31/07/14

História Mundial - Liberdade, Igualdade e Fraternidade: a Farsa, que a revolução Francesa impingiu à Cultura Ocidental, na pena do Meu Amigo e Colega, Professor Guilherme Koehler.



«Liberdade,Igualdade e Fraternidade: a Farsa.

Olympe de Gouges, pseudônimo de Marie Gouze (Montauban, 7 de Maio de 1748 — Paris, 3 de Novembro de 1793) foi uma feminista, revolucionária, historiadora jornalista, escritora e autora de peças de teatro francesa.

Os escritos feministas de sua autoria alcançaram enorme audiência. Foi uma defensora da democracia e dos direitos das mulheres. Na sua Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã de Setembro de 1791, desafiou a conduta injusta da autoridade masculina e da relação homem-mulher que expressou-se na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão durante a Revolução Francesa. Devido aos escritos e atitudes pioneiras, foi executada.

No mesmo ano, em resposta à Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, ela escreveu a Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã . Logo depois, escreveu o Contrato Social, nome inspirado na famosa obra de Jean-Jacques Rousseau, propondo o casamento com relações de igualdade entre os parceiros.

Por se envolver activamente nas questões que lhes pareciam injustas, como a condenação à morte de Luis XVI, por ser contra a pena de morte, e desapontada em suas expectativas, passou a escrever com mais e mais veemência. Em 2 de Junho de 1793, os Jacobinos prenderam os Girondinos e seus aliados, enviando-os em seguida à guilhotina. Nesse mesmo ano, Olympe escreveu a peça Les trois urnes, ou le salut de la Patrie, par un voyageur aérien e, por causa dela, foi presa. A peça demandava a realização de um plebiscito para escolher uma das três formas potenciais de governo: República indivisível, Governo federalista e Monarquia constitucional. Os Jacobinos, que já haviam executado a rainha Maria Antonieta , não estavam dispostos a tolerar a defesa dos direitos das mulheres: exilaram Sophie de Condorcet e, um mês depois, em 3 de Novembro de 1793, guilhotinaram Olympe de Gouges por "ter esquecido as virtudes próprias do seu sexo".

Em 2007, a candidata presidencial francesa, Ségolène Royal expressou o desejo de que os restos mortais de Gouges fossem movido para o Panteão. No entanto, ela permanece, como os das outras vítimas do regime de terror sepultadas em covas comuns.» in https://www.facebook.com/groups/monastab/742034632517007/?notif_t=group_activity


(Top 7 Infamous Guillotine Executions of Notable People)

Amarante História - Se a vida de militar do Coronel Francisco Monteiro de Carvalho Lima se pode considerar exemplar, devemos referir, outrossim, a sua passagem pela administração do concelho de Amarante, que serviu desde 1950 até aos últimos dias da sua vida.



«(..) O Coronel Francisco Monteiro de Carvalho Lima nasceu em Amarante em 1883, Entrou para a Escola do Exército em 1907; prestou serviço no 3 de Viana do Castelo. Em 1909 foi promovido a alferes e colocado em Vila Real, até que partiu em 1912, como tenente, para Moçambique, onde permaneceu dois anos. Em 1914 foi incorporado em Infantaria 15  e em 1917 partiu para França tendo sido ferido em campanha. Era então Capitão. Regressou  a Portugal, em Junho de 1918, com licença de convalescença, e veio a fazer parte de Infantaria 6, do Porto. Foi promovido a major em 1932, a tenente-Coronel em 1936 e mais tarde a Coronel. Passou a comandar o Regimento de Infantaria 9 de Lamego onde se conservou até 1943, data em que passou à reserva.

Se a sua vida como militar se pode considerar exemplar, devemos referir, outrossim, a sua passagem pela administração do concelho de Amarante, que serviu desde 1950 até aos últimos dias da sua vida. Seria egoísmo e ingratidão num dia de júbilo como este que agora se vive, em que realidades e novas perspectivas se abrem, enfim, a uma terra ávida delas, esquecer-se o homem que ajudou a corporizar a maior parte dessas realizações que muito enriquecem Amarante, pois que, para além de discutíveis critérios de beleza, elas proporcionarão um melhor rendimento dos serviços oficiais, uma maior dignidade nas funções e instalações e ainda aquela apregoada higiene indispensável em todos os lugares, mas muito especialmente num mercado abastecedor da população da vila.(..)

(..) Mas um dia, é chamado à presidência da Câmara, um homem que todos conheciam pelo seu grande prestígio militar, herói da 1.ª Grande Guerra, com uma brilhante folha de serviços. Que todos conheciam e respeitavam pelo seu trato afável e pela sua simpatia, pela sua linha de conduta, mas que poucos consideravam o presidente que os novos queriam e de que Amarante precisava.
Instalado na Câmara, o Sr. Coronel Carvalho Lima, começou por sanear as finanças, cujo estado era precário e fê-lo com mão de ferro, com mão militar, não se importando de criar mau ambiente ou inimizades.

Soube ao mesmo tempo escolher os colaboradores e os técnicos e soube também chamar depois a atenção do Governo da Nação para esta Terra pequena durante tanto tempo esquecida.

E o milagre, em que já ninguém acreditava deu-se. O Governo da Nação, verificando que este homem era bem intencionado, leal, justo e cumpridor do seu dever, não pedindo nada que não se justificasse, que não gastava um centavo mal gasto, não lhe regateou o apoio e a ajuda.

E assim se atravessou um período de paz, de trabalho e de progresso para a nossa Terra.

As inaugurações começaram a fazer-se. – Primeiro foi o grande e moderno Hospital Sub-Regional, para o qual a Câmara deu boa ajuda e chamou a atenção do Governo. Na antiga quinta da Cerca, que a Câmara finalmente conseguiu comprar, abriram-se os arruamentos necessários à urbanização da nova zona e iniciaram-se as obras de construção do Palácio da Justiça e do Mercado.

E toda a gente dizia – mas como e onde é que a Câmara tem dinheiro para tanta coisa? Tinha, porque o Presidente Coronel Carvalho Lima, soube poupar, soube fazer o trabalho sério e o Governo da nação compreendeu-o e não lhe regateou o seu auxílio.

Mas ao mesmo tempo que se fazia esta grande transportação na sede do Concelho, a Câmara não abandonou as suas 40 freguesias, pois foram quase todas electrificadas e dotadas de estradas e de escolas. Não quiz Deus que o Sr. Coronel Carvalho lima assistisse à culminância da sua obra, da sua realização, que com tanto carinho com mão tão firme e tão hábil, soube preparar. A morte arrebatou-o dois anos antes, quando ainda havia muito a esperar dele. Não teve a merecida alegria de assistir às grandes inaugurações de hoje, mas ficará, não temos dúvidas, na história de Amarante, como o seu maior e melhor Presidente de todos os tempos. (..)» in livro "Pequena História de Amarante", compilada por Luís Van Zeller Macedo, em 1989, Amarante.
-------------------------------------------------------------------------------------------
Porque será que Amarante não honra esta figura importante do século passado amarantino?

Complexos de esquerda de "veludo", ou pelo mesmo motivo que se retirou o nome do Poeta Teixeira de Pascoaes a um estabelecimento de ensino local?

Uma terra que não honre o seu passado, é uma terra mais pobre...

No espaço aproximado de uma década lançar ou promover obras como: "O Tribunal de Amarante"; "O Mercado de Amarante"; "A Nova Ponte", "O primeiro bairro social", "O Hospital de São Gonçalo de Amarante"; a eletrificação do concelho; a disseminação de escolas pelo Concelho", entre outras, pede meças a muita gente... a muitos intelectuais da esquerda de "veludo"...

Será que o testemunho escrito prestado pelo Exmo. Sr. Dr. Luís Van Zeller Macedo, consubstanciado neste interessante livro que dedicou à sua Amarante, um Médico Altruísta e Humanista conhecido localmente como "Médico do Povo", não é fidedigno para os modernos... talvez não, afinal a sua própria figura de "Grande Amarantino", com muitos serviços prestados ao Povo da então Vila de Amarante, não tiveram ainda uma merecida homenagem...

Em política é bom atender aos constrangimentos conjunturais dos momentos históricos e saber separar o trigo do joio...

Rota do Românico do Tâmega e Sousa - A Igreja do Salvador de Lufrei localiza-se num vale fértil, junto à confluência de dois pequenos cursos de água, contrapondo-se assim à implantação de um número considerável de igrejas paroquiais edificadas em outeiros ou cumes mais ou menos elevados.

DSC03353





«Igreja do Salvador de Lufrei

A Igreja do Salvador de Lufrei localiza-se num vale fértil, junto à confluência de dois pequenos cursos de água, contrapondo-se assim à implantação de um número considerável de igrejas paroquiais edificadas em outeiros ou cumes mais ou menos elevados. 

A sua origem monástica poderá explicar esta localização, tomada como ideal por Cluny e pelos beneditinos e definitivamente adotada por Cister como local-modelo para a implantação das suas casas.

Atribui-se a Lufrei o estatuto de mosteiro destinado a albergar monjas beneditinas (talvez fundado pela família de Gonçalo João da Pedreira) que, como tantos outros casos na região, nomeadamente Gondar) resultou em abandono no século XV, convertendo o seu estatuto monástico em igreja paroquial em 1455.

A tradição atribui a D. Mem de Gundar, da linhagem dos Gondar, a fundação dos três cenóbios de monjas beneditinas da região: Gondar, Lufrei e Gestaçô.

Estas infraestruturas comprovam a influência que as famílias nobres tiveram na fundação de casas religiosas, bem como testemunham a importância e subsequente criação de comunidades beneditinas femininas a partir do século XII. 

Eclesiasticamente a paróquia de Lufrei integrou inicialmente o termo da arquidiocese de Braga, tendo transitado para a do Porto em 1882. No século XX, passa a incluir a Comarca eclesiástica de Sobretâmega e a vigararia de Amarante.

Até 2001, a Igreja de Lufrei exerceu a função de paroquial junto da comunidade. No entanto, com a construção de uma nova igreja e devido ao mau estado de conservação, a sua função de culto foi-se perdendo ao longo do tempo. 

Desde março de 2010 que este elemento patrimonial românico integra o itinerário turístico cultural da Rota do Românico.

De modestas dimensões, a Igreja de Lufrei é, na sua essência, um excelente testemunho do designado românico de resistência ou gótico rural, demonstrando claramente como a construção “à maneira românica” foi tão apreciada no contexto da arquitetura da região dos vales do Sousa, do Tâmega e do Douro. 

Por tais motivos, esta construção de caráter simplificado, isenta de detalhes decorativos, deve ser entendida em função da sua cronologia tardia, da sua implantação e do seu contexto social. 
O caso de Lufrei é um bom testemunho de como as formas românicas persistiram no tempo, indo mesmo além da sua própria cronologia, assumindo contornos vernaculares.

Formalmente é um templo organizado por planta longitudinal, composta por nave única e capela-mor mais baixa e estreita que a nave. Lateralmente é adossada a sacristia, organizada em planta retangular e construída posteriormente. 

Plantas da Igreja de LufreiApesar da homogeneidade que se confirma ao nível da altura das fiadas de silhares, o aparelho que dá corpo ao templo prima pela irregularidade. 

Isenta de detalhes decorativos esculpidos, a Igreja de Lufrei é apenas iluminada por estreitas frestas de gosto românico, sendo estas rasgadas em pontos-chave do edifício, como são os casos das frestas abertas sobre o portal principal, sobre o arco cruzeiro e mais duas distribuídas por cada alçado da nave.

Os cachorros, pelas suas características formais (lisos e de forma retangular), são testemunhos do caráter tardio da construção. Também o arranjo dos portais, que se inscrevem na espessura dos muros, sem colunas ou tímpano, reforçam a inserção deste monumento numa cronologia avançada dentro do românico português. A empena da fachada principal é interrompida por uma dupla sineira, erguida ao modo românico.» in http://www.rotadoromanico.com/vPT/Monumentos/Monumentos/Paginas/IgrejadoSalvadordeLufrei.aspx?galeria=Fotografias&regiao=Amarante&monumento=Igreja%20do%20Salvador%20de%20Lufrei&categoria=&TabNumber=0&valor=/vPT/Monumentos/Monumentos/Paginas/IgrejadoSalvadordeLufrei.aspx&guid={840DF223-B94C-4DAD-9135-428C1223EE86}



(Rota do Românico, vídeo promocional)

Amarante Restaurante Largo do Paço – Em pleno verão, o restaurante Largo do Paço, detentor de uma estrela Michelin, já serve os novos pratos que compõem a ementa da época; elaborados pelo Chefe Vítor Matos e a sua equipa as propostas gastronómicas prometem uma viagem inesquecível pelos sabores mais requintados e combinações mais imprevisíveis.

thumbnail_3rika

«LARGO DO PAÇO CONVIDA A EXPERIÊNCIA GASTRONÓMICA COM CARTA DE VERÃO

LISBOA – Em pleno verão, o restaurante Largo do Paço, detentor de uma estrela Michelin, já serve os novos pratos que compõem a ementa da época. Elaborados pelo Chefe Vítor Matos e a sua equipa as propostas gastronómicas prometem uma viagem inesquecível pelos sabores mais requintados e combinações mais imprevisíveis.

Baseada na qualidade do peixe e do marisco da costa portuguesa, como a garoupa, o atum, o salmonete e o camarão, os pratos servidos no premiado restaurante do Hotel Casa da Calçada, em Amarante, pretendem apresentar sabores perfeitamente interligados, para uma experiência harmoniosa e inigualável.

Entre as sugestões do Chefe destaque para a recriação do coral do fundo do mar num prato azul composto por lâminas de espargos secos, couve-flor vermelha, amarela e lavagante. Um deleite só de olhar.

Para uma degustação mais variada, a opção incide em dois menus, o menu ‘Largo do Paço’, com os sabores nacionais em destaque, e o menu ‘Ensaios Sensoriais’, onde as mais imprevistas combinações afloram a cada garfada todos os sentidos.

A um menu de excelência não pode faltar uma das melhores cartas de vinho da região e um serviço personalizado e requintado, orientado pelo premiado escanção Adácio Ribeiro, que se encontra disponível para receber os clientes todos os dias, das 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 22h30.

O preço médio de refeição no restaurante Largo do Paço ronda os 50€ por pessoa.

As mais recentes distinções do Largo do Paço e do Chefe Vitor Matos
¶ Certificado de Excelência 2014 * TripAdvisor
¶ Estrela Michelin * Guia Michelin
¶ Melhor restaurante da Europa * Guia European 50 Best.com
¶ Dois Sóis * Guia Repsol 2014
¶ Garfo de Ouro * Guia Boa Cama Boa Mesa do Expresso
¶ ‘Chefe de Cozinha do Ano 2013’ * Prémios da Revista WINE
¶ ‘Melhor Cozinheiro de Portugal’ * Prémios Arco Atlântico Gastro» in http://local.pt/portugal/lisboa/largo-do-paco-convida-a-experiencia-gastronomica-com-carta-de-verao/


(Rota das Estrelas na Casa da Calçada em Amarante)

Amarante Infraestruturas Rodoviárias - A Teixeira Duarte ganhou o concurso para concluir o Túnel do Marão, com cerca de seis quilómetros, que faz parte da Autoestrada do Marão, que ligará Amarante a Vila Real, ao longo de quase 30 quilómetros.

tunel_marao

«Teixeira Duarte ganhou Túnel do Marão

A Teixeira Duarte ganhou o concurso para concluir o Túnel do Marão, com cerca de seis quilómetros, que faz parte da Autoestrada do Marão, que ligará Amarante a Vila Real, ao longo de quase 30 quilómetros.

A data limite para a execução dos trabalhos, que vão custar 88 milhões de euros, é de 518 dias, pouco mais de 17 meses.

Recordo que a empresa Estradas de Portugal lançou no final de fevereiro três concursos públicos no sentido retomar a construção da Autoestrada do Marão, num valor base de 204 milhões de euros.

A construção da Autoestrada do Marão parou a 27 de junho de 2011 e, dois anos depois, a obra foi resgatada pelo Estado, que invocou justa causa fundada no incumprimento por parte da concessionária.

A Somague, que liderava o consórcio responsável pela construção da autoestrada, refutou e disse ter sido a própria concessionária, e não o Estado, a rescindir o contrato “por incumprimentos vários do concedente”.» in http://ondalivrefm.net/2014/07/30/teixeira-duarte-ganhou-tunel-do-marao/


(Obras do túnel do Marão devem retomar no final do ano)

Cidade de Esposende – Na próxima Feira de Velharias de Esposende, que terá lugar no dia 3 de agosto, estarão em destaque os artigos de Maria Silva, de Amarante.

thumbnail_3rika

«FEIRA DE VELHARIAS DE ESPOSENDE DESTACA ARTIGOS DE MARIA SILVA

Em cada edição deste certame, que se realiza no primeiro domingo de cada mês, no Largo Rodrigues Sampaio, é selecionado um participante, que é convidado a colocar em evidência os produtos que comercializa.

Na próxima edição será a vez de Maria Silva, que, de um leque bastante alargado de artigos, com particular enfoque para os objetos para o lar, terá também disponível um lote de botões vintage, disponibilizando-os a muito bom preço.

A comerciante de antiguidades iniciou-se nestas andanças através de amigos, há cerca de cinco anos, e ficou rendida. Aprecia sobretudo as histórias de cada um dos objetos, alguns dos quais atravessaram gerações. Maria Silva é participante assídua na Feira de Velharias de Esposende.» in http://local.pt/portugal/norte/feira-de-velharias-de-esposende-destaca-artigos-de-maria-silva/

30/07/14

Vila de Celorico de Basto - Uma multidão assistiu, no domingo à tarde, ao cortejo etnográfico, iniciativa que mais uma vez exaltou, pela positiva, os usos e costumes de Celorico de Basto, com destaque para as tradições da natureza agrícola que caracterizava o concelho, no passado.



«Vila de Celorico de Basto, cortejo etnográfico do S. Tiago

Veja o vídeo que o Tâmegasousa.pt preparou do Cortejo Etnográfico de Celorico de Basto, evento cheio de cor e alegria incluído nas Festas de S. Tiago, contando com a participação de mais de 2.000 pessoas das freguesias e coletividades do concelho.

Uma multidão assistiu, no domingo à tarde, ao cortejo etnográfico, iniciativa que mais uma vez exaltou, pela positiva, os usos e costumes de Celorico de Basto, com destaque para as tradições da natureza agrícola que caracterizava o concelho, no passado.

Ao longo de mais de 20 minutos, são recordados, neste vídeo, os momentos mais marcantes do cortejo, sempre aplaudidos pelos milhares de espetadores que encheram as ruas da vila.
Para o presidente da Câmara, Joaquim Mota e Silva, foi o cortejo etnográfico mais bonito alguma vez realizado no concelho.» in http://www.tamegasousa.pt/ja-disponivel-o-video-cortejo-etnografico-de-celorico-de-basto/


(Cortejo Etnográfico de Celorico de Basto - 2014)

29/07/14

Amarante Viver Canadelo - IV Feira do mel e 3.º Festival Folk, nos dias 1, 2 e 3 de agosto em Aboadela, Amarante!

Foto: Eis o Cartaz para a IV Edição da Feira do Mel:
(Mais uma excelente organização com a chancela de qualidade da Associação Viver Canadelo)


(2012 - Amarante: 2ª Feira do Mel)

Seleção Nacional de Sub 19 - Portugal 4 vs Servia 3 a.g.p. - ​Cinco jogadores do FC Porto fizeram parte do "onze" que, nesta segunda-feira, garantiu o apuramento da selecção portuguesa para a final do Europeu Sub-19.



«PORTUGAL NA FINAL DO EURO SUB-19 COM CINCO PORTISTAS

​Rafa, Tomás Podstawski, Francisco Ramos, André Silva e Ivo Rodrigues estiveram no "onze" frente à Sérvia.

​Cinco jogadores do FC Porto fizeram parte do "onze" que, nesta segunda-feira, garantiu o apuramento da selecção portuguesa para a final do Europeu Sub-19. Rafa, Tomás Podstawski, Francisco Ramos, André Silva e Ivo Rodrigues foram titulares no empate (0-0) frente à Sérvia, tendo o apuramento para a final sido decidido no desempate por grandes penalidades (4-3).

André Silva (actualmente o segundo melhor marcador da prova, com cinco golos), Ivo Rodrigues e Tomás Podstawski foram escolhidos como marcadores de grandes penalidades, tendo o último desperdiçado a sua oportunidade. No entanto, uma defesa de Tiago Sá ao remate dos 11 metros de Milinković-Savić ditou a vitória portuguesa na Pancho Arena, em Felcsút, na Hungria, e o apuramento para a final, frente à Alemanha (no Ferenc Szusza Stadium, em Budapeste, na quinta-feira, às 18h00 de Portugal Continental).

A selecção portuguesa nunca foi campeã continental de Sub-19, embora tenha no palmarés três títulos nos Sub-18 (1961, 1994 e 1999), competição que a UEFA considera ser a antecessora do actual torneio.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Portugal-na-final-do-Euro-Sub-19-com-cinco-portistas.aspx


(Portugal vs Servia (4-3 pen.) UEFA European Under-19 Championship 2014)

Vila da Apúlia - Os magníficos moinhos da Apúlia, que sobranceiros sob a Praia, aproveitavam as nortadas típicas locais para produzir...



«Praia da Apúlia (Lugar dos Moinhos)

É impossível deixar de perceber o porquê do nome da Praia da Apúlia, no lugar dos Moinhos.

Aí estão eles, sobranceiros sob toda a extensão da praia.

Um local aprazível em dias de Verão, com uma paisagem dunar e de vegetação natural única que envolve toda a Apúlia.

Pode escolher o seu espaço por entre as dunas, ou simplesmente ficar à beira mar e espreitar as ondas, sob as rochas entre marés.» in http://www.guiadacidade.pt/pt/poi-praia-da-apulia-lugar-dos-moinhos-15645


(Moinhos da Apúlia)

28/07/14

Vila de Celorico de Basto - Dia 1 de Agosto 12.º Festival Nacional de Folclore na Sede do Rancho Folclórico Recreativo e Cultural de Santa Maria de Canedo de Basto!




(Rancho Folclórico de Santa Maria de Canedo O vira antigo Verão Total Celorico de Basto - 5/9/2012)

(Rancho Folclórico de Santa Maria de Canedo - O rio Tâmega)


(Rancho de Canedo de Basto)

F.C. do Porto Equipa B: F.C. do Porto B 3 vs Vianense 0 - ​Os jovens Dragões venceram, esta sexta-feira, o Vianense, do Campeonato Nacional de Seniores, série A, em jogo de preparação disputado no Estádio de Pedroso.



«“BÊS” VENCEM VIANENSE

​O FC Porto B venceu, esta sexta-feira, o Vianense, do Campeonato Nacional de Seniores, série A, por 3-0, em jogo de preparação disputado no Estádio de Pedroso. Os portistas alcançaram a vantagem no desafio já perto do intervalo, com golos de Célestin Djim (38m) e de Gonçalo Paciência (44m), tendo carimbado o resultado final aos 74 minutos, com um golo de Roniel.

O onze inicial dos "bês" portistas foi o seguinte: Caio; Víctor García, Leander Siemann, Júnior e David Bruno; Leandro, Graça e Pavlovski; Ruben Macedo, Célestin Djim e Gonçalo Paciência. Jogaram ainda: Filipe Ferreira, Braima, Verdasca, Ricardo Tavares, David Sualehe, Belinha, Elvis, Rúben Alves, Jonathan, Roniel, Kléber e Frédéric.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/FC-Porto-B-Vianense.aspx


Futebol: FC Porto B-Vianense, 3-0 (25/07/14)

F.C. do Porto Natação - A nadadora portista Maria Francisca Cabral quebrou, no sábado, o recorde nacional juvenil dos 400m, nos Nacionais de Juvenis e Absolutos, que se estão a disputar desde quinta-feira, nas Piscinas do Jamor.



«FRANCISCA CABRAL BATE RECORDE COM 33 ANOS

​Nadadora portista quebrou recorde nacional juvenil dos 400m.

​A nadadora portista Maria Francisca Cabral quebrou, no sábado, o recorde nacional juvenil dos 400m, nos Nacionais de Juvenis e Absolutos, que se estão a disputar desde quinta-feira, nas Piscinas do Jamor. A nova marca, de 4m26s20, tira mais de dois segundos ao anterior recorde (4m28s67), que vigorava há 33 anos.

Curiosamente, o recorde pertencia a Alexandra Silva, na altura nadadora do FC Porto e, hoje em dia, nadadora Master do clube.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Francisca-Cabral-bate-recorde-historico.aspx

História - As “Damas Enfermeiras” são algumas das heroínas portuguesas da Primeira Grande Guerra, mas uma em particular captou o coração do país. Maria Francisca Machado, filha do então presidente da República, Bernardino Machado, era uma delas, talvez a mais conhecida de todas.





«As “Damas Enfermeiras” da Primeira Guerra Mundial

Foram para a guerra sem armas e viram os horrores de um dos piores conflitos do século XX. O seu exemplo levou à criação das escolas de enfermagem de Lisboa e do Porto.

Foi há precisamente 100 anos que começou a Primeira Guerra Mundial.  

Portugal entrou no conflito só em 1916, mas entre os quase 90 mil homens que partiram para as trincheiras, encontravam-se dezenas de mulheres que lutavam, também, mas pela saúde dos seus conterrâneos. 

As “Damas Enfermeiras” são algumas das heroínas portuguesas da Primeira Grande Guerra, mas uma em particular captou o coração do país. Maria Francisca Machado, filha do então presidente da República, Bernardino Machado, era uma delas, talvez a mais conhecida de todas. 

Morreu em 1918, já longe da frente de batalha, quando acompanhava o seu pai no exílio, em Hendaye. 

“A morte dela comoveu a comunidade”, explica o seu sobrinho, Manuel Sá Marques, que nunca conheceu a “Tia Maria” e que hoje é médico. 

O apoio das mulheres ao Corpo Expedicionário Português em França, sobretudo no hospital de Ambleteuse, levou o governo a criar, em 1918, as escolas de enfermagem de Lisboa e do Porto. 

Portugal em duas frentes

O historiador Nuno Severiano Teixeira, autor de livros sobre a Primeira Guerra Mundial, explica que o Governo português participou neste conflito em duas frentes distintas. 

Por um lado havia a necessidade de preservar as colónias, o que levou ao envio de tropas para Angola e Moçambique. 

Mas a grande polémica foi o envio dos cerca de 90 mil soldados para a frente europeia, na Flandres, que se saldou numa derrota que mostrou a inexperiência dos militares portugueses e nunca foi bem aceite ou compreendida pelo povo.» in http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=25&did=157043


(Primeira Guerra.Mundial o fim de uma era dublado)


(A Primeira Guerra Mundial)


(História da Primeira Guerra Mundial)

27/07/14

F.C. do Porto Jogo de Apresentação plantel 2014-15: F.C. do Porto o Saint-Étienne 0 - Apresentação 2014/15, com casa cheia, terminou com um nulo frente aos Franceses.



«​12.º JOGADOR NÃO CHEGOU PARA BATER FRANCESES DUROS DE ROER

Apresentação 2014/15, com casa cheia, terminou com um nulo frente ao Saint-Étienne.

O plantel bem gostaria de ter presenteado a casa quase cheia no Dragão com um ou mais golos, mas o jogo de apresentação do FC Porto para a época 2014/15 terminou mesmo com um nulo. Os franceses do Saint-Étienne revelaram-se um adversário duro de roer e o apoio incondicional do público - tratou-se mesmo da maior assistência de sempre no estádio em jogos de preparação - não foi suficiente. Fica a nota: juntar quase 100.000 pessoas em três dias no Dragão (o jogo de homenagem a Deco foi na sexta-feira) é obra, ainda para mais nos tempos economicamente conturbados que vivemos, e diz bem da fé dos adeptos azuis e brancos.

Como não há uma segunda hipótese para deixar uma boa primeira impressão, a equipa azul e branca arregaçou as mangas desde o primeiro minuto, mas o momento ainda não é o ideal (as cargas de trabalho não permitem que o ritmo seja muito elevado) e o adversário muito menos. O Sanit-Étienne (quarta classificado da última Liga francesa, que arranca já a 8 de Agosto) levou o encontro bem a sério, encarando-o como o grande teste de pré-temporada (não foram feitas sequer substituições ao intervalo) e demonstrando organização, capacidade de pressão e dureza q.b.

Sem o recém-chegado Martins Indi na equipa, e com os mexicanos Reyes e Herrera (que têm menos de duas semanas de trabalho), Sami (como ponta de lança) e o jovem Rúben Neves no "onze", o FC Porto demonstrou já algumas das ideias-base para a nova temporada. Procurando encurtar o campo quando o adversário tem a bola e alargá-lo ao máximo em situação contrária, os Dragões criaram algumas situações de perigo, com destaque para um remate de Herrera e recarga por cima de Quaresma, aos 22 minutos, e para um pontapé à entrada da área de Rúben Neves ao lado, aos 37. Esse lance surgiu na sequência de uma das mais prolongadas posses de bola em ataque dos portistas e deixou em relevo o papel do médio de apenas 17 anos.

Rúben Neves mostrou uma enorme personalidade, tentando passes longos e curtos, pedindo a bola e distribuindo jogo. Também Óliver Torres deu nas vistas ao marcar os tempos de posse de bola e demonstrar toda a sua qualidade técnica. Nem tudo foi perfeito, pois claro, e o Saint-Étienne também criou perigo, nomeadamente numa jogada em que Hamouma passou por Maicon e rematou para uma boa defesa de Fabiano.

Ao intervalo, verificaram-se as substituições típicas neste tipo de encontros, com Óliver Torres a ser o único elemento do FC Porto, do meio-campo para a frente, que se manteve em campo. Quintero posicionou-se à direita do ataque, Tello na esquerda e Adrián López no meio, enquanto Casemiro e Brahimi (que iniciaram os treinos na segunda-feira) renovaram o meio-campo. Foi precisamente Quintero a causar a ilusão de golo, com um remate ás malhas laterais, aos 52 minutos, e a isolar Adrián López sete minutos depois, mas o espanhol rematou à figura de Moulin.

Apesar destas duas situações de perigo, o segundo tempo foi mais incaracterístico do que o primeiro e os franceses, com mais rotinas de jogo, aproveitaram algumas perdas de bola do FC Porto para criar perigo em situações de contra-ataque. Brilhou então Fabiano, com uma defesa com a ponta dos dedos após cabeceamento de Baysse (70 minutos) e a "fechar" a baliza perante um isolado Monnet (77). Lopetegui tirou ainda um defesa (Reyes) para lançar mais um avançado (Kelvin) e testar situações em que é preciso "meter a carne toda no assador". O Saint-Étienne nunca se desconjuntou e o resultado final espelha o momento actual: ainda há muito trabalho pela frente e os adeptos reconhecerem-no ao despedir-se da equipa com uma salva de palmas.» in http://www.fcporto.pt/pt/futebol/fichas-de-jogo/Pages/FC-Porto-Saint-Etienne.aspx


(Apresentação do F.C. Porto / Presentation of F. C. Porto)


(FC Porto 2014-2015 Warrior Kits Presentation)

Criminalidade - O Correio da Manhã conta hoje que a família de do ex-primeiro-ministro José Sócrates tem 383 milhões em offshores.



«Família de Sócrates movimenta 383 milhões

O Correio da Manhã conta hoje que a família de do ex-primeiro-ministro José Sócrates tem 383 milhões em offshores. 

Os documentos foram entregues por Mário Machado. Acrescenta o CM que a empresa criada em 2000 no paraíso fiscal de Gilbraltar movimentou autênticas fortunas. Gestores são tio, tia e primos de Sócrates.

O número, astronómico, é o somatório dos movimentos bancários de uma empresa com sede em Caimão, cujos gestores são o tio, uma tia e primos dos ex-primeiro-ministro José Sócrates. A escritura da empresa foi feita em Gibraltar em 2000 e os documentos bancários relativos à mesma encontram-se no Departamento Central de Investigação e Acção Penal do Ministério Público, conta o Correio da Manhã.

Fazem parte do lote de documentos entregues pelo advogado de Mário Machado, o líder da extrema-direita que se encontra na cadeia, à Procuradoria-Geral da República, em Junho passado.» in http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=1977989&especial=Revistas%20de%20Imprensa&seccao=TV%20e%20MEDIA

Vídeo:
http://www.tvi24.iol.pt/economiapolitica/jose-socrates-offshor-caimao-gibraltar-investigacao-tvi24/1278003-4072.html

Desporto Futebol de Praia - Portugal 8 vs Japão 2 - A seleção portuguesa conquistou hoje o Mundialito de futebol de praia, que decorreu na praia da Baía, em Espinho, ao golear o Japão.

Mundialito de Praia: Portugal vs Hungria

«Portugal conquista Mundialito em Espinho

A goleada ao Japão confirmou a superioridade lusa no torneio realizado na praia da Baía.

A seleção portuguesa conquistou hoje o Mundialito de futebol de praia, que decorreu na praia da Baía, em Espinho, ao golear o Japão por 8-2.

A formação lusa cumpriu assim com o favoritismo, tendo terminado o torneio com três goleadas, depois de na sexta-feira ter derrotado a Hungria por 5-0 e de no sábado ter batido os Estados Unidos por 14-1.

No encontro de hoje, Portugal demonstrou desde cedo a sua superioridade, tendo chegado ao final do primeiro período a vencer por 3-0, atingido o segundo com 7-2 e fechado o embate nos 8-2.

José Maria, com três golos, foi o melhor marcador luso na partida, tendo sido secundado por Belchior (2), Jordan (1), Madjer (1) e Alan (1), enquanto Ozu marcou os dois tentos da formação nipónica.

No outro encontro da jornada, a Hungria venceu os Estados Unidos por 5-2 e terminou o torneio na terceira posição, logo atrás dos japoneses e à frente dos norte-americanos.» in http://desporto.sapo.pt/mais_modalidades/artigo/2014/07/27/portugal-conquista-mundialito-em-espinho

História - O Desastre Ferroviário de Custóias, igualmente conhecido como Desastre de Custóias, foi um acidente ferroviário ocorrido em 26 de Julho de 1964, na Linha do Porto à Póvoa e Famalicão, em Portugal, que resultou em 90 mortos e 105 feridos.



«Desastre Ferroviário de Custóias

O Desastre Ferroviário de Custóias, igualmente conhecido como Desastre de Custóias, foi um acidente ferroviário ocorrido em 26 de Julho de 1964, na Linha do Porto à Póvoa e Famalicão, em Portugal, que resultou em 90 mortos e 105 feridos.

Na noite de 26 de Julho de 19641 , um comboio, composto pela automotora 9309 e por um reboque, estava a viajar da Póvoa de Varzim para o Porto, na Linha do Porto à Póvoa e Famalicão, com um grande número de passageiros, que regressavam de um fim de semana na praia. Quando a automotora estava a passar pela zona de Custóias, a cerca de 9 quilómetros de distância do Porto, o reboque soltou-se e descarrilou, tendo chocado contra o paredão de uma ponte, e incendiado-se em seguida. O comboio encontrava-se a circular a uma velocidade de cerca de 80 quilómetros por hora. O reboque estava completo, com todos os 68 lugares sentados ocupados, e os restantes passageiros a pé.

Foi, até à data, o pior acidente ferroviário em Portugal, tendo falecido 90 pessoas , e ficado feridas outras 1051 , tendo 74 ficado hospitalizadas.

No local, estiveram os Bombeiros Voluntários de Leixões.

Logo após a ocorrência, foi organizada uma comissão de três engenheiros da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses, auxiliados por três técnicos da Direcção-Geral de Transportes Terrestres, para realizar um inquérito, e apurar as responsabilidades. O relatório produzido pela comissão foi entregue à Direcção-Geral, e apresentado ao Ministério das Comunicações, tendo sido, por sua vez, revisto por uma outra comissão da Direcção-Geral.

Apurou-se que o reboque circulava com excesso de peso, uma vez que a sua capacidade máxima era de 100 passageiros, embora viajassem no seu interior, na altura do acidente, cerca de 300 pessoas; este factor, aliado a um possível excesso de velocidade, provocou a quebra dos engates entre o reboque e a automotora, e o consequente descarrilamento do reboque. O motorista negou que a sua velocidade era superior a 50 quilómetros, embora alguns passageiros e o revisor tenham afirmado que o comboio circulava em excesso de velocidade.» in http://pt.wikipedia.org/wiki/Desastre_Ferrovi%C3%A1rio_de_Cust%C3%B3ias


Pin It button on image hover