30/04/10

Skunk Anansie- Grande Banda Norte Americana!



Skunk Anansie - "You'll Follow Me Down"

Pavaroti & Friends - "You'll Follow Me Down"

Skunk Anansie - "Brazen" - (weep)

Skunk Anansie - "Hedonism"

Skunk Anansie - "Weak" - (acoustic and live)

Skunk Anansie - "Because of You"

Skunk Anansie - "Because Of You" - (Live and Acoustic)

Skunk Anansie - "You cant Find Peace"

Skunk Anansie - "Secretly" - (uncut)

Skunk Anansie - "Infidelity"

Skunk Anansie - "Lately"

SKUNK ANANSIE - "I Can Dream"

Skunk Anansie - "Tear The Place Up"

Skunk Anansie - "Selling Jesus"

«Skunk Anansie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Skunk Anansie
Skin of Skunk Anansie in Glastonbury.jpg
Skin
Informação geral
OrigemLondres, Inglaterra
País Reino Unido
Gênerosbritrock
Período em atividade1994 - 2001; 2009 - actualidade
GravadorasOne Little Indian, Virgin Records, Epic Records
Integrantes
Ace
Cass
Mark Richardson
Skin
Robbie France

Skunk Anansie é uma banda de rock britânica, formada em 1994. A banda separou-se em 2001 mas voltou a juntar-se em 2009. O membro mais notável é a vocalista, de cabeça rapada, Deborah Dyer (pseudónimo Skin).

Índice

[esconder]

[editar] Membros do grupo

  • Skin (Deborah Dyer)
  • Cass (Richard Lewis)
  • Ace (Martin Kent)
  • Mark Richardson

[editar] A banda

Skunk Anansie faz parte do movimento de rock alternativo britânico (britrock). Skin, a vocalista e líder do grupo, era então acompanhada por Ace à guitarra, Cass no baixo e Mark na bateria. Desde a sua formação em 1994, o grupo lançou três álbuns: " Paranoid & Sunburnt" , "Stoosh" e " Post Orgasmic Chill" vendendo mais de 4 milhões de exemplares em todo o mundo. O grupo foi sobretudo conhecido pelo seu single " Weak" , mas teve igualmente uma série de outros sucessos ("Charity" , " Hedonism" e " Charlie Big Potato"). Em 2001, o grupo decidiu separar-se. Ace realizou um álbum a solo (" Still Hungry"), Mark substituiu o percussionista do grupo Feeder e Skin prosseguiu uma carreira a solo. Em 2009, a banda voltou a juntar-se, iniciando uma digressão em Portugal, passando pelo Coliseu dos Recreios, em Lisboa, e pelo Coliseu do Porto, no Porto.[1]

[editar] Discografia

Referências

"

You'll Follow Me Down
Skunk Anansie

Survived tonight
I may be going down
'Cos everything goes round too
Tight, tonight
And as you watch me crawl
You stand for more

And your panic stricken
Blood will thicken up tonight
'Cos I don't want you to forgive me
You'll follow me down
You'll follow me down
You'll follow me down

Survive tonight
I see your head's exposed
So we shall kill
Constructive might
It's so right as your emotions fool you
My strong will rule

And your panic stricken
Blood will thicken up tonight
'Cos I don't want you to forgive me
You'll follow me down
You'll follow me down
You'll follow me down

I won't feel restraint
Watching you close sense down
I can't compensate
That's more than I've got to give

And your panic stricken
Blood will thicken up tonight
'Cos I don't want you to forgive me
You'll follow me down
You'll follow me down
You'll follow me down

'Cos I don't want you to forgive me
You'll follow me down
You'll follow me down
You'll follow me down"

AMARANTE - Círculo Lago Cerqueira edita Diário do General Silveira e livro sofre a Defesa da Ponte de Amarante em 1809 nas Invasões Francesas!

«AMARANTE: Círculo Lago Cerqueira edita Diário do General Silveira e livro sofre a Defesa da Ponte de Amarante em 1809 nas Invasões Francesas
(29-04-2010)

DR
© Todos os direitos reservados

Apresentação de ambas as obras decorrerá no próximo domingo, a partir das 10 horas, no jardim da Casa da Calçada

-

O Círculo Lago Cerqueira vai apresentar, no próximo domingo, dia 2 de Maio, na Casa da Calçada, em Amarante, o Diário Oficial do General Silveira, que relata os momentos vividos aquando da heróica defesa da ponte de Amarante nas Invasões Francesas de 1809.
A edição deste diário recupera alguns textos do “Diário Oficial das operações do General Francisco da Silveira desde a Invasão dos Franceses até a sua total expulsão destes reinos”, publicado no mês de Junho de 1809, logo após a retirada dos franceses de Amarante.
A par da publicação do Diário do General Silveira, oficial que comandou as tropas portuguesas que durante 14 dias impediram a progressão das tropas de Napoleão na então vila de Amarante, o Círculo Lago Cerqueira vai apresentar também uma obra sobre a Defesa da Ponte de Amarante em 1809 nas Invasões Francesas.
Ambos os livros, que resultam da investigação realizada por Pedro Alves Pinto e compilação de vários textos que descrevem e enaltecem o heróico acto da resistência em Amarante às investidas dos militares de Napoleão em 1809, serão apresentados no domingo, dia 2 de Maio, a partir das 10 horas, no jardim da Casa da Calçada, em Amarante.
“Julgamos que ao enunciar a descrição destes dias - desde meados de Março até ao dia 9 de Maio – deparamo-nos com o período mais interessante para Amarante, já que retrata o que de mais importante aconteceu nesse período, sob o olhar do General Silveira, um dos protagonistas do nosso exército nessa época”, refere Pedro Alves Pinto.
A edição de ambos os livros pretende assinalar a passagem dos 200 anos das Invasões Francesas cujas comemorações da heróica defesa da ponte de Amarante se concluem com a passagem de mais um ano no início deste mês de Maio.
A partir de 1 de Maio o Círculo Lago Cerqueira promove também uma exposição acerca das invasões francesas de 1809, em Amarante, que se manterá patente, na Doçaria Mário, situada na rua Cândido dos Reis, até ao dia 6 de Junho.» in http://www.tamegaonline.info/v2/noticia.asp?cod=3088

29/04/10

Amarante - Jardim do Rio, Fregim, Primavera de 2010, com a Primavera mais consolidada!


Jardim Rio, Fregim, Amarante, Primavera 2010, agora cada vez mais pujante!


"É PRECISO AVISAR TODA A GENTE
TRANSMITINDO ESTE MORSE DE DORES
É PRECISO NECESSÁRIO E URGENTE
MAIS FLORES MAIS FLORES MAIS FLORES"

(O Meu Amigo e Poeta Ângelo Ôchoa enviou-me esta quadra de quem já não recorda a autoria e que leu nos Míticos Anos Sessenta e que assenta como uma luva, nas simples flores da minha Mãe! Obrigado, Amigo!)

28/04/10

Andebol: S.L. Benfica 21 vs F.C. do Porto Vitalis 20 - Dragões têm agora apenas quatro pontos de avanço sobre o 2.ª Classificado desta Fase Final!

«Derrota não abala liderança do FC Porto Vitalis

Jogo muito equilibrado nesta quarta jornada da Fase Final do Campeonato de Andebol, com FC Porto Vitalis e Benfica a alternarem constantemente de posição no marcador. Acabou por vencer a equipa da casa, por 21-20, sendo que os Dragões permanecem, ainda assim, na liderança da prova, agora com mais quatro pontos do que o segundo classificado.
Os azuis e brancos chegaram a estar em vantagem em alguns momentos da partida, mas acabaram por não se mostrar tão eficazes como habitualmente no ataque, permitindo que o adversário se adiantasse no resultado.
Apesar da derrota, os Campeões Nacionais mantêm-se no primeiro lugar da classificação, recebendo na próxima ronda o Sporting, no Pavilhão Dragão Caixa, em mais um clássico do andebol português.» in site F.C. do Porto.

Liga dos Campeões - O Técnico Português, José Mourinho, coloca Inter na Final, provando à saciedade que continua a ser um Técnico Especial!

«Mourinho na final pela segunda vez

O Inter de Milão junta-se ao Bayern de Munique na final da Liga dos Campeões, já que no cômputo das duas mãos conseguiu vencer por 3-2 o Barcelona.
A equipa de José Mourinho está na final da Liga dos Campeões, mesmo tendo perdido esta noite no campo do Barcelona, por 1-0. O resultado não foi suficiente para a formação catalã poder revalidar o título da época passada.
Com a desvantegem de dois golos trazida de Milão, o Barcelona fez o que lhe competia durante os 90 minutos, atacando. Os "nerazzuri" montaram uma verdadeira fortaleza à frente de Júlio César, que apenas por uma vez foi rompida.
Aos 83 minutos, Gerard Piqué, fez aquilo que nem Messi nem Ibrahimovic conseguiram, e apontou o único golo da noite. Pouco depois, os adeptos catalães ainda gritaram golo pela segunda vez, mas o árbitro já tinha interrompido a partida.
Ainda na primeira parte, logo aos 27 minutos, o Inter ficou reduzido a 10 unidades, por vermelho directo a Thiago Motta, que fez falta sobre Pedro Rodriguez. Aos 33', o melhor lance da primeira parte: Messi "encheu" o pé e permitiu ao guardião milanês fazer uma intervenção à altura.
José Mourinho chega a uma final da Liga dos Campeões pela segunda vez, depois de ter levado o FC Porto ao título, em 2004, enquanto o Inter vai à procura do seu terceiro título europeu (1964 e 1965). A última vez que a equipa italiana conseguiu chegar à final foi em 1972.» in http://desporto.sapo.pt/futebol/liga_dos_campeoes/artigo/2010/04/28/mourinho_na_final.html


FC Barcelona vs Inter Mailand 1 - 0 - (28.04.2010)

Amarante - Ora cá está um belíssimo Postal Turístico, apresentado a imponente Casa de Freitas, na Freguesia de Freixo de Baixo!

Mesmo sem os meios de hoje, antigamente sabiam promover Amarante!

Sociedade - Desculpem lá Jovens, mas também não gosto da moda das calças descaídas!







«A Moda das calças descaídas...

Porque é que entrou na moda os rapazes usarem as calças por baixo do rabo? É de facto algo fora do normal e de facto algo de muito mau gosto! Andar com os boxers à mostra!

A VERDADEIRA HISTÓRIA

Esta tendência nasceu nas prisões dos Estados Unidos.
Os reclusos que estavam receptivos a relações sexuais com outros homens tiveram que inventar um sinal que passasse despercebido aos guardas prisionais para não sofrerem consequências...
Por isso, quem usasse calças descaídas por baixo do rabo estava somente a mostrar que estava disposto a ter sexo anal com outros homens...
Look super cool!...
Era bom que divulgassem isto pelos miúdos, talvez sabendo a essência deste gesto mudem a sua postura!!!»

27/04/10

Futebol - Eis um Grande Exemplo de Fair Play que nos chega da Holanda... será que em Portugal isto seria possível?!




Ajax - (Fair Play)

"Existem situações na vida que nos fazem acreditar que é sempre possível sermos melhores do que somos!


Temos aqui um bom exemplo:


Durante um jogo de futebol, na Holanda, um jogador da equipa devermelho - o Ajax - sofreu uma falta e ficou magoado, caído no chão.
Um dos jogadores da equipa adversária - equipada de amarelo - como é hábito, atirou a bola para fora para que o jogador magoado fosse atendido.
Quando o jogador ficou recuperado o lançamento pertenceu ao Ajax (de vermelho) e, como manda o desportivismo, um jogador do Ajax tentou devolver a bola para o campo do adversário. Só que o fez de forma desajeitada e, sem querer, acabou por meter golo!
Todos, incluindo o jogador que, sem querer, meteu golo, ficaram atrapalhados. Mas o árbitro considerou o golo válido!
A bola voltou ao centro para o jogo ser retomado com aquele injusto resultado.
Foi nesse momento que os jogadores do Ajax, com grande espírito desportivo, rapidamente tomaram uma resolução: Ficarem todos quietos para permitir à equipa adversária - os de amarelo - fazerem eles também um golo para repor a justiça no resultado. E foi isso que aconteceu!!!
É impressionante o sentido de justiça da equipa do Ajax - de vermelho - e o bom entendimento entre todos eles para que nenhum se movimentasse. Eles queriam ganhar, mas a vitória teria que ser "limpa" e "justa"!"

Poesia - O Meu Amigo e Poeta, Ângelo Ôchoa, Encanta-nos, com "Encantos, olhos abertos"!



Poema do Ângelo Ochôa - "Encantos, olhos abertos..."

"Encantos,
olhos abertos.
Raiva,
punhos cerrados.
Asas,
mãos a céus.
Mágoa,
do passado.
Prece,
livro a ler.
Esperança,
nome gravado.
Fúria,
fome de pão.
Luta,
teu bordado.
Vida,
tu a dizes,
meiga rosa,
verde prado.
Morte,
estar vivo.
Palavra,
ai pesado.
Isto dito,
eis retrato
esboçado.
Durmo, velo,
’s’sperado;
fujo, fico
do teu lado.
Voo, tombo,
atordoado.
Amo, espero,
arrojado;
por flores
aluado.
Esta paz,
lago habitado,
canto:

Chilreado,
alma, voz, som,
sopro alado.
Paira noite,
chão chovido.
Abre o dia,
fim datado.
Abre a luz,
dou-me enleado:
Abrigada,
céu, e fado.
Se me ama,
bondade
demasiada,
não lembra
nenhum pecado.
O choro
já chorou.
Vigia
os dedos
na r’scrita.
Margem,
água,
poesia,
onde
tomba
uma pétala.
Põe os olhos
em mim.
Me quer,
me tem.
Gozo infindo
seu regaço:
Mãe,
mulher,
calhandra,
senha, recado.
Baixinho
sussurra-me
ao ouvido.
Sacia-me
do mel,
manjar sagrado.

Sonha-me
um sonho
sobre
meu ombro
reclinada.
Meu tu,
meu tudo,
asa, porta, ave,
cofre do
divino cheiro,
M.

in
Sonhadas Palavras Rescritas
Poeta Ângelo Ôchoa!"

26/04/10

Basquetebol: F.C. do Porto Ferpinta 90 vs Barreirense 61 - Dragões passam aos Playoffs e Terminam a Fase Regular em 3.º Lugar!

«Dragões afastam Barreirense e defrontam Académica nos playoffs

O FC Porto Ferpinta venceu, este domingo, o Barreirense, por 90-61, em jogo disputado no Dragão Caixa referente à 22ª e última jornada da fase regular da Liga, que os Dragões concluíram na terceira posição. A Académica é o adversário dos azuis e brancos nos quartos-de-final dos playoffs.
Greg Stempin distinguiu-se como o MVP da partida, ao somar 14 pontos, 8 ressaltos, 2 assistências, 6 roubos de bola e 3 desarmes de lançamento, não conseguindo, todavia, a condição de melhor marcador, assegurada pelo também portista Jeremy Hunt, que revelou uma eficácia absoluta nos lançamentos de dois pontos e na linha de lances livres, convertendo ainda três dos cinco triplos tentados.
Nas duas primeiras partidas dos quartos-de-final dos playoffs, agendadas para sexta-feira e domingo, os azuis e brancos recebem, no Dragão Caixa, a Académica, o sexto classificado da época regular.» in site F.C. do Porto.» in site F.C. do Porto.

25/04/10

Comemoração do Dia 25 de Abril 2010 - "Spínola, o ‘anti-herói’ da revolução de Abril1"

«Spínola, o ‘anti-herói’ da revolução de Abril



25 de Abril de
 2010, 00:42


Quase 36 anos depois de se tornar o primeiro Presidente da República do período revolucionário, o Marechal António de Spínola continua a ser uma das mais controversas figuras da História nacional. Era um homem do regime marcelista ou antes um herói da revolução de Abril de 74?


Durante anos, Portugal esteve de costas voltadas para a controversa figura do Marechal Spínola: militar destacado no Ultramar, conquistou simpatias durante o Estado Novo, tendo inclusive sido convidado, pelo presidente do Conselho de Ministros, Marcelo Caetano, para ocupar a pasta de Ministro do Ultramar em 1973.


‘Spínola é um homem do regime desde o início’, recorda Luís Nuno Rodrigues. Para o historiador e autor da biografia ‘Spínola’ (agora lançada pela Esfera dos Livros), o Marechal desenvolveu durante o Estado Novo uma relação de proximidade e de identificação com o regime ditatorial.


Quando Marcelo Caetano chega à Presidência do Conselho de Ministros, em 1968, Spínola encarou ‘com esperança' a sua chegada ao poder, recorda o historiador, já que partilhava com ele a defesa de uma política colonial de índole federalista.


A desilusão com Caetano levaria Spínola a dar uma ‘machadada definitiva’ no marcelismo, com a publicação do livro ‘Portugal e o Futuro’, onde inscreve a sua própria visão daquilo que deveria ser a descolonização portuguesa. ‘Foi uma pedrada no charco’, entende Luís Nuno Rodrigues.


Na primeira linha da revolução


No dia 25 de Abril de 1974, e com o Movimento das Forças Armadas (MFA) na rua, o Marechal Spínola acaba por se assumir como o rosto forte dos militares, pela própria ‘dinâmica dos acontecimentos’: ‘Marcelo Caetano entra em contacto directo com o General Spínola e pede a Spínola que se dirija ao Largo do Carmo, para lhe apresentar a sua rendição’, recorda Luís Nuno Rodrigues.


Mas, ainda que se considerasse representante dos militares, as diferenças ideológicas eram, em boa parte dos casos, intransponíveis: ‘a relação entre Spínola e o MFA é uma relação de conflito desde o primeiro dia’, em matérias como a descolonização. Em última análise, são essas divergências que o levariam a demitir-se da Presidência da República, em ruptura com o projecto político defendido pelos militares.


Crítico da do rumo esquerdista que Portugal tomou no período pós-revolucionário, acaba por envolver-se na tentativa de golpe de Estado de 11 de Março de 1975, com o objectivo de retomar o poder. O golpe falha e revela-se ‘uma tragédia na vida pessoal de António de Spínola’: parte para o exílio, onde conspira para evitar a total aplicação do programa do MFA.


Reconciliação com Portugal


Depois da passagem pelo exílio, a reconciliação com os portugueses não se revela fácil: ‘Spínola regressa a Portugal em 1976 e é preso ainda no aeroporto, embora saia em liberdade passados alguns dias. Mas, lentamente, a democracia viria a reintegrar a figura do General'.


Para essa reconciliação, contribuíram os ex-presidentes Ramalho Eanes e Mário Soares. Só em 1987, por exemplo, é que Soares reconhece publicamente a importância de Spínola na consolidação do novo regime democrático, mas ainda hoje a imagem do Marechal (sempre associada ao monóculo no rosto e ao pingalim na mão) continua a gerar aceso debate.


‘Spínola’, o livro agora publicado por Luís Nuno Rodrigues, vem ajudar a superar sentimentos passados. Para o historiador, só a passagem do tempo permitiu um outro olhar sobre o ex-presidente: ‘a pouco e pouco, estamos a passar da memória à História, e portanto hoje já é possível ter uma visão mais distanciada e imparcial dos acontecimentos e figuras desse período’. @Marco Leitão Silva» in http://noticias.sapo.pt/info/artigo/1058815.html

Um livro que tenta descobrir mais verdade sobre Spínola, agora que já estamos mais afastados historicamente dos acontecimentos quentes da revolução...

Comemoração do Dia 25 de Abril com a Poesia de Ary dos Santos e com Excelentes Interpretações Musicais!



Rua da Saudade - "Retalhos" - (Luanda Cozetti)

Rua da Saudade - "Canção de Madrugar" - (Susana Félix)

Rua da Saudade - "Canção de Madrugar" - (Showcase Montepio)

Rua da Saudade - "Cavalo à Solta" - (Viviane)

Rua da Saudade - "Cavalo à Solta" - (Showcase Montepio)

Fernando Tordo - "Cavalo à Solta" - (Ary dos Santos)

Rua da Saudade - "Estrela da Tarde" - (Mafalda Arnauth)

Rua da Saudade - "Estrela da Tarde" - (Showcase Montepio)

Carlos do Carmo - "Estrela da Tarde"

Rua da Saudade - "Dizer que sim à Vida" - (Luanda Cozetti)

Rua da Saudade - "Dizer que sim à Vida" - (Showcase Montepio)

Rua da Saudade - "Canção do Tempo" - (Luanda Cozetti e Mafalda Arnauth)

Rua da Saudade - "Café" - (Susana Félix e Viviane)

Rua da Saudade - "Rock Chock"

Rua da Saudade - "Rock Chock" - (Showcase Montepio)

(Espectáculo de Homenagem a ARY DOS SANTOS - POETA DE CANÇÕES)

Rua da Saudade - (Homenagem a Ary dos Santos)

Rua da Saudade

"Rua da Saudade nas Manhãs da Comercial"

Teresa Silva Carvalho - "Adágio" - (Cantar José Carlos Ary dos Santos)

Ary dos Santos - "Muitos Homens na Prisão" - (1977)

Ary dos Santos - "Tomar Partido"

Ary dos Santos - "A António Saunier"

«Canções de Ary dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Canções de Ary dos Santos
Álbum de tributo por Rua da Saudade
Lançado em Flag of Portugal.svg 9 de Novembro de 2009
Gravado em 2009
Gênero(s) Pop, jazz, bossa Nova
Gravadora(s) Farol
Opiniões da crítica
Disco Digital link


Singles de Canções de Ary dos Santos
  1. "Canção de Madrugar"
Canções de Ary dos Santos, lançado a 9 de Novembro de 2009 e produzido por Renato Jr., é um álbum que recorda a obra de Ary dos Santos, 25 anos após a sua morte.[1]
Com 11 canções compostas por Fernando Tordo, Nuno Nazareth Fernandes e Tózé Brito, surgem a dar voz às letras originais de Ary dos Santos Mafalda Arnauth, Susana Félix, Viviane e Luanda Cozetti.[2]

[editar] Alinhamento

  1. Café (Susana Félix/Viviane)
  2. Cai Cai (Susana Félix)
  3. Canção de Madrugar (Susana Félix)
  4. Canção do Tempo (Luanda Cozetti/Mafalda Arnauth)
  5. Cavalo à Solta (Viviane)
  6. Dizer Que Sim à Vida (Luanda Cozetti)
  7. Estrela da Tarde (Mafalda Arnauth)
  8. Kirie (Mafalda Arnauth)
  9. Quando um Homem Quiser (Viviane)
  10. Retalhos (Luanda Cozetti)
  11. Rock Chock (Susana Félix/Mafalda Arnauth/Viviane/Luanda Cozetti)
[3]

Referências

  1. Novo disco «Rua da Saudade» recorda Ary dos Santos (vídeo)em www.tvi24.iol.pt/musica
  2. «Canções de Ary dos Santos», Rua da Saudadeem diariodigital.sapo.pt
  3. cotonete.clix.pt/artistas Rua da Saudade . Rua da Saudade RÁDIO» in Wikipédia.

"Tourada
Música de Fernando Tordo. Escrito no final de 1972. Interpretada por Fernando Tordo, concorreu ao Festival da RTP de 1973 onde obteve o 1º lugar. Interpretado por Fernando Tordo no disco TECLA TE 2006.


Não importa sol ou sombra
camarotes ou barreiras
toureamos ombro a ombro
as feras.
Ninguém nos leva ao engano
toureamos mano a mano
só nos podem causar dano
espera.
Entram guizos chocas e capotes
e mantilhas pretas
entram espadas chifres e derrotes
e alguns poetas
entram bravos cravos e dichotes
porque tudo o mais
são tretas.
Entram vacas depois dos forcados
que não pegam nada.
Soam brados e olés dos nabos
que não pagam nada
e só ficam os peões de brega
cuja profissão
não pega.
Com bandarilhas de esperança
afugentamos a fera
estamos na praça
da Primavera.
Nós vamos pegar o mundo
pelos cornos da desgraça
e fazermos da tristeza
graça.
Entram velhas doidas e turistas
entram excursões
entram benefícios e cronistas
entram aldrabões
entram marialvas e coristas
entram galifões
de crista.
Entram cavaleiros à garupa
do seu heroísmo
entra aquela música maluca
do passodoblismo
entra a aficionada e a caduca
mais o snobismo
e cismo...
Entram empresários moralistas
entram frustrações
entram antiquários e fadistas
e contradições
e entra muito dólar muita gente
que dá lucro as milhões.
E diz o inteligente
que acabaram asa canções.
in SANTOS, Ary dos, As Palavras das Cantigas (organização, coordenação e notas de Ruben de Carvalho). Lisboa, Edições Avante, 1995."

Liga Sagres: Vitória de Setúbal 2 vs F.C. do Porto 5 - Os Senhores da Liga, do Clube do Regime, bem tentam abater Falcao, mas ele continuará a Voar...

«Perfume sul-americano na vitória no Bonfim


Foram cinco golos sul-americanos que deram ao FC Porto uma vitória justa e robusta sobre o Vitória de Setúbal (2-5), em pleno Estádio do Bonfim. Falcao, por duas vezes, Maicon, Guarín e Belluschi fizeram o gosto ao pé, em lances bem desenhados que marcaram a superioridade dos Dragões sobre os sadinos. O perfume do futebol portista foi evidente em várias fases do jogo, num terreno difícil e perante um adversário aguerrido. A única nódoa no encontro surgiu já nos últimos minutos, por obra e graça da arbitragem.
A equipa da casa apenas se conseguiu superiorizar nos primeiros cinco minutos. Foi uma espécie de estímulo que o FC Porto deu aos setubalenses, para depois colocar tudo na ordem. Alvaro Pereira, aos seis minutos, deu o primeiro aviso, com um remate ao lado. Aos 13 minutos, após canto de Raul Meireles, Falcao pôs os azuis e brancos em vantagem, e não mais os Dragões abandonariam essa posição. Donos e senhores do encontro, manobrando a bola no meio-campo contrário, os comandados de Jesualdo Ferreira chegaram ao 2-0 em novo pontapé de canto. Desta vez foi Belluschi a assistir e Maicon a marcar.
No início da segunda parte, a equipa da casa fez o que lhe competia e tentou forçar o golo. Com felicidade, na sequência de outro pontapé de canto, Henrique reduziu para 2-1. No entanto, quem observava o encontro percebia que eram os Dragões a comandar e que mais golos seriam inevitáveis. Abandonadas que estavam as tácticas cautelosas, o Vitória de Setúbal expunha-se ao jogar olhos nos olhos com o adversário. E foi assim que, aos 58 minutos, Guarín fez o 3-1, assistido por Hulk. Foi o terceiro tento do colombiano em partidas consecutivas.

O FC Porto não tirou o pé do acelerador e as transições rápidas continuaram a colocar em pânico a defesa sadina. Belluschi fez o 4-1, após toque de calcanhar de Guarín, aos 71 minutos, e colocou um ponto final na decisão sobre o vencedor da contenda. O fim do encontro estava à vista, mas antes ainda surgiu um golpe de teatro. O árbitro Pedro Henriques interpretou de forma muito peculiar um lance em que Falcao foi duplamente carregado em falta e admoestou o colombiano com um amarelo que o impede de dar o contributo à equipa no próximo desafio da Liga.
Coincidências, dirão alguns. O que já não foi coincidência foi a união da equipa em torno de Falcao, ainda a tempo de proporcionar ao avançado bisar na partida. O compatriota Guarín serviu-o para um toque sublime, com o goleador a picar a bola sobre o guarda-redes contrário. Ficou como amostra da sua classe, que, por muito que custe a alguns, vai continuar a fazer mossa nos adversários.

FICHA DE JOGO

Vitória de Setúbal-FC Porto, 2-5
Liga 2009/10, 28.ª jornada
24 de Abril de 2010
Estádio do Bonfim, em Setúbal

Árbitro: Pedro Henriques (AF Lisboa)
Assistentes: Gabínio Evaristo e Tiago Rocha
Quarto árbitro: Luís Reforço

FC PORTO: Beto; Fucile, Rolando, Maicon e Alvaro Pereira; Fernando, Belluschi, Raul Meireles e Guarín; Hulk e Falcao
Substituições: Raul Meireles por Tomás Costa (76m), Fucile por Miguel Lopes (76m) e Belluschi por Valeri (92m)
Não utilizados: Nuno Espírito Santo, Nuno André Coelho, Farias e Orlando Sá
Treinador: Jesualdo Ferreira

VITÓRIA DE SETÚBAL: Nuno Santos; Collin, André Pinto, Ricardo Silva e Ruben Lima; Sandro, Kazmierczack, Ney Santos, Neca e Hélder Barbosa; Henrique
Substituições: Ruben Lima por Bruno Ribeiro (46m), Kazmierczack por Rui Fonte (64m) e Sandro por Zoro (75m)
Não utilizados: Matos, Paulo Regula, Luís Carlos e Zarabi
Treinador: Manuel Fernandes

Ao intervalo: 0-2
Marcadores: Falcao (13m e 94m), Maicon (41m), Henrique (51m e 90m), Guarín (58m) e Belluschi (71m)
Disciplina: cartão amarelo para Alvaro Pereira (61m) e Falcao (79m)» in site F.C. do Porto.

Resumo de um Jogo em que o F.C. do Porto foi bem superior, contra tudo e contra todos; desta vez foi Falcao a ser contemplado pelos emissários da Liga de Clubes!

Golo de raiva e classe de Falcao que continuará a voar sobre Mouros e quejandos...

Andebol: F.C. do Porto Vitalis 26 vs ABC 22 - Dragões dão Passo Importante Rumo ao Título de Campeões Nacionais!

«FC Porto Vitalis amplia vantagem

O FC Porto Vitalis deu, este sábado, mais um passo importante rumo à revalidação do título, vencendo o ABC, por 26-22, em desafio da terceira jornada da Fase Final do Campeonato de Andebol, realizado no Pavilhão Dragão Caixa.
Os Campeões Nacionais reforçaram a liderança da prova, tendo agora cinco pontos de vantagem sobre a equipa de Braga, que ocupa a segunda posição.
A partida esteve quase sempre equilibrada, com os azuis e brancos a assumirem o protagonismo nos últimos 15 minutos, altura em que conseguiram um excelente parcial de 5-0.
Os golos do FC Porto Vitalis foram apontados por Ricardo Moreira (9), Wilson Davyes (5), Dario Andrade (4), Filipe Mota (3), Tiago Rocha (2), Inácio Carmo (2) e Pedro Spínola (1).??
Após o final do encontro, o treinador Ljubomir Obradovic considerou o triunfo «difícil, mas justo», deixando ainda os parabéns aos jogadores e aos adeptos.» in site F.C. do Porto.

Hóquei Patins: Oliveirense 5 vs F.C. do Porto Impé0rio Bonança 7 - F.C. do Porto Império Bonança Vence 9.º Campeonato Consecutivo, é Obra!

«FC Porto Império Bonança é eneacampeão

Fotos do jogo


O FC Porto Império Bonança é campeão nacional de hóquei em patins pela nova vez consecutiva. Feito notável, alcançado este sábado, em Oliveira de Azeméis, após triunfo por 7-5 no reduto da Oliveirense. A equipa de Franklim Pais conseguiu rubricar mais um registo histórico, provando que não conhece limites em matéria de ambição.

Para a evocação desta vitória ficam os golos de Pedro Gil (2), Pedro Moreira (2), Jorge Silva (2) e Emanuel Garcia, que materializaram a supremacia dos Dragões. O FC Porto Império Bonança chegou a este jogo com a possibilidade de garantir já os festejos e resolveu o assunto com toda a classe. O que resta do campeonato é para cumprir calendário.
«Estamos todos de parabéns», sublinhou o treinador azul e branco. «Tínhamos o objectivo de conseguir o título de campeão já hoje e foi isso que conseguimos. Este é, mais uma vez, o resultado de muitos anos de trabalho» in site F.C. do Porto.

24/04/10

F.C. do Porto - Jorge Nuno Pinto da Costa tomou posse há 28 anos, e o F.C. do Porto tornou-se conhecido Mundialmente!

«Jorge Nuno Pinto da Costa tomou posse há 28 anos

O dia 23 de Abril de 1982 ficará para sempre na história do FC Porto. Depois de eleito a 17 de Abril, Jorge Nuno Pinto da Costa tomava posse como presidente, iniciando um percurso de sucesso que colocou os Dragões entre os mais prestigiados emblemas do planeta. O www.fcporto.pt recupera agora esse momento.» in site F.C. do Porto.

23/04/10

Judo - O Português João Pina, Atleta do Sporting, é Campeão Europeu na Categoria de -73 Kg!

«João Pina é campeão da Europa

O português João Pina sagrou-se hoje campeão da Europa de judo na categoria de -73 kg, ao derrotar o russo Batradz Kaitmazov na final, em Viena.
Este é o melhor resultado de sempre do judoca do Sporting, que nunca tinha conseguido uma medalha em europeus, mundiais ou Jogos Olímpicos, como sénior.
O ouro de Pina sucede à medalha de bronze conquistada por Telma Monteiro nos Europeus de Viena, na quinta-feira, em -57 kg.
Para chegar a este resultado histórico, o judoca português venceu cinco combates, o último dos quais com uma preciosa vantagem de waza-ari, logo aos 17 segundos.
João Pina apresentou-se muito forte e surpreendeu o adversário nos instantes iniciais, com uma pega que projetou Kaitmazov no tatami, com o russo a cair sobre um dos ombros e o árbitro a dar o waza-ari (segunda pontuação máxima) ao português.
O despique ficou logo desequilibrado, com João Pina a poder manter uma postura activa, mas sem muitos riscos, e a obrigar a que fosse o seu oponente a atacar.
A situação não se verificou e os juízes ainda penalizaram Kaitmazov por falta de combatividade, numa fase do combate em que o português tentou "ataques controlados".
O momento de maior risco para Pina deu-se a 1.45 minutos do final do combate, num ataque mais acutilante do russo, com o português a conseguir levar a luta para o chão.
O judoca do Sporting "jogou" então a favor do relógio - procurou desfazer duas pegas e sofreu um castigo (a 30 segundos do final) -, e soube esperar que os segundos entrassem em contagem decrescente.
Até chegar à medalha de ouro e ao momento mais alto da sua carreira - que conta com duas participações olímpicas (Atenas2004 e Pequim2008) -, João Pina teve um trajecto muito consistente.
A sua caminhada começou com vitórias perante o checo Jaromir Jezek (waza-ari), o holandês Dex Elmont (waza-ari), o polaco Krzystof Wilkomirski (ippon) e, já na meia-final, frente ao georgiano Zaza Kedelashvili (ippon).
João Pina teve ainda o mérito de afastar o vice-campeão europeu em título, Dex Elmont, que o tinha eliminado nos últimos Europeus, em Tblissi, e um antigo campeão europeu de -66 kg, Zaza Kedelashvili (campeão nos Europeus de Lisboa2008).
Este triunfo permitiu ainda à selecção portuguesa superar os objectivos que tinha traçado para a competição - com a conquista de pelo menos uma medalha -, já que o título europeu de João Pina se junta à medalha de bronze conquistada na quinta-feira por Telma Monteiro (-57 kg).
Com um dia francamente positivo para a comitiva lusa, destaque ainda para o árbitro Nuno Carvalho, que, poucos minutos antes da final de -73 kg, dirigiu o combate para o bronze entre o francês Ugo Legrand e o georgiano Zaza Kedelashvili, com vitória do primeiro.
Na parte da manhã, a única portuguesa a competir, a judoca Ana Cachola, perdeu na primeira ronda, ao sair derrotada pela espanhola Yahaira Aguirre de Juan, por yuko.
No sábado, competirá a luso-cubana Yahima Ramirez, que inicia a discussão nos -78 kg perante a eslovena Ana Velensek.» in http://desporto.sapo.pt/mais_modalidades/artigo/2010/04/23/jo_o_pina_campe_o_da_europa.html

22/04/10

Dia Mundial da Terra, o Planeta que está Doente, cheio de Gente e de Massa Poluente!

«Dia Mundial da Terra: 40 anos de celebração e continua tudo na mesma
por BRUNO ABREU

Quercus avisa que excesso de consumo está a destruir o planeta
"O nosso relacionamento com o planeta Terra piorou nos últimos anos. Apesar de estarmos mais eficientes, temos cada vez mais produtos a gastar mais. A pressão sobre a Terra está a tornar-se cada vez maior", avisa Susana Fonseca, presidente da Quercus. Por isso, esta associação ambiental admite que quarenta anos depois da primeira comemoração do dia da Terra, este planeta está na mesma ou pior.
O excesso de produção e de consumo parece ser a maior das "doenças" e a que provoca o resto dos males do mundo. A Quercus aponta, até, para a iminência de um cataclismo de magnitude planetária, em que as alterações climáticas são apenas um dos sintomas.
Dados da associação ambientalista indicam que, para mantermos este nível de consumo de recursos precisamos de um planeta e meio. No caso de Portugal, o número sobe para dois planetas e meio. É como ter um frigorífico cheio de comida em casa, mas o apetite voraz exigir dois e meio para sustentar a fome.
A culpa parece ser da nossa sociedade: "É-nos passada uma imagem de consumo e de luxo, em que o valor das pessoas vem daquilo que têm e não do que são. Isto é uma atitude insustentável para quem se preocupa com questões ecológicas", diz Susana Fonseca. Uma questão de elevada importância num planeta em que três em cada quatro pessoas vivem em países em débito ecológico.
Estas são as nações que não conseguem produzir dentro das suas fronteiras os produtos que consomem, nem desfazer-se dos resíduos que produzem. "Este desrespeito pelos limites do planeta Terra acontece quando apenas mil milhões de pessoas têm uma vida abastada, mil a dois mil milhões vivem em economias de transição e cerca de três a quatro mil milhões sobrevivem com apenas alguns euros por dia", diz a responsável da Quercus.
"Quarenta anos volvidos, não temos um balanço positivo da nossa relação com o planeta Terra. Face ao conhecimento que actualmente possuímos, estamos bastante aquém", conclui a presidente.
Mas, afinal, o que é que nestes 40 anos não conseguimos alterar para mudar este cenário? Em resposta, Susana Fonseca aponta três falhas: a primeira é o excesso de produção e de consumo. "A falha maior", aponta a ecologista: "Consumimos muito mais do que aquilo que necessitamos e os indicadores que se baseiam nisto não são sustentáveis." O problema terá começado nos anos 1980 quando passamos a ter um défice de pegada ecológica. A partir daí foi sempre a piorar.
O segundo problema destes 40 anos foi o não desenvolvimento de energias renováveis. "Há muito que as conhecemos, mas ninguém investe nelas", frisa Susana Fonseca, que lamenta que a crise de petróleo de 1973 não tenha ensinado nada acerca dos problemas deste combustível fóssil.
Em terceiro vem a falta de educação ambiental, uma questão que se estende a toda a gente, inclusive aqueles que têm as rédeas do mundo: "O que me espanta é que haja um consenso sobre as alterações climáticas, mas que ninguém tenha tido a coragem para que se assine um protocolo", critica. Para a Quercus, é preciso que as pessoas saibam viver com o planeta, "sem serem agressivos".
"É preciso formar pessoas, principalmente os líderes, antes que fiquemos sem recursos. O grande problema é que estivemos estes anos todos sem ligar nada ao planeta e agora temos de aprender rapidamente como tratar dele", acrescenta Susana Fonseca.
Passados 40 anos, o cenário não é famoso, por isso a ecologista espera que quando chegarmos aos 50 anos do dia da Terra, estes três problemas estejam resolvidos: "Isto sendo bastante optimista."» in http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1550233&seccao=Biosfera

Algumas imagens do estado em temos a nossa casa, a Terra!

Hóquei Patins: Nortecoope 1 vs F.C. do Porto 5 - F.C. do Porto Apurado para os Oitavos de Final da Taça de Portugal!


«FC Porto já está nos "oitavos"

A equipa de Franklim Pais venceu o Nortecoope por 5-1 e qualificou-se para os oitavos-de-final da taça de Portugal em hóquei patins.
Os dragões continuam assim em prova e com possibilidades de voltar a conquistar o troféu. A Oliveirense também segue em frente na competição depois de eliminar esta quarta-feira o Riba D’Ave por 8-4.» in http://desporto.sapo.pt/hoquei/artigo/2010/04/22/fc_porto_j_est_nos_oitavos_.html

21/04/10

Supertramp - Mais uma Banda Mítica dos Gloriosos Anos 70/80!





Supertramp - "Breakfast In America" - (Live - HD)

Supertramp Breakfast - "In America" - (Roger Hodgson - live)

Roger Hodgson - "Breakfast In America"

Supertramp - "Give a Little Bit"

Roger Hodgson - "Give A Little Bit"


Supertramp - "The Logical Song"

Supertramp - "The Logical Song" - (Composed and sung by Roger Hodgson)

Supertramp - "The Logical Song" - (Offer Nissim Reconstruction '09)

Supertramp - "Dreamer" - (Composed and sung by Roger Hodgson)

Supertramp - "Goodbye Stranger"

Roger Hodgson - "School" - (Supertramp, Live in Toronto 1983)

Supertramp - "Hide In Your Shell" - (Composed and sung by Roger Hodgson)


Supertramp - "Crime of the Century" - (Live)

Supertramp - "Cannonball"

Supertramp - "My Kind of Lady" - (versão toda em preto e branco)

Supertramp - "Free As A Bird"

Roger Hodgson - "Crazy" - (Supertramp, Live in Toronto 1983)

Supertramp - "Slow Motion"

Supertramp - "Waiting So Long"

Supertramp - "Ain't Nobody But Me"

Supertramp - "Bloody Well Right" - (Live 1977)

Supertramp - "Lover Boy"

Supertramp - "Asylum"

Supertramp - "Just A Normal Day"

«Supertramp

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Supertramp
Supertramp0062.jpg
Informação geral
País Reino Unido
GênerosRock, pop rock, art rock, rock progressivo e piano rock
Período em atividade1969 - 1988; 1997 - atualmente
GravadorasA&M Records
Página oficialhttp://www.supertramp.com/
Integrantes
Rick Davies
John Helliwell
Bob Siebenberg
Mark Hart
Ex-integrantes
Kevin Currie
Frank Farrell
Roger Hodgson
Cliff Hugo
Robert Millar
Jesse Siebenberg
Dougie Thomson
Richard Palmer
Lee Thornburg
Carl Verheyen
Tom Walsh
Dave Winthrop
Supertramp é uma banda britânica de rock progressivo que obteve grande sucesso nos anos 70 e início dos anos 80.

[editar] História

Patrocinado pelo milionário holandês Stanley August Miesegaes, o vocalista, pianista e ex-baterista Rick Davies pôs um anúncio no jornal Melody Maker em busca de integrantes para a formação do grupo, em agosto de 1969. Rick Davies então juntou-se aos músicos Roger Hodgson (vocal, guitarra e teclados), Richard Palmer (guitarra, balalaika e vocais) e Robert Millar (percussão e harmônica). A banda inicialmente chamava-se Daddy, tendo o nome posteriormente alterado para Supertramp, que ao pé da letra quer dizer "super mendigo", inspirado num livro de W.H. Davies, “The Autobiography of a Super-Tramp”.
O recém-batizado Supertramp foi um dos primeiros grupos de rock a assinar com A&M Records inglesa, e o primeiro álbum foi lançado em julho de 1970. Apesar das boas críticas, foi um fracasso comercial – tanto que só saiu oficialmente nos Estados Unidos em 1977. Richard Palmer, desgostoso, resolveu sair seis meses depois do lançamento do primeiro LP, e Robert Millar teve uma crise nervosa logo em seguida. Foram substituídos por Frank Farrell (baixo), Kevin Currie (bateria) e Dave Winthrop (flauta e saxofone).
O álbum com esta formação, Indelibly Stamped, enfim trazia as marcas registradas da banda: as harmonias vocais entre Davies e Hodgson, e solos de saxofone. Mas também foi um fracasso de vendas, o que fez com que Miesegaes retirasse o patrocínio. Novamente o grupo debandou, restando apenas Hodgson e Davies.
No final de 1972, convocaram o baixista Dougie Thomson, o baterista Bob Siebenberg (que era um americano vivendo ilegalmente na Inglaterra, daí seu pseudônimo “Bob C. Benberg”) e o homem que deu o toque final ao som do grupo, John Helliwell (saxofone e sopros em geral, vocais).

Rick Davies com a banda em 2001 em Dresden
Essa formação lançou Crime of The Century em 1974 e finalmente fez sucesso com “Dreamer”, “School”, “Bloody Well Right”, entre outros hits. O disco seguinte, Crisis? What Crisis?, de 1975, não foi tão bem nas vendas, mas Even in the Quietest Moments, de 1977, recolocou o Supertramp no topo das paradas musicais com “Give a Little Bit” e “Fool's Overture”. Breakfast in America, de 1979, trouxe mais sucessos ("The Logical Song", "Take the Long Way Home", "Goodbye Stranger", "Breakfast in America") e vendeu 18 milhões de cópias.
O ano de 1982 não foi bom para o grupo. Após tantos anos de sucesso, Roger Hodgson resolveu abandonar a banda após a turnê de ...Famous Last Words.... Existem várias especulações sobre sua saída, e nenhuma delas convenceu na época. Alguns diziam que Hodgson se sentia musicalmente limitado (o que não se sustenta, já que seus discos solo são bem parecidos com o material habitual do Supertramp); até que, em uma entrevista, Hodgson revelou que deixou a banda porque sua esposa na época não se dava bem com a esposa de Rick Davies.
Davies resolveu manter o Supertramp na ativa com o álbum Brother Where You Bound, iniciado pelo single "Cannonball". A faixa título do álbum, de 16 minutos de duração, conta com a participação especial de David Gilmour, do Pink Floyd. Em 1997, Davies reformou o Supertramp com Helliwell, Siebenberg e Hart, mais alguns músicos de estúdio. Essa formação seguiu gravando até 2002, com o álbum Slow Motion. Desde então o grupo está inativo, a despeito de uma nova e igualmente fracassada tentativa de voltar à ativa com Hodgson em 2005. O último lançamento oficial do Supertramp foi a coletânea dupla Retrospectable – The Supertramp Anthology, com 32 faixas remasterizadas e dispostas em ordem cronológica de 1970 a 2002.

[editar] Discografia


"Crazy

HERE'S A LITTLE SONG TO MAKE YOU FEEL GOOD
PUT A LITTLE LIGHT IN YOUR DAY
THESE ARE CRAZY TIMES
AND IT'S ALL BEEN GETTING PRETTY SERIOUS
HERE'S A LITTLE SONG TO MAKE YOU RIGHT
SEND THE BLUES AWAY
WELL IT'S A CRAZY GAME
TELL ME WHO'S TO BLAME, I'M KIND A CURIOUS
RIGHT IF YOU WIN,WRONG IF YOU LOSE
NOBODY LISTENS WHEN YOU'RE SINGING THE BLUES
WELL SOMETHING'S THE MATTER
BUT NOTHING GETS DONE
OH EVERYONE'S WAITING FOR A PLACE IN THE SUN
WELL SOMETHING IS WRONG NOW
CAN SOMETHING BE WRONG WITH ME
OH BROTHER,WHY'S IT GOT TO BE SO CRAZY
GIMME LITTLE LEFT, GIMME LITTLE RIGHT
GIMME LITTLE BLACK, GIMME LITTLE WHITE
GIMME LITTLE PEACE, GIMME LITTLE HOPE
GIMME LITTLE LIGHT
'CAUSE YOU KNOW IT SEEMS
THAT THE SITUATION'S GETTING SERIOUS
RIGHT IF YOUE WIN, WRONG IF YOU LOSE
NOBODY LISTENS WHEN YOU'RE SINGING THE BLUES...

OH, SOMETHING IS WRONG WITH ME
OH, BROTHER, WHY'S IT GOT TO BE THIS CRAZY... "
Pin It button on image hover