31/03/11

Amarante - Ainda o Dia do Pai Nosso da Beatriz, na Igreja Matriz de São Gonçalo de Amarante!

1
2
Fica aqui mais um registo que a Beatriz jamais esquecerá!

Amarante Política Local: Armindo Abreu comenta processo de encerramento da Linha do Tâmega!


«Armindo Abreu comenta processo de encerramento da Linha do Tâmega

Autarca de Amarante diz sentir-se "desrespeitado pelo Governo"

O presidente da câmara de Amarante, Armindo Abreu (PS), disse esta quinta-feira à agência Lusa sentir-se "desrespeitado pelo Governo" no processo de encerramento da Linha do Tâmega.

"Sinto-me desrespeitado, porque deveria ter sido informado previamente pelo Ministério das decisões", afirmou.

"O presidente da autarquia reafirmou que aguarda desde o Verão para ser recebido pelo secretário de Estado dos Transportes, Carlos Correia da Fonseca, sem que até hoje haja resposta do seu gabinete".

"Lamento muito a forma como o senhor secretário de Estado tem gerido este dossiê sem nos dar qualquer informação", acrescenta o edil.

O único troço da linha do Tâmega que ainda se mantinha com circulação regular foi encerrado no final de Março de 2009 com o argumento de que eram  necessárias obras de requalificação.

Poucos dias depois, a então secretária de Transportes, Ana Paula Vitorino, deslocou-se a Amarante, onde garantiu aos autarcas da região, incluindo o de Marco de Canaveses, concelho também servido pela linha, que a infra-estrutura voltaria a funcionar.

A secretária de Estado foi recebida nesse dia em Amarante com protestos da população que temia que o anúncio das obras justificasse apenas o encerramento do troço.

Os carris da linha desde Amarante até à Livração (Marco de Canaveses) foram levantados nos meses seguintes, mas a obra de requalificação nunca mais avançou com o argumento da crise orçamental, assumido em Julho de 2010 pelo Governo.

Já nessa altura, numa reação à decisão da tutela, o autarca de Amarante, assumia à Lusa "estar estupefacto, porque havia compromissos solenes de  membros do Governo".

"Vou pedir com carácter de urgência uma audiência com o senhor ministro das Obras Públicas para lhe manifestar o nosso profundo descontentamento", afirmava à Lusa o autarca socialista.

Oito meses depois, Armindo Abreu ainda não obteve resposta aos pedidos de audiência, afirmando "estar de mãos atadas neste processo", aguardando pelo novo Governo para procurar perceber o que se perspectiva para a Linha do Tâmega.

Dois anos depois do encerramento da ligação ferroviária centenária,  Alfredo Gonçalves, porta-voz da Comissão de Defesa da Linha do Tâmega, lamenta o que se está a passar.

Em declarações à agência Lusa, "lamenta que tudo tenha sido tratado  nos gabinetes para que ninguém soubesse o que se estava a decidir".

O representante da comissão lembra que, em Março de 2009, alertou que o anúncio de obras na linha e a consequente suspensão de circulação por dois anos "era apenas para iludir e enganar a população".

"Já se sabia que eles queriam encerrar a linha", vincou.» in http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/autarca-de-amarante-diz-sentir-se-desrespeitado-pelo-governo 
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mais vale tarde do que nunca, pena é que desta vez já não se vá a tempo e assim, Amarante continua sempre a perder... infelizmente!

30/03/11

Arquitectura Portuguesa - Prémio Pritzker para o Arquitecto Souto de Moura!

«Um Pritzker para Souto de Moura

29.03.2011 - Por Fora de Série, às 18:38

Foi o acontecimento da semana. O arquitecto português, Eduardo Souto de Moura, foi distinguido com o prémio Pritzker, atribuído pela Hyatt Foundation e considerado o prémio Nobel da Arquitectura. A notícia causou algum burburinho porque, supostamente, o anúncio oficial do prémio estava previsto apenas para 11 de Abril, acabando por ser antecipado devido a uma fuga de informação no site de arquitectura scalae.net.
É a segunda vez que um arquitecto português recebe este prestigiado galardão. O primeiro foi, em 1992, Álvaro Siza Vieira, de quem Souto de Moura foi discípulo. Em comunicado, o júri do prémio, que destacou o Estádio Municipal Braga, entre as obras realizadas por Souto de Moura, e elogiou ao arquitecto a sua capacidade única de conciliar opostos como “o poder e a modéstia, a coragem e a subtileza”.
De acordo com José Fernando Gonçalves, presidente do conselho directivo regional Norte da Ordem dos Arquitectos, a atribuição deste prémio, que deverá ser entregue a Souto de Moura em Junho, “é o justo reconhecimento de um trabalho que [este] vem a desenvolver há anos com enorme coerência, determinação e sensibilidade” e também “uma honra para a arquitectura portuguesa”. IQ» in http://foradeserie.economico.sapo.pt/21854.html

«Eduardo Souto de Moura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eduardo Souto de Moura
Eduardo Souto de Moura.jpg
Informações pessoais
Nome completoEduardo Elísio Machado Souto de Moura
NacionalidadePortugal Português
Nascimento25 de Julho de 1952 (58 anos)
Porto
Projetos significantes
PrêmiosPrémio Pessoa (1998)
Prémio Pritzker (2011)
Eduardo Elísio Machado Souto de Moura (Porto25 de Julho de 1952) é um arquitecto português.[1]
É filho de José Alberto Souto de Moura (Braga), médico, e de sua mulher Maria Teresa Ramos Machado e irmão do 9º Procurador-Geral da República Portuguesa José Adriano Machado Souto de Moura e de Maria Manuela Machado Souto de Moura (21 de Abril de 1949), casada a 4 de Setembro de 1976 com António José Durão da Costa Pereira (Porto, 24 de Fevereiro de 1948), com geração.
Trabalhou com Álvaro Siza Vieira, mas cedo criou o seu próprio espaço de trabalho. Souto Moura, influenciado pela horizontalidade das linhas condutoras de Mies van der Rohe, tem nas casas o seu grande espólio de obras. É um dos expoentes máximos da chamada Escola do Porto,[1] vencedor do Prémio Pritzker em 2011.[2]

Índice

 [esconder]

[editar]Vida

Formado pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, Eduardo Souto de Moura iniciou a sua carreira colaborando no atelier de Álvaro Siza Vieira. Em 1981, recém-formado, surpreendeu a comunidade dos arquitectos vencendo o concurso para o importante projecto do Centro Cultural da Secretaria de Estado da Cultura no Porto (1981-1991) que o viria a lançar, dentro e fora de Portugal, como um dos mais importantes arquitectos da nova geração. O seu reconhecimento internacional viria a reforçar-se com a conquista do primeiro lugar no concurso para o projecto de um hotel na zona histórica deSalzburgo, na Áustria, em 1987.
A partir da Casa em Cascais, realizada em 2002, começou a afastar-se da linguagem miesziana que o definiu numa primeira fase da sua obra, começando a redesenhar a forma de construir e criar arquitectura através da complexidade e dinamismo de formas, mas sempre com o cuidado do desenho espacial habitual. Exemplo disso é o Estádio Municipal de Braga, onde o imaginário de teatro e ocenário da pedreira, onde a obra foi edificada, nada nos remetem às primeiras obras do arquitecto, mas muito mais a uma segunda etapa que dá, agora, os primeiros passos.
Tem nestes anos recentes dado alguns passos no campo do design de produto.

[editar]Obra

[editar]Prémios

[editar]Fotos

[editar]Bibliografia

  • Antonio Angelillo; Eduardo Souto Moura, Col. Monografias, Ed. Blau
  • Antonio Esposito e Giovanni Leoni; Eduardo Souto de Moura, Ed. Gustavo Gili, 2003
  • Antonio Esposito e Giovanni Leoni; Eduardo Souto de Moura, Col. Archipockets, Ed. Phaidon, 2004
  • Aurora Cuito; Eduardo Souto de Moura, Ed. Dinalivro
  • Eduardo Souto de Moura; Construir no Tempo, Ed. Estar
  • Eduardo Souto de Moura; Pavilhão Multiusos, Porto, Civilização Editora
  • Eduardo Souto de Moura; Vinte e Duas Casas, Ed. Caleidoscópio
  • José Manuel das Neves; Eduardo Souto de Moura - Habitar, Col. Arquitecturas, Ed. Caleidoscópio
  • Michele Cannatà e Fátima Fernandes; A Arquitectura do Metro, Porto, Civilização Editora, ISBN 972-26-2463-3
  • Michele Cannatà e Fátima Fernandes; Estádio Municipal de Braga, Porto, Civilização Editora
  • Vários autores; CdO - Cadernos d'Obra - Revista Científica Internacional de Construção, Porto, FEUP Edições, ISBN 9789727521081
  • Vários autores; "Souto de Mora" in Revista 2G, n.º 5, 1998
  • Vários autores; Souto de Moura Works And Projects, Ed. Architectural Documents
  • Werner Blaser; Eduardo Souto Moura – Stein Element Stone, Ed. Birkhauser

Referências

  1. ↑ a b c "Souto Moura vence o prémio Pritzker 2011, o Nobel da arquitectura - Cultura - PUBLICO.PT". 29 de março de 2011.
  2.  Marques, Vanda (29 de Março de 2011). Nobel da arquitectura para Eduardo Souto de Moura. iOnline. Página visitada em 29 de Março de 2011.
  3.  Edifício Burgo: o projecto, a obra, as tecnologias - CdO - Cadernos d'Obra - Revista Científica Internacional de Construção, Nº 1 Janeiro 2009
  4.  Serpentine Gallery Pavilion de Siza e Souto Moura: inauguração e conversa - Ordem dos Arquitectos Secção Regional Norte
  5.  Centro de Arte Contemporânea Graça Morais - Projecto Arquitectónico- Prémio Internacional de Arquitectura 2009 atribuído pelo 'The Chicago Athenaeum Museum of Architecture and Design'

[editar]Ligações externas

Wikiquote
Wikiquote possui citações de ou sobre: Eduardo Souto de Moura

----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quero desta forma singela, endereçar os meus sinceros parabéns ao Arquitecto Souto Moura, por mais esta merecida distinção, que leva o nome da arquitectura portuguesa a um patamar bem alto. Por ser uma pessoa que não se inebria com o prémios, também diz muito da sua personalidade ilustre e ensina-nos que o mérito obtém-se com valia intrínseca e com muito trabalho e dedicação às causas. Parabéns, Sr. Arquitecto Souto Moura!




Eduardo Souto de Moura - (Pritzker 2011)
Pin It button on image hover