE DEZEMBRO DE 1981
O primeiro jogo nos seniores
Supertaça, 1.ª mão, Estádio da Luz
Benfica-FC Porto (2-0) – entrou aos 70 minutos.

5
6 DE DEZEMBRO DE 1981
No onze
Campeonato Nacional
FC Porto-Estoril (1-0, Jacques)

6
8 DE FEVEREIRO DE 1982
O primeiro título como sénior
Supertaça, 2.ª mão, Estádio das Antas
FC Porto-Benfica (4-0) – entrou aos 45 minutos

7
15 DE SETEMBRO DE 1982
Primeiro jogo na UEFA
Taça UEFA, Utrecht-FC Porto, em Groningen (0-1).

8
16 DE FEVEREIRO DE 1983
Estreia na seleção A
Jogo particular em Guimarães, frente à França, que a equipa das quinas perdeu (3-0). Foi suplente utilizado.

9
8 DE MAIO DE 1983
Primeiro golo nos seniores
Taça de Portugal, FC Porto-Académica (9-1, marcou o 9.º golo)

10
1 DE MAIO DE 1984
A primeira Taça de Portugal
Na primeira presença numa final no Jamor, João Pinto defronta o Rio Ave (4-1) e conquista a Taça.

11 
16 DE MAIO DE 1984
Primeira final europeia
Taça das Taças, jogo com a Juventus, em Basileia. Os italianos ganham (2-1), mas João Pinto e companheiros marcam posição na Europa do futebol, que, não demoraria muito tempo, haveria de os aclamar.

12 
12 DE MAIO DE 1985
Primeiro título de campeão
Estádio das Antas, jogo com o Belenenses (5-1).

13 
7 DE SETEMBRO DE 1985
Primeiro golo no Campeonato
FC Porto-Penafiel (3-1, marcou o 3.º golo)

14
13 DE ABRIL DE 1986
Segundo título de campeão
João Pinto, que foi suplente em Setúbal (1-0 para o FC Porto), festeja a conquista do bicampeonato.

15
27 DE MAIO DE 1987
Capitão campeão europeu
Taça dos Clubes Campões Europeus. No Estádio do Prater, em Viena, frente ao Bayern Munique, o FC Porto sagra-se campeão europeu e é João Pinto quem recebe o troféu, na qualidade de capitão da equipa (Gomes e Lima Pereira, os outros capitães, estiveram ausentes).

16
13 DE DEZEMBRO DE 1987
Campeão do Mundo
Taça Intercontinental. Em Tóquio, frente ao Peñarol, João Pinto é um dos heróis da neve na vitória sobre os uruguaios, por 2-1. As condições atmosféricas puseram à prova o limite das capacidades físicas dos jogadores.

17
13 DE JANEIRO DE 1988
Confirmação europeia
O Ajax perde nas Antas, como perdera em Amesterdão, o jogo da segunda mão da Supertaça Europeia. Repete-se o 1-0 e João Pinto é um dos protagonistas.

18
15 DE MAIO DE 1988
Mais um campeonato
No Estádio das Antas, depois da vitória frente ao Rio Ave (5-0), João Pinto soma o terceiro título nacional da sua carreira.

19
16 DE JUNHO DE 1988
A Taça, outra vez
João Pinto festeja no Jamor a conquista da sua segunda Taça de Portugal. A vitória frente ao Guimarães (1-0) inicia a festa que se prolongaria nas ruas do Porto.

20
27 DE MARÇO DE 1989
Capitão do Resto do Mundo
A importância de João Pinto no FC Porto teve reconhecimento mundial, bem expresso neste dia em que, pela primeira vez, um português capitaneou a chamada equipa do Resto do Mundo. Foi na festa de despedida de Zico, no jogo Brasil-Resto do Mundo, e João Pinto foi líder entre os melhores dos melhores.

21
19 DE AGOSTO DE 1989
Primeiro capitão
João Pinto já antes fora capitão em muitos jogos, incluindo a grande final de Viena, mas sempre como sub-capitão do plantel. Mas na época de 1989/1990, João Pinto assume o cargo de capitão do plantel, e o jogo com o Nacional, nas Antas, foi o primeiro que disputou com esse estatuto, "estreando-se" com uma vitória (2-0).

22
6 DE MAIO DE 1990
A saga continua
No Estádio das Antas, João Pinto está no onze que vence o Vitória de Setúbal (1-0) e faz a festa de mais um título nacional.

23
2 DE JUNHO DE 1991
Nova Taça após prolongamento
Mais uma Taça de Portugal enriquece o palmarés de João Pinto. De novo no Jamor, desta vez frente ao Beira-Mar, que só quebrou no prolongamento, perdendo por 3-1.

24
25 DE ABRIL DE 1992 
O título no Bessa
É no Estádio do Bessa, mas frente ao Salgueiros, que João Pinto inicia os festejos do seu quinto título nacional após a vitória por 1-0.

25
30 DE MAIO DE 1993 
Vencer na bancada
Em Aveiro, frente ao Beira-Mar, o FC Porto festeja o título na penúltima jornada de 1992/93. Pela segunda vez, João Pinto não está em campo no jogo do título. Festeja como se estivesse. Já vai na sexta conquista do campeonato.

26
5 DE JANEIRO DE 94 
O último golo
Campeonato Nacional, FC Porto-União da Madeira, 4-1 (marcou o 3.º golo)

27
10 DE OUTUBRO DE 1994 
A finalíssima
O Dia de Portugal foi também o da quarta Taça de Portugal para João Pinto. Foi à segunda, no Jamor (o primeiro jogo terminou empatado, obrigando à finalíssima), que o Sporting caiu (2-1) aos pés de um FC Porto sempre sedento de vitórias, à semelhança do capitão.

28
20 DE DEZEMBRO DE 1994 
Medalha de ouro
A Câmara Municipal do Porto atribui a João Pinto a medalha de ouro de Valor Desportivo por ser, à altura, o atleta com maior número de internacionalizações A.

29
7 DE MAIO DE 1995 
O princípio do Penta
Começa a saga do pentacampeonato com João Pinto a capitanear. Em Alvalade, o FC Porto vence (1-0) e inicia os festejos da conquista de mais um campeonato. A conta do capitão vai em sete.

30
9 DE JUNHO DE 1995 
Comendador
João Pinto é agraciado com a Comenda da Ordem de Mérito pelo Presidente da República, Mário Soares.

31
14 DE ABRIL DE 1996 
Mais um campeonato
A oitava conquista do Campeonato Nacional é festejada por João Pinto na bancada do Estádio das Antas, depois de os companheiros vencerem o Salgueiros (2-0).

32
9 DE NOVEMBRO DE 1996 
Adeus à seleção
É com uma vitória que João Pinto se despede da seleção de Portugal e logo no Estádio das Antas. Saiu com o triunfo sobre a Ucrânia (1-0), jogando os 90 minutos do jogo de qualificação para o Mundial de França'98. Fixou em 70 o número de internacionalizações na equipa principal. No total, incluindo escalões jovens, disputou 104 jogos por Portugal.

33
17 DE MAIO DE 1997 
Um pezinho no tri
A conquista do nono campeonato pessoal de João Pinto coincide com o primeiro tricampeonato conseguido pelo FC Porto. Fica no palmarés do capitão como o último de uma carreira com quase todos os títulos.

34
15 DE JUNHO DE 1997 
A última vez
Disputa o último jogo oficial pelo FC Porto, precisamente no Estádio das Antas. Foi na última jornada do Campeonato Nacional, quando o FC Porto já era campeão, e acabou com triunfo portista (3-0) sobre o Gil Vicente. O capitão João Pinto terminava como começou, a vencer.

35
30 DE JULHO DE 1997
Passagem de testemunho
Na apresentação do plantel aos sócios para a temporada 1997/98, João Pinto despede-se dos adeptos no Estádio das Antas. Numa cerimónia emotiva, entrega a braçadeira e a camisola n.º 2 a Jorge Costa, o seu sucessor na liderança do plantel.

36
1 DE AGOSTO DE 1997
Olá, Mister!
Inicia a carreira de treinador, assumindo o comando da equipa de juniores A do FC Porto.

37
25 DE AGOSTO DE 2006
Adjunto de Jesualdo
Primeiro jogo oficial de João Pinto como treinador-adjunto de Jesualdo Ferreira. O ex-capitão regressava assim ao plantel principal, onde se manteria até 2008/09.

38
28 DE SETEMBRO DE 2013
Lateral de eleição
O Museu FC Porto é inaugurado e da exposição permanente fazem parte não só a Comenda da Ordem de Mérito de João Pinto como uma estátua que prova que o capitão é, de acordo com a eleição dos adeptos, o melhor defesa-direito da história do clube, dando-lhe um lugar no Melhor Onze de sempre.

39
24 DE MAIO DE 2014
Lágrimas no Dragão Caixa
João Pinto assiste nas bancadas do Dragão Caixa ao FC Porto-Benfica que valeria a conquista de um inédito hexacampeonato de andebol de sete. No final, não foi capaz de conter as lágrimas, cena captada pelas imagens televisivas que mostram a ligação indestrutível entre João Pinto e o clube.

40
14 DE NOVEMBRO DE 2016
Outra vez na estrutura
João Pinto regressa à estrutura do plantel sénior do FC Porto, assumindo o lugar de adjunto de Luís Gonçalves, diretor-geral para o futebol.»

Texto publicado na edição de dezembro de 2016 da Dragões, a revista oficial do FC Porto.


(Andebol: Felizes por fazer história)

Amarante Cultura - O Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, em Amarante, foi visitado em 2016 por quase 20.000 pessoas, um crescimento de 35% face a 2015, consolidando a tendência dos anos anteriores, anunciou hoje a autarquia local.



«Museu Amadeo de Souza-Cardoso com mais 35% de visitas em 2016

O Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, em Amarante, foi visitado em 2016 por quase 20.000 pessoas, um crescimento de 35% face a 2015, consolidando a tendência dos anos anteriores, anunciou hoje a autarquia local.

"Este acréscimo significativo da procura por parte de públicos e consumidores de arte indicia sua afirmação no âmbito da Rede Nacional de Museus", acrescenta a fonte.

Em 2015, o aumento de visitantes àquele equipamento cultural, face a 2014, tinha sido de 11%.

O pintor modernista Amadeo de Souza-Cardoso é natural de Mancelos, Amarante, onde nasceu a 14 de novembro de 1887. No museu, no centro da cidade, podem ser vistas dezenas de obras de Amadeo (pinturas e desenhos, mas também de outros artistas de Amarante, como António Carneiro e Acácio Lino).

O maior número de visitantes teve, também, significado na receita de bilheteira, com um acréscimo de 50% face ao ano anterior e nas vendas de produtos de 'merchandising', que cresceram cerca de 38%, com destaque para as épocas festivas, como o Natal, em que a procura aumentou significativamente.

Para o município, os números de 2016 refletem também o "renascer" de Amadeo de Souza-Cardoso nos planos nacional e internacional, por via, sobretudo, da exposição que a Fundação Calouste Gulbenkian organizou no Grand Palais, em Paris.

Para aquela exposição, sublinha a autarquia, o museu de Amarante contribuiu com 20 peças da sua exposição permanente, entre pinturas, desenhos e caricaturas, obras correspondentes a diferentes fases da vida artística de Amadeo.

Depois de Paris, assinala o município, "foi a cidade do Porto a mostrar Amadeo, ainda em 2016, tendo o Museu [Nacional de] Soares dos Reis organizado a mostra 'Amadeo de Souza-Cardoso/Porto-Lisboa/2016-1916', agora patente em Lisboa, até 26 de fevereiro, no Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado".

Ao mesmo tempo, a afirmação de Amadeo em Amarante e na região, sobretudo junto de públicos escolares, tem sido conseguida, segundo o município, "através de múltiplas iniciativas, de que são exemplos as atividades 'Amadeo convida a vir ao Museu' ou 'Amadeo e a inquietação pelas paisagens de Manhufe, Amarante e Marão', para além de ateliês temáticos realizados regularmente".» in https://www.noticiasaominuto.com/cultura/732399/museu-amadeo-de-souza-cardoso-com-mais-35-de-visitas-em-2016

F.C. do Porto Hóquei Patins - Hélder Nunes marcou uma “manita”​ na goleada ao Riba d’ Ave: o mérito é do “trabalho coletivo”, aponta.



«CINCO QUE VALEM POR DEZ

Hélder Nunes marcou uma “manita”​ na goleada ao Riba d’ Ave: o mérito é do “trabalho coletivo”, aponta.

Demorou cerca de nove meses, 294 dias, a repetir uma marca, pouco comum na carreira: a de apontar cinco golos num só jogo. Em abril do ano passado, Hélder Nunes ajudou o FC Porto Fidelidade a seguir em frente na Taça de Portugal com uma manita ao Tigres de Almeirim (12-5). Este sábado voltou a fazê-lo na vitória contundente sobre o Riba d’ Ave (11-2)​ em Famalicão, concelho do distrito de Braga, onde começou a dar os primeiros passos no hóquei em patins. Na verdade, o defesa/médio nem sequer tinha presente na memória a última vez que tal tinha acontecido - “deve ter sido nos juvenis ou nos juniores”, disse ao www.fcporto.pt -, até porque garante que não vive obcecado por golos: “Não me interessa se são muitos ou poucos. Tento acima de tudo realizar uma boa exibição, dar o meu melhor em prol do coletivo, porque sei que se coletivamente estivermos bem, dificilmente nos ganham e é nisso que eu e os meus colegas estamos sempre focados, na força da equipa”. Palavra de capitão.

Os cinco golos que assinou na 13.ª e última jornada da primeira volta do Campeonato Nacional foram, portanto, resultado de “um trabalho coletivo muito bom” desenvolvido durante a semana e que a equipa conseguiu “executar na perfeição neste jogo”. Valeram por cinco, por cada um dos cinco jogadores que iniciaram o jogo e pelos outros cinco que saltaram do banco para o rinque ao longo dos 50 minutos. “Acabei por ser eu a finalizar, mas poderia ter sido qualquer outro dos meus colegas”, acrescenta o dono da camisola 78, que ainda não tinha marcado neste ano civil de 2017 – a última vez tinha sido na receção à Oliveirense, quando fixou o resultado final (6-4) na conversão perfeita e não menos espetacular de um livre direto.

A proeza alcançada no Pavilhão Parque das Tílias permitiu a Hélder Nunes subir ao primeiro lugar do pódio dos melhores marcadores do FC Porto nesta temporada, deixando para trás Gonçalo Alves, que na temporada também marcou uma mão cheia de golos na receção ao HC Braga (11-2) numa partido do Campeonato. O capitão contabiliza, até ao momento, 24 (18 no campeonato, 2 na Liga Europeia e 4 na Supertaça​), ao passo que o colega de equipa soma 20 (15 no campeonato, 3 na Liga Europeia e 2 na Supertaça). 

Dentro do plantel não há lugar a qualquer duelo particular, garante: “A única coisa pela qual lutamos todos os dias é para no fim sermos campeões. É uma competição saudável entre todos tanto nos treinos como nos jogos. Se eu puder passar a bola ao lado para o colega marcar, faço-o. Tenho a certeza que todos eles pensam da mesma forma”.

Golos não costumam ser, portanto, tema de conversa no balneário, “à exceção de um ou outro diferente, que não seja habitual”, como o quarto que Hélder Nunes marcou com a ajuda preciosa da sorte naquele jogo. Na retina ficou o primeiro com que inaugurou o marcador no Riba d’ Ave-FC Porto, numa jogada individual em que depois de tirar o adversário do caminho fletiu para a zona interior e rematou sem hipóteses para o guarda-redes - foi o melhor dos cinco, segundo Hélder Nunes. “Quando muito, falamos sobre golos diferentes, sobre números não falamos”, acrescenta.

A equipa de Guillem Cabestany entra na segunda volta do Campeonato na segunda posição, com 34 pontos, a apenas dois do Benfica, primeiro da tabela, que se deslocará ao Dragão Caixa na 24.ª e antepenúltima jornada. O capitão acredita que a luta “vai ser até ao fim”, não a duas equipas mas a quatro, incluindo no grupo a Oliveirense, terceiro classificado, com menos um ponto que os portistas, e o Sporting, com menos seis.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/helder_nunes_5_golos_290117.aspx


Hóquei em Patins: Os cinco golos de Hélder Nunes (29/01/17)

Música Trip Hop - London Grammar é um trio de trip hop britânico formado por Hannah Reid, Dan Rothman e Dominic 'Dot' Major e o seu EP de estreia no Metal & Dust foi lançado em fevereiro de 2013 pela Metal & Dust Recordings Ltd.


London Grammar - "Wicked Game"


London Grammar - "Wrecking Ball"



London Grammar - "Strong"


London Grammar - "Metal & Dust"


London Grammar - "Interlude"


London Grammar - "Darling are you gonna leave me"


London Grammar - "Hight Life"


London Grammar - "Wasting my young years"


London Grammar - "Sights" - [Official Vídeo]



London Grammar - "Hey Now" - (MTV Live)


London Grammar - "Rooting for you" 


London Grammar - "Big Picture" 


London Grammar - "Nightcall" - [Official Video]



"Nightcall

I’m giving you a nightcall to tell you how I feel
I’m gonna drive you through the night down the hills
I’m gonna tell you something you don’t want to hear
I’m gonna show you where it’s dumped but have no fear

There’s something inside you
It's hard to explain
There’s something inside you, boy
And you’re still the same

I’m giving you a nightcall to tell you how I feel
I’m gonna drive you through the night down the hills
I’m gonna tell you something you don’t want to hear
I’m gonna show you where it’s dumped but have no fear

There’s something inside you
It's hard to explain
They’re talking about you, boy
But you’re still the same

Tell you how
Tell you how
Tell you how

I’m giving you a nightcall to tell you how I feel
I’m gonna drive you through the night down the hills
I’m gonna tell you something you don’t want to hear

I’m giving you a nightcall to tell you how I feel and how I feel"

30/01/17

Amarante Artesanato - A forma peculiar como o Amigo José Francisco Cunha Pinto, Artesão de Fridão, nos representa Amarante com a sua Arte!


(Amarante, Fridão, artesanato, Amigo José Francisco Cunha Pinto)

Política Energética - A empresa do Alqueva anunciou hoje ter instalado um primeiro conjunto de painéis solares fotovoltaicos flutuantes para produzir energia para um dos reservatórios de água do projeto, no âmbito da sua aposta em "soluções energéticas amigas do ambiente".



«No Alqueva, os painéis solares flutuam

A empresa do Alqueva anunciou hoje ter instalado um primeiro conjunto de painéis solares fotovoltaicos flutuantes para produzir energia para um dos reservatórios de água do projeto, no âmbito da sua aposta em "soluções energéticas amigas do ambiente".

Trata-se de um sistema desligado da rede elétrica composto por 44 painéis solares fotovoltaicos flutuantes e com uma potência instalada de 11 quilowatts para produzir energia para abastecer as operações do reservatório da Cegonha, explica a Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA).

Segundo a empresa, o conjunto de painéis foi instalado no reservatório da Cegonha, do aproveitamento hidroagrícola de São Matias, que está situado no concelho de Beja e integra-se na rede secundária de rega do projeto.

Além dos painéis, a EDIA também instalou um sistema de armazenamento de energia com autonomia para cinco dias sem sol, o que vai permitir abastecer os órgãos hidráulicos e os sistemas de monitorização e telecontrolo do reservatório e a estação de filtração de um bloco de rega com 2.163 hectares.

Segundo a EDIA, esta solução energética evitou a construção de uma linha de média tensão com uma extensão de cerca de dois quilómetros e traduz-se numa "rentabilidade económico-financeira positiva desde o momento de entrada em funcionamento".

A EDIA frisa que "tem vindo a apostar em soluções energéticas amigas do ambiente e ecologicamente compatíveis com um processo de desenvolvimento sustentado que se deseja para a região, dando o exemplo através de soluções fotovoltaicas", como a instalada no reservatório da Cegonha.

Na área da energia fotovoltaica, a empresa lembra que já instalou painéis solares fotovoltaicos na cobertura da sua sede em Beja e pequenas centrais solares fotovoltaicas junto à barragem do Alqueva e nas estações elevatória do Pisão e da Amoreira.

Na valência agrícola do Alqueva, a EDIA concluiu no ano passado a construção de todas as infraestruturas necessárias para regar os 120 mil hectares previstos no projeto inicial e que estão em exploração.

A albufeira de Alqueva, localizada no "coração" do Alentejo, no rio Guadiana, na sua capacidade total de armazenamento, à cota de 152 metros, é o maior lago artificial da Europa, com uma área de 250 quilómetros quadrados e cerca de 1.160 quilómetros de margens.» in http://24.sapo.pt/tecnologia/artigos/no-alqueva-os-paineis-solares-flutuam#_swa_cname=bloco24&_swa_csource=sapo.pt&_swa_cmedium=web

Serra de Fafe - Vários jornais e revistas internacionais já deram a notícia: Portugal tem uma casa que cabe no imaginário de todos nós, a casa dos Flintstones.



«A Casa dos Flintstones é portuguesa e fica na serra de Fafe

Vários jornais e revistas internacionais já deram a notícia: Portugal tem uma casa que cabe no imaginário de todos nós, a casa dos Flintstones.

O Daily Mail ou a National Geographic foram alguns desses jornais e revistas que trouxeram esta casa, e a Serra de Fafe, para o mapa-mundi dos viajantes e curiosos. Chama-se Casa do Penedo, e situa-se em Várzea Cova, a apenas 12 km de Fafe. O lugar é bastante acessível, quer de carro (que se pode estacionar logo ao lado da casa), quer a pé, já que existe um trilho de Pequena Rota que passa mesmo ao lado.

A casa foi construída nos anos 70, como refúgio da vida citadina, e é toda feita em pedra, utilizando três grandes penedos de granito pré-existentes. Está situada numa zona que é facilmente acessível, mas que ao mesmo tempo é isolada, não tendo qualquer habitação perto. A casa está rodeada de aerogeradores para produção de energia eólica, muito comuns nas partes altas da Serra de Fafe, mas no seu interior não há electricidade, o que lhe dá um carácter ainda mais rústico (apesar de não se poder visitar o interior, uma vez que é propriedade privada).

Para além da curiosidade da Casa dos Flinstones, quem visita esta parte de Portugal, pode contar sempre com o contacto com a Natureza. A Serra de Fafe, juntamente com as serras vizinhas do Marão e Alvão, constituem um dos locais mais bonitos de Portugal para se explorar a pé. O trilho pedestre que passa pelo local chama-se Trilho do Vento e permite fazer uma caminhada de 14 km ao longo da Serra de Fafe, explorando as partes altas da serra e passando por aldeias típicas.

Quem sabe se esta não será uma excelente sugestão para o seu fim-de-semana? Para saber mais sobre como chegar e como visitar a Casa dos Flintstones portuguesa, veja as nossas dicas.» in http://viagens.sapo.pt/viajar/viajar-portugal/artigos/a-casa-dos-flintstones-e-portuguesa-e-fica-na-serra-de-fafe


(Casa do Penedo em Fafe)


(Casa do Penedo - The House of Stone - Portugal - Fafe)


(Na casa do Penedo)

F.C. do Porto Natação - A equipa master (maiores de 25 anos) do FC Porto alcançou o terceiro lugar no Open Internacional de Masters de Inverno, atrás de Algés e Fluvial Portuense.



«MASTERS DERAM CARTAS EM SINES

Portistas alcançaram o terceiro lugar no Open Internacional de Inverno.

A equipa master (maiores de 25 anos) do FC Porto alcançou o terceiro lugar no Open Internacional de Masters de Inverno, atrás de Algés e Fluvial Portuense. Os Dragões participaram na prova – que teve lugar neste fim de semana, na Piscina Municipal Carlos Manafaia, em Sines – com 21 atletas, demonstrando um crescimento no número e no nível dos nadadores, devido à utilização da nova Piscina de Campanhã, desde o final de 2015.

A comitiva azul e branca obteve vários títulos e bateu recordes de Portugal, numa competição que teve a presença de 614 nadadores, 399 masculinos e 215 femininos, em representação de 62 clubes. A organização foi da Federação Portuguesa de Natação, Associação de Natação do Alentejo e Município de Sines.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/natacao-fc-porto-masters-deram-cartas-em-sines.aspx

29/01/17

F.C. do Porto Basquetebol: Galitos 61 vs F.C. do Porto 67 - O FC Porto bateu este domingo o Galitos Barreiro, no Pavilhão Municipal Luís Carvalho, mantendo assim a liderança isolada da Liga Portuguesa de Basquetebol.



«DRAGÕES VENCEM NO BARREIRO E SEGURAM LIDERANÇA ISOLADA

Triunfo por 67-61, frente ao Galitos, na 17.ª jornada da Liga Portuguesa de Basquetebol.

O FC Porto bateu este domingo o Galitos Barreiro (67-61), no Pavilhão Municipal Luís Carvalho, mantendo assim a liderança isolada da Liga Portuguesa de Basquetebol. Os Dragões registaram a 14.ª vitória em 17 jogos na prova e passam a somar 31 pontos, mais um do que Oliveirense e Benfica. Os campeões nacionais voltam a entrar em campo na sexta-feira, dia 3 de fevereiro, às 21h00, frente ao Illiabum, nos quartos de final da Taça Hugo dos Santos. O encontro disputa-se no Pavilhão Municipal de Oliveira do Hospital.

Foi um primeiro período verdadeiramente sublime e demolidor aquele que o FC Porto protagonizou no Barreiro. Com uma defesa quase sufocante e uma tremenda eficácia no capítulo do lançamento (50% de dois pontos e 83,3% de triplos), os Dragões construíram uma vantagem de 19 pontos nos dez minutos iniciais (35-16), mas essa performance não teve continuidade no segundo período. Aqui, os portistas apontaram apenas nove pontos e o Galitos Barreiro aproveitou para reduzir a diferença no caminho para o intervalo, que chegou com o FC Porto ainda na frente (44-35). Thomas Bropleh, autor de 14 pontos, era por esta altura o Dragão mais inspirado.

O reatamento voltou a dar maior conforto ao FC Porto e a defesa foi novamente a base para um terceiro período bem sucedido. Se os 12 pontos marcados acabaram por não ser nada de transcendente, os oito pontos sofridos em dez minutos permitiram aos Dragões entrar no período da decisão com 13 de vantagem (56-43), mas o Galitos Barreiro não permitia qualquer tipo de relaxamento. Mesmo com novo fraco pecúlio ofensivo no derradeiro parcial (11 pontos marcados), o FC Porto não desperdiçou a oportunidade de vencer num pavilhão difícil e somou uma saborosa vitória frente a um forte adversário: 67-61, com Sasa Borovnjak (19 pontos e 5 ressaltos), Thomas Bropleh (16 pontos e 7 ressaltos) e Nick Washburn (13 pontos e 6 ressaltos) em destaque no coletivo portista, que venceu todos os jogos disputados em janeiro.

FICHA DE JOGO

GALITOS BARREIRO-FC PORTO, 61-67
Liga Portuguesa de Basquetebol, 17.ª jornada
29 de janeiro de 2017
Pavilhão Municipal Luís Carvalho, no Barreiro

Árbitros: Sérgio Silva, José Abreu e Rui Ribeiro

GALITOS BARREIRO: Jarred Jackson (15), Stephen Grosey (5), Carlos Ferreirinho (10), Jacques Conceição (13) e Uladzimir Krysevich
Jogaram ainda: Josimar Cardoso (5), Carlos Dias, Diogo Correia (7), Artur Castela, Miguel Minhava (6), Tiago Valério e Rubinho Mendes
Treinador: André Martins

FC PORTO: André Bessa (2), Thomas Bropleh (16), José Silva (9), Miguel Queiroz e Sasa Borovnjak (19)
Jogaram ainda: Pedro Bastos, Brad Tinsley (4), Nick Washburn (13), Miguel Miranda (1), João Gallina, Ferrán Ventura e João Grosso (3)
Treinador: Moncho López

Ao intervalo: 35-44
Parciais: 16-35, 19-9, 8-12, 18-11» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Galitos-Barreiro-FC-Porto-17a-jornada-1a-fase-LPB-1617.aspx


Basquetebol: Galitos Barreiro-FC Porto, 61-67 (LPB, 17.ª jornada, 29/01/17)

Arte Pintura - O Pintor de Amarante, Fernando Barros, interpela-nos com uma visão particular do produto de excelência da nossa região.


(Amarante Pintura, Fernando Barros)

F.C. do Porto Sub 17 Futebol: F.C. do Porto 3 vs Rio Ave 0 - FC Porto recebeu e venceu equipa vila-condense na oitava jornada da segunda fase do campeonato.



«SUB-17 REGRESSAM ÀS VITÓRIAS FRENTE AO RIO AVE

FC Porto recebeu e venceu equipa vila-condense na oitava jornada da segunda fase do campeonato.

Depois de dois empates consecutivos, a equipa de Sub-17 do FC Porto regressou na manhã deste domingo aos triunfos (3-0), na receção ao Rio Ave, em jogo relativo à oitava jornada da segunda fase do Campeonato Nacional de juniores B. Um auto golo de Pedro Nuno e um “bis” de Romário Baró garantiram o triunfo da equipa azul e branca, que assim continua dona e senhora da primeira posição do campeonato (zona Norte), somando agora 17 pontos.

No Estádio Luis Filipe Menezes, no Olival, com um relvado muito pesado, castigado pela chuva, os Dragões foram obrigados a um esforço extra para contrariar uma competitiva equipa do Rio Ave, que foi adiando o mais possível o primeiro golo portista. Na primeira parte o golo esteve muito perto de acontecer primeiro por intermédio de Romário Baró (o remate de pé esquerdo do médio foi desviado pelo poste) e depois por Leandro Campos (rematou enrolado para muito perto do poste), mas ambos foram incapazes de materializar as duas melhores oportunidades dos primeiros 40 minutos. 

No segundo tempo os Dragões imprimiram uma maior intensidade e foram premiados com um golo, ainda que marcado por um jogador no Rio Ave (Pedro Nuno) na própria baliza, aos 48 minutos. A vantagem no marcador permitiu à equipa portista intensificar o domínio e a melhor qualidade de jogo voltou a ser premiada aos 54 e 72 minutos. Valeu a pontaria afinada e a eficácia do médio ofensivo Romário Baró, que resolveu com dois golos um jogo difícil a favor da equipa portista.

Os Sub-17 portistas alinharam com: Carlos Peixoto, Rúben, Tiago Matos, Cláudia Silva, Jota, Vasco Ferreira (cap.), Afonso Sousa (Paulo Moreira, 69m), Romário Baró (Fábio Vieira, 76m), Miguel Magalhães (Rúben Moura, 60m), João Mário e Leandro Campos.

Na próxima jornada, a nona do campeonato, o FC Porto desloca-se a Coimbra, para jogar no Campo da Pedrulha frente à Académica, que segue no segundo posto a um ponto dos portistas. A partida está agendada para as 11h00 de sábado.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/futebol-formacao-fc-porto-rio-ave-8jor-2fase-cnjb.aspx


Formação: Sub-17 - FC Porto-Rio Ave, 3-0 (CNJB, 2.ª fase, 8.ª jornada, 29/01/17)

F.C. do Porto Bilhar - Os jogadores do FC Porto João Ferreira, Rui Costa, Manuel Oliveira, Hugo Costa, Jorge Costa e Alípio Jorge qualificaram-se, na noite deste sábado, para a final do 4.º Open Federativo de bilhar às três tabelas, que se realiza no próximo fim de semana, em Famalicão.



«BILHAR: ​​SEIS DRAGÕES NA FINAL DO 4.º OPEN FEDERATIVO

Bilharistas do FC Porto em grande destaque.

Os jogadores do FC Porto João Ferreira, Rui Costa, Manuel Oliveira, Hugo Costa, Jorge Costa e Alípio Jorge qualificaram-se, na noite deste sábado, para a final do 4.º Open Federativo de bilhar às três tabelas, que se realiza no próximo fim de semana, em Famalicão.

Os Dragões cometeram a proeza de colocar seis dos oito jogadores da sua equipa neste prova de apuramento para a final do Campeonato Nacional individual de bilhar às três tabelas.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/bilhar-open-federativo-280117.aspx

F.C. do Porto Andebol: F.C. do Porto 35 vs ADA Maia 20 - Dragões venceram o ADA Maia nos oitavos de final da Taça de Portugal.



«EXIBIÇÃO IRREPREENSÍVEL RESERVA “QUARTOS” DA TAÇA

FC Porto venceu o ADA Maia por 35-20 nos oitavos de final da Taça de Portugal.

Muda a competição mas mantém-se o hábito de vencer. A equipa de andebol do FC Porto venceu na noite desta sábado o ADA Maia, por 35-20, em jogo dos oitavos de final da Taça de Portugal, garantindo assim um lugar nos quartos de final da prova. A equipa de Ricardo Costa somou a segunda vitória em dois jogos na competição e manteve o registo cem por cento vitorioso da presente temporada, agora alargado para 28 jogos distribuído por todas as competições.

Uma entrada muito afirmativa de modo a evitar surpresas muito frequentes nos jogos a eliminar valeu à equipa azul uma vantagem inicial que não mais perdeu até ao final da partida, confirmando assim o favoritismo que lhe era atribuído antes do apito inicial. Neste que foi o primeiro jogo da competição no Dragão Caixa, os Dragões conseguiram um parcial inicial de 5-0, conservando a baliza a zeros nos primeiros cinco minutos do jogo. Para isso contribuiu o bom nível do guardião Alfredo Quintana bem como do eixo defensivo central, que, avisado da qualidade da primeira linha adversária que tantos problemas causou no jogo do campeonato, soube anular esse que é um dos pontos mais fortes da equipa maiata.
Sem grandes surpresas, e sem grandes sobressaltos, os portistas foram conservando a vantagem cavada nos primeiros minutos, que se fixou em sete golos de vantagem ao intervalo (17-10).

Apesar da vantagem confortável, o segundo tempo começou de forma idêntica ao primeiro. A diferença mais visível acabou por ser na baliza, com Hugo Laurentino a ocupar o lugar que na primeira parte foi de Quintana (ambos sofreram 10 golos). Isto porque nos momentos iniciais o FC Porto voltou a subir o nível de jogo para um patamar que a equipa de Rui Silva foi incapaz de igualar, conseguindo assim avolumar a vantagem, que ganhou contornos ainda mais significativos: a diferença de 10 golos apareceu pela primeira vez no sexto minuto do segundo tempo, com o jogo a terminar 15 minutos depois com uma vantagem final de 15 golos. 35-20 foi o resultado final com que os azuis e brancos seguraram uma vaga nos quartos de final da prova.

No capítulo individual, destaque para a estatistica de José Mario Carrilo, que foi o melhor marcador do equipa portista, com seis golos, seguido por Nikola Spelic e Gustavo Rodrigues, ambos com cinco. 

Os Dragões ficarão a conhecer o adversário dessa fase da prova na próxima segunda-feira, num sorteio que será realizado na sede da federação mesmo que ainda haja um jogo dos oitavos de final por disputar (Chico Andebol-Águas Santas, a 1 de março).

Quanto à competição, regressa no próximo sábado, com a receção ao ABC a marcar o regresso dos jogos do campeonato. O jogo da 21.ª jornada está agendado para as 16h00, no Dragão Caixa e terá transmissão em direto no Porto Canal.

FICHA DE JOGO

FC PORTO-ADA Maia, 35-20 
Taça de Portugal, oitavos de final
28 de janeiro de 2017
Dragão Caixa, Porto

Árbitros: Francisco Leite e Profirio Tavares

FC PORTO: Alfredo Quintana, Hugo Laurentino, Rui Ferreira (2), Victor Iturriza (1), Leandro Semedo (3), Nikola Spelic (2), Gustavo Rodrigues (5), Miguel Martins, Rui SIlva (2), Daymaro Salina (2), Carrillo (6), Ricardo Moreira, Alexis Borges (1), António Areia (3), Miguel Alves (3) e Marko Matic (2)
Treinador: Ricardo Costa

ADA MAIA: Menuel Borges, Reynel Nélson, Hugo Glória (1), António Almeida (1), Yoel Blanco, Tomás Barbosa, Francisco Leitão, Pedro Teixeira (1), Francisco Fontes (3), António Ventura (6), Diogo Coelho, Bruno Borges (1), Tiago Magalhães (1), Edilson Morais (1), Diogo Silva (2) e Pedro Vieira (1) 
Treinador: Rui Silva

Ao intervalo: 17-10» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/andebol-fc-porto-ada-maia-oitavos-final-taca-de-portugal.aspx


Andebol: FC Porto-ADA Maia, 35-20 (Taça de Portugal, 1/8 final, 28/01/17)

28/01/17

Amarante Fridão - A freguesia de Fridão acolhe este fim de semana, a Feira dos Rojões.



«"Feira dos Rojões" anima fim de semana em Fridão

A freguesia de Fridão acolhe este fim de semana, a Feira dos Rojões. Há 150 quilos de carne de porco para servir, durante a iniciativa, no Centro Social de Fridão, em Amarante.

Tasquinhas, venda de produtos locais, jogos tradicionais, encontro de concertinas e música tradicional ao vivo fazem a Feira dos Rojões.

"Trata-se de uma iniciativa que vai já na 2ª edição e que surge como forma de dar um pouco de animação à freguesia, promovendo os produtos tradicionais da terra", explica Cristina Marinho, presidente de junta de Fridão, entidade que em parceria com as associações da freguesia organiza a Feira dos Rojões.

O prato de rojões com arroz ou batata a murro e grelos tem um custo de 5 euros. O comensal, se assim pretender, pode levar para casa como recordação a loiça personalizada onde degustou os rojões.

A organização conta receber mais de 1500 visitantes que ali podem acumular algumas calorias extra para combater o frio do inverno.

Os excessos podem ser combatidos numa caminhada de 10 km, agendada para as 9.30 horas deste domingo longo da Serra da Meia Via lado a lado com a Serra do Marão.» in http://www.jn.pt/local/noticias/porto/amarante/interior/feira-dos-rojoes-anima-fim-de-semana-em-fridao-5634529.html#ixzz4X6AylzPT 

Liga NOS: Estoril 1 vs F.C. do Porto 2 - Vitória indiscutível no Estoril, conseguida com golos nos últimos dez minutos de André Silva e Corona.



«TRÊS PONTOS BEM PESCADOS NO FIM DA LINHA

Vitória indiscutível no Estoril (2-1), conseguida com golos nos últimos dez minutos de André Silva e Corona.

O FC Porto está, pelo menos provisoriamente, a um ponto da liderança, após bater este sábado o Estoril por 2-1, com golos já nos minutos finais de André Silva (de penálti, aos 82 minutos) e de Corona (90). Dankler ainda reduziu para a equipa da casa, já nos descontos, mas não havia tempo para pôr em causa a vitória mais do que merecida dos Dragões, que dominaram todo o encontro e ainda tiveram lances ajuizados a seu desfavor, nomeadamente duas situações de penálti. Com este triunfo num terreno tradicionalmente difícil, os azuis e brancos levam agora 16 encontros sem derrotas na Liga NOS – trata-se da equipa há mais tempo invicta – e sete vitórias nos últimos oito jogos.

Com Maxi Pereira e André André como novidades no onze, o FC Porto tomou conta do jogo desde o apito inicial, mas revelou dificuldades em criar situações de perigo na primeira parte (apenas três remates). No entanto, fica o registo para um fora de jogo mal tirado a Diogo Jota, que se isolava aos sete minutos, e para um lance à entrada da área em que Mano fez falta sobre o mesmo avançado (20), em que se justificava a lei da vantagem e em que o estorilista devia ter visto cartão amarelo. Aos 36, Nuno Espírito Santo optou por substituir Diogo Jota por Brahimi, com o argelino a colocar-se, tal como o português, próximo de André Silva, na zona central.

O FC Porto entrou com mais intensidade na segunda parte e a bola raramente saía do meio-campo do Estoril. Aos 53 minutos, André Silva quase aproveitava uma saída de Moreira da baliza e, dois minutos depois, o camisola dez é puxado em plena área por Diogo Amado. Ficou um penálti claro por marcar e que poderia ter permitido aos Dragões resolver o jogo mais cedo. A pressão acentuava-se e, aos 70, Brahimi isolou Rui Pedro – que entrou em campo aos 66, com Corona – e este introduziu a bola na baliza, mas foi assinalado fora de jogo. A mesma dupla criou nova oportunidade aos 80, mas o remate do jovem avançado saiu por cima.

A partida entrava na sua linha vermelha e o fantasma dos empates fora de casa parecia crescer, mas os Dragões estavam mais perigosos com as entradas de Rui Pedro e Corona e exploravam mais os flancos. O agitador Brahimi isolou André Silva aos 81 minutos, Moreira chegou atrasado e travou o avançado em falta. O penálti foi convertido pelo máximo goleador portista - 17 golos na temporada e 12 na Liga, em que é o segundo melhor marcador – e os três pontos confirmados depois com um grande lance individual de Corona. Antes, Rui Pedro ainda vira amarelo num lance em que sofre penálti. O apoio nas bancadas foi importantíssimo e agora segue-se o clássico com o Sporting, este sábado (20h30), fundamental para prolongar a boa onda do FC Porto.

VER FICHA DE JOGO» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/2016%20-%202017/tres-pontos-bem-pescados-no-fim-da-linha-1-28-2017.aspx


(Resumo do jogo dos Dragões contra os Estorilistas)

F.C. do Porto Hóquei Patins: Riba d' Ave 2 vs F.C. do Porto Fidelidade 11 - Mais de cinco anos depois, o FC Porto Fidelidade regressou a Riba d’Ave e, tal como naquele 12 de novembro de 2011, saiu com uma goleada da vila do concelho de Famalicão.



«GOLEADA COM “MANITA” DE HÉLDER NUNES

Dragões bateram o Riba d’ Ave (11-2) na jornada que fechou a primeira volta do Campeonato. Capitão marcou cinco golos.

Mais de cinco anos depois, o FC Porto Fidelidade regressou a Riba d’Ave e, tal como naquele 12 de novembro de 2011, saiu com uma goleada da vila do concelho de Famalicão. Na altura venceu por 9-1, neste sábado bateu um dos recém-promovidos ao convívio entre os grandes do hóquei em patins por 11-2, com Hélder Nunes a ser a figura do jogo ao marcar metade dos golos azuis e brancos, sendo que Vítor Hugo, Jorge Silva e Reinaldo Garcia contribuíram com dois cada um para o resultado final. Os Dragões terminam a 13.ª jornada do Campeonato Nacional, a última da primeira volta, com 34 pontos, menos dois do que o Benfica, primeiro da tabela.

Os portistas não revelaram grandes dificuldades na adaptação ao piso em cimento e às dimensões do rinque do Pavilhão Parque das Tílias, diferentes das habituais. Prova disso é que aos sete minutos já ganhavam por 2-0, graças a um bom golo de Jorge Silva na conclusão de uma boa jogada individual, já depois de Hélder Nunes ter aberto a contagem logo aos dois. O capitão azul e branco estava inspirado e só precisou de 11 minutos para assinar mais dois golos, colocando o marcador num 0-4.

Atónitos com a vantagem gorda e madrugadora dos portistas, os minhotos demoraram, mas reagiram e, por intermédio do jogador/treinador Hugo Azevedo, reduziram para 4-1. E depois de terem visto o guarda-redes Nélson Filipe defender um livre direto e, logo a seguir, um penálti, conseguiram chegar ao segundo golo, com a assinatura de Bruno Pinto. O relógio contava o penúltimo minuto da partida, mas ainda houve tempo para a resposta do FC Porto, com um excelente golo de Reinaldo Garcia, de regresso aos convocados após ter falhado, por lesão, o encontro de sábado passado, no Dragão Caixa, frente ao Valongo (4-1)​.

Na segunda parte, Guillem Cabestany lançou o mesmo cinco com que iniciou o jogo e voltou a ver uma boa entrada dos Dragões. Jorge Silva viu a bola embater por duas vezes no poste da baliza de João Gomes, ameaçando o sexto golo, que viria a ter a assinatura de Hélder Nunes, ainda que com alguma felicidade à mistura. No minuto seguinte, na sequência de um livre direto, o defesa/médio sentenciou praticamente a partida ao apontar o 7-2 e a tornar-se no primeiro jogador do FC Porto a conseguir uma manita de golos pela primeira vez nesta temporada - foi o 19.º no campeonato, o 25.º em 2016/17, o que faz dele o melhor marcador dos azuis e brancos até ao momento.

Com 25 minutos de sentido praticamente único, os portistas foram dando mais volume o resultado sem grande surpresa. Jorge Silva bisou no jogo e depois foi imitado por Vítor Hugo, quando faltavam pouco mais de quatro minutos para o fim, o tempo suficiente para Reinaldo Garcia também chegar ao segundo golo e fixar o resultado a poucos segundos do soar da buzina, num jogo em que os Dragões ultrapassaram a barreira dos 100 golos na época - são, agora, 109 em 18 partidas.

Segue-se no calendário a deslocação a França para defrontar o SA Merignac (sábado, 19h30 portuguesas), em encontro da quinta jornada da Liga Europeia. Os Dragões ocupam a segunda posição Grupo B, com sete pontos, menos dois do que o Barcelona, primeiro, e mais um do que o Bassano, terceiro classificado.

FICHA DE JOGO

RIBA D’ AVE-FC PORTO FIDELIDADE, 2-11
Campeonato Nacional, 13.ª jornada
28 de janeiro de 2017
Pavilhão Parque das Tílias, Riba d’ Ave 

Árbitros:Rui Torres e Florindo Cardoso (Minho)

RIBA D’ AVE: João Gomes (g.r.), Raul Lopes (cap.), Bruno Pinto, Nuno Pereira e Vítor Hugo
Jogaram ainda: João Aurélio Costa (g.r.), Hugo Azevedo, Tiago Pimenta, João Abreu e João Ferreira 
Treinador: Hugo Azevedo

FC PORTO FIDELIDADE: Nélson Filipe (g.r.), Hélder Nunes (cap.), Ton Baliu, Gonçalo Alves e Jorge Silva
Jogaram ainda: Carles Grau (g.r.), Telmo Pinto, Reinaldo Garcia, Vítor Hugo e Rafa
Treinador: Guillem Cabestany

Ao intervalo: 2-5
Marcadores:Hélder Nunes (2m, 11m, 13m, 31m e 32m), Jorge Silva (7m e 33m), Hugo Azevedo (16m), Bruno Pinto (24m), Reinaldo Garcia (24m e 50m), Vítor Hugo (37m e 46m)
Disciplina: cartão azul a Tiago Pimenta (13m).» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/ribave_fcp_13aj_cn_280117.aspx


Hóquei em Patins: Riba d’ Ave-FC Porto, 2-11 (Campeonato Nacional, 13.ª jornada, 28/01/17)
Pin It button on image hover