29/03/17

História 1.ª Guerra Mundial - Cartas com quase 100 anos que nunca chegaram ao destino, enviadas por jovens militares portugueses feitos prisioneiros na primeira Guerra Mundial, foram descobertas por uma investigadora e relatam a fome e os maus-tratos a que foram sujeitos.



«I Guerra Mundial: Cartas dos prisioneiros portugueses nunca chegaram ao destino

Cartas com quase 100 anos que nunca chegaram ao destino, enviadas por jovens militares portugueses feitos prisioneiros na primeira Guerra Mundial, foram descobertas por uma investigadora e relatam a fome e os maus-tratos a que foram sujeitos.

Entre 1917 e 1919, mais de sete mil militares do Corpo Expedicionário Português estiveram presos em 81 campos de internamento e de trabalhos forçados na Alemanha, França e Bélgica.

A investigadora Maria José Oliveira encontrou em arquivos cartas censuradas dos expedicionários para as famílias e destas para os combatentes, a maioria tinha entre 25 e 30 anos.

Dezenas dessas cartas estão agora publicadas pela primeira vez na obra “Prisioneiros Portugueses da Primeira Guerra Mundial, Frente Europeia – 1917/1918” (editora Saída de Emergência).

Com este trabalho, a autora pretende “atribuir aos prisioneiros de guerra portugueses a única justiça acessível: a memória”.

A lei da censura prévia imposta à imprensa nacional logo a partir de março de 1916 (os portugueses começaram a partir para a guerra em janeiro de 1917), e o Serviço de Censura de Base que apreendia grande parte da correspondência contribuíram para este esquecimento.

Em 05 de maio de 1918, Domingos Fernandes, primeiro sargento do regimento de infantaria, capturado na batalha de La Lys em 09 de abril desse ano, e preso no campo de Dulmen (Alemanha), pedia que lhe mandassem “todas as semanas uma encomenda de comida”. Em julho, foi transferido para o campo de Minden (Alemanha) e nesse mês e de novo em setembro reiterou os pedidos.

Numa carta de 02 de junho de 1918, José Gutierres, do batalhão de mineiros, preso em Munster I (Alemanha), pede alimentos e relata o abandono a que o Estado os vota: “isto aqui é muito triste. Entre milhares de prisioneiros de todas as classes, todos recebem do Governo menos os portugueses”.

Segundo a autora, milhares de portugueses presos nos campos de internamento e de trabalhos forçados sobreviveram “graças à doação de víveres por parte dos seus companheiros de cárcere”.

João Carlos Craveiro Lopes, tenente-coronel também capturado em La Lys, respondeu num inquérito a prisioneiros na frente europeia relatando que marchou até Lille (França) com “escassa alimentação” e que, depois, no campo de Rastatt (Alemanha) “enfrentaram a fome: muitos emagreceram de tal forma (‘25 quilos’) que estavam quase irreconhecíveis”.

Noutro campo, em Breesen (Alemanha), “foram empregados na frente em serviços de guerra, abrindo trincheiras, transportando munições, precisamente nos lugares de risco, e isto depois de lhes terem arrancado as suas máscaras antigás”.

Maria José Oliveira conclui que “na história dos prisioneiros de guerra portugueses, há um antes e um depois de La Lys”.

“Esgotados, sujeitos a um clima impiedoso de chuva e frio, enterrados na lama das trincheiras – foi neste estado que os expedicionários chegaram ao episódio tristemente célebre da participação portuguesa na Grande Guerra: a batalha de La Lys”, da qual resultou “a primeira captura em larga escala de militares portugueses: 6585 dos quais 6315 eram praças e 270 oficiais”, lê-se no livro.

A autora conta que “os oficiais tinham direito a cárceres especiais, com melhores alojamentos, soldo mensal e mais condições de higiene”, enquanto “os praças eram encarcerados em campos lotados [com dezenas de milhares de homens] e em campos de trabalhos forçados”.

“Mas nos últimos meses da guerra, a queixa mais recorrente era consensual: a fome”, sublinha a investigadora.

Uma situação que devido à censura o país ignorava.

Com o fim da guerra, em 11 de novembro de 1918, o repatriamento não foi imediato.

Em 17 de fevereiro de 1919, imaginando que seriam recebidos em Lisboa como heróis – a notícia do fim da guerra fora recebida na capital com festejos que duraram dois dias – o antigo prisioneiro Afonso do Paço relatou a chegada: “Desembarcámos no meio da maior indiferença, no meio da maior apatia da população alfacinha (…). As tropas que chegavam da França, umas centenas de ex-prisioneiros e um batalhão (…) mereciam aos governantes e aos governados a mesma atenção que qualquer saloio que da Lourinhã vem vender um carro de nabiças à praça da Figueira”.

“Foi esta a receção que tivemos em Portugal. Não valia a pena, para isto, tamanhos sacrifícios”, acrescenta.» in http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/i-guerra-mundial-cartas-dos-prisioneiros-portugueses-nunca-chegaram-ao-destino

Tecnologia - São cada vez mais os portugueses que navegam na internet a partir dos seus smartphones ou tablets e parece que em fevereiro se bateram recordes.



«Dispositivos móveis já representam mais de 40% dos acessos à internet em Portugal

São cada vez mais os portugueses que navegam na internet a partir dos seus smartphones ou tablets e parece que em fevereiro se bateram recordes.

No mês passado, mais de 40% das páginas dos sites auditados pela Marktest foram acedidas através de dispositivos móveis, o valor mais alto de sempre, desde  que a empresa faz este tipo de análise.

Mais especificamente, os dados do netScope indicam que 58% do tráfego foi gerado por computadores, desktops ou portáteis, e 42% por dispositivos móveis.

Entre estes equipamentos, os acessos por smartphone representaram 37% do consumo mensal, enquanto os tablets foram responsáveis por 6% dos pageviews.

Comparativamente aos mesmo mês de 2016, os smartphones foram os dispositivos que mais quota ganharam, 14 pontos percentuais, valor “roubado” à quota de PCs, que por sua vez baixou 14 pontos percentuais.» in http://tek.sapo.pt/noticias/internet/artigo/dispositivos_moveis_ja_representam_mais_de_40_dos_acessos_a_internet_em_portugal-51200tfz.html

Política de Saúde - Portugal continental registou 105 casos de hepatite A desde janeiro, quase todos sinalizados na Grande Lisboa, um surto que está a afetar mais 12 países da Europa, segundo dados transmitidos pela Direção-Geral da Saúde (DGS)



«"CHEMSEX", O CULPADO DO SURTO DE HEPATITE A EM LISBOA

Portugal continental registou 105 casos de hepatite A desde janeiro, quase todos sinalizados na Grande Lisboa, um surto que está a afetar mais 12 países da Europa, segundo dados transmitidos pela Direção-Geral da Saúde (DGS). A culpa pode ser do chemsex. Saiba porquê.

Quase todos os casos de hepatite A estão sinalizados na Grande Lisboa e a situação desta atividade epidémica parece estar associada com muita frequência a uma transmissão por via sexual através de determinadas práticas, sobretudo entre homens (mas não exclusivamente). E entre os homens parecem ser os mais atingidos os que praticam sexo com outros homens.

As autoridades de saúde culpam o chemsex. Sabe o que é?

Chemsex é uma nova prática sexual que pode provocar danos físicos e emocionais. É uma moda sexual e nasceu na Holanda. Leva as pessoas a tomar drogas e outras substâncias químicas, como as anfetaminas, para fazer sexo sem parar durante várias horas ou até dias.

A DGS descreve o "chemsex" como a "atividade sexual potenciada por substâncias químicas". A publicação British Medical Journal (BMJ) explica o fenómeno: Praticado normalmente em festas e orgias, o sexo é misturado com drogas, como mefredona, cristais e GHB, para que dure horas ou até dias. O nome chemsex é a contração do inglês "chemical sex",  que significa sexo químico.

Estas substâncias são consumidas para reduzir as inibições e aumentar o prazer. As drogas aumentam a frequência cardíaca e a pressão arterial, podendo ter graves efeitos na saúde mental - aumentam o risco de psicose, tendências suicidas e ataques de pânico.

Segundo os investigadores do BMJ, a maioria dos utilizadores destas anfetaminas quer reprimir sentimentos negativos como a falta de confiança e autoestima, afastar o estigma do VIH/Sida ou da homossexualidade.

Por outro lado, o risco de exposição a doenças sexualmente transmissíveis - como SIDA, gonorreia, sífilis ou hepatites - aumenta devido à redução da percepção do perigo provocada pelas drogas.

Os autores do artigo supracitado explicam ainda os efeitos secundários que a mistura de estimulantes provoca no corpo. Além disso, a mefredona e os cristais podem criar dependência psicológica e o GHB dependência fisiológica.» in http://lifestyle.sapo.pt/saude/noticias-saude/artigos/o-que-e-o-chemsex-e-qual-a-sua-relacao-com-a-hepatite-a

28/03/17

F.C. do Porto Atletas Internacionais - Rui Pedro e Diogo Queirós estiveram em destaque no jogo desta terça-feira em que a seleção nacional de Sub-19 bateu a Polónia por 3-1, a contar para a terceira jornada da Ronda de Elite de apuramento para o Europeu do escalão.



«SELEÇÃO SUB-19 VENCE COM GOLOS DE RUI PEDRO E DIOGO QUEIRÓS

Vitória da equipa das quinas sobre a Polónia (3-1) garante apuramento para o Europeu da categoria.

Rui Pedro (na foto) e Diogo Queirós estiveram em destaque no jogo desta terça-feira em que a seleção nacional de Sub-19 bateu a Polónia por 3-1, a contar para a terceira jornada da Ronda de Elite de apuramento para o Europeu do escalão. O avançado do FC Porto marcou dois golos e o defesa da equipa de Sub-19 azul e branca apontou outro, garantindo o triunfo que permite à equipa portuguesa selar o acesso à competição que se vai realizar na Geórgia entre 2 e 15 de julho.

Num jogo em que também participaram Diogo Costa, Diogo Dalot e também Rui Pires - outros dos Dragões convocados pelo seleccionador Hélio Sousa -, foi a Polónia a adiantar-se no marcador por intermédio de Listkowski (29m). Portugal conseguiu chegar à igualdade ainda antes do intervalo, com um golo de Rui Pedro (39m), e, já no último quarto de hora do jogo, consumou a reviravolta: Diogo Queirós (75m) desfez a igualdade e Rui Pedro (82m) fixou o resultado final que, conjugado com o do jogo entre a Turquia e a Croácia (0-0), permitiu aos Sub-19 lusos assegurar uma presença no Europeu da categoria.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/golos_rui_pedro_e_diogo_queiros_portugalsub19.aspx

F.C. do Porto Bilhar - A equipa de bilhar às três tabelas do FC Porto venceu o Leça por 3-1 em jogo da décima jornada da zona norte do Campeonato disputado na noite de segunda-feira na Academia do Estádio do Dragão.



«BILHAR: DRAGÕES REFORÇAM LIDERANÇA DO CAMPEONATO

Vitória suada sobre o Leça por 3-1 em jogo da décima jornada​ da zona Norte.

A equipa de bilhar às três tabelas do FC Porto venceu o Leça por 3-1 em jogo da décima jornada da zona norte do Campeonato disputado na noite de segunda-feira na Academia do Estádio do Dragão. Com este resultado os campeões nacionais aumentam para sete os pontos de vantagem sobre o segundo classificado, precisamente os leceiros, e alargam para 36 a série de vitórias conquistadas de forma consecutiva no principal escalão da modalidade a nível nacional.

Não foi uma partida fácil aquela que opôs os dois primeiros classificados da tabela da zona Norte. Ao intervalo, o Leça até vencia em três mesas, mas os portistas deram a volta na segunda parte, com Rui Manuel Costa a vencer Mário Aranha (40-31, em 28 entradas), João Ferreira a levar a melhor sobre Vítor Fernandes (40-19, em 20 entradas) e Santos Oliveira (na foto)​​ a derrotar Fernando Monteiro (40-24, em 48 entradas). O leceiro Pedro Pais foi o único bilharista do Leça a vencer uma mesa, ao derrotar Fernando Cunha (40-21, em 34 entradas).

No calendário segue-se o jogo com o BC Porto, que está agendado para as 21h30 da próxima segunda-feira na Academia do Estádio do Dragão.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/bilhar-fcporto-leca-cn-zn-10aj%C2%B4.aspx

Campeonato de Portugal: Marítimo B 2 vs Amarante F.C. 1 - O Marítimo B regressou ontem aos triunfos no Campeonato de Portugal ao vencer o Amarante tangencialmente.



«Triunfo da ‘paciência’

O Marítimo B regressou ontem aos triunfos no Campeonato de Portugal ao vencer o Amarante por 2-1.

A equipa visitante demonstrou melhor capacidade defensiva, impedindo que o Marítimo fosse capaz de fazer o seu típico jogo de rápidas jogadas de contra ataque.

O Amarante apresentou os blocos muito juntos no seu meio campo defensivo, tirando proveito dos seus rápidos laterais, com especial destaque para João.

Os visitantes foram os primeiros a criar perigo, por intermédio de Magalhães, com um forte remate para fora. O esférico passou muito próximo da baliza à guarda de Edgar. Pouco depois, Ayongo, com a baliza completamente aberta, enviou a bola para fora. Os primeiros 20 minutos de jogo foram um testemunho à capacidade de sofrimento e paciência dos insulares.

O Marítimo ia respondendo como podia, no entanto, Carlos Daniel falhou o remate dentro da pequena área e Filipe Oliveira assustou Paulo Jorge, face à cobrança de um livre directo, que passou muito perto. A um minuto do intervalo os verde-rubros criam a melhor jogada individual originando um canto. Na sequência do mesmo, e após alguma confusão na área, Tiago inaugurou o marcador.

No reatamento da partida, o Amarante entrou determinado em dar a volta aos acontecimentos e Silva cobrou, de forma exímia, um livre directo do qual resultou o tento do empate.

Com o resultado empatado, os pupilos de Ludgero Castro voltaram à carga, mas era muito difícil passar pela bem organizada defensiva do Amarante.

Já perto do fim do encontro, Rudy, que entrou ao intervalo, passou por dois adversários e rematou forte para o resultado final de 2-1.» in http://www.dnoticias.pt/impressa/hemeroteca/diario-de-noticias/triunfo-da-paciencia-JD1126319

27/03/17

Amarante Literatura - Esta senhora da Casa da Faia, em Amarante, era muito bonita e cheia de encanto e quando o idílio acabou, Pascoaes sofreu.




«Data desta época a paixão de Pascoaes por Dona Fernanda de Magalhães e Menezes, musa inspiradora do «Sempre».

Esta senhora da Casa da Faia, em Amarante, era muito bonita e cheia de encanto. Quando o idílio acabou, Pascoaes sofreu. Já então advogava no Porto. Foi o irmão dela, Fernando Magalhães e Menezes, depois Conde de Vilas boas, oficial de marinha, que, fardado de grande gala, o procurou no seu escritório da Rua das Taipas para lhe entregar o maço das cartas de amor, anunciando-lhe o noivado da irmã com o senhor Fernando Van Zeller.» in Fotobiografia "Nas sombra de Pascoaes" de Maria José Teixeira de Vasconcelos.

Música Pop/Rock - Laura Pergolizzi (Long Island, 18 de março de 1981), mais conhecida por seu nome artístico LP é uma cantora e compositora norte-americana.




LP – "Lost On You" - [Official Music Video]


LP - "Lost on you" - [Live Session] 


LP - "Lost On You" - (Addal Remix)


LP - "Lost On You" - (New Remix - 2016) 


LP - "Lost On You" - (Radio Remix Music Vídeo) 


LP - "Lost On You" - (Cover by Scarlett-Darleen) 


LP - "Lost On You" - (Salsa Version by Cubaneros ) 


LP – "Tightrope" - [Official Music Video]


LP – "Other People" - [Official Music Video]


LP - "Muddy Waters" - [Live Session] 


LP - "Tokyo Sunrise" - [Official Music Video] 


LP - "Into The Wild" - [Official Music Video]


LP - "Wasted"


LP - "Levitator" - [Live]


LP - "Someday" - [Live]


LP - "Fighting With Myself" - [Live] 


LP - "Halo" - (Beyonce Cover) - [Live] 


L.P. - "Good With You/Cling To Me" 


LP - "Forever For Now" 


LP - "Don't let me down" 


LP - "It's over" 


Laura Pergolizzi Suburban - (Sprawl & Alcohol - 2004)


"Lost on You
LP

When you get older, plainer, saner
When you remember all the danger we came from
Burning like embers, falling, tender
Long before the days of no surrender
Years ago
And well you know

Smoke them if you got them
'Cause it's going down
All I ever wanted was you
I'll never get to heaven
'Cause I don't know how
Let's raise a glass or two

(Chorus)
To all the things I lost on you
Oh oh
Tell me are they lost on you?
Oh oh
Just that you could cut me loose
Oh oh
After everything I've lost on you
Is that lost on you?
Oh oh
Is that lost on you?
Oh oh
Baby is that lost on you?
Is that lost on you?

Wishing I could see them back in nations
Understand the toil of expectations in your mind
Hold me like you never lost your patience
Tell me that you love me more than hate me all the time
And you're still mine

So smoke 'em if you've got 'em
'Cause it's going down
All I ever wanted was you
Let's take a drink of ever lisk
And turn around
Let's raise a glass or two
(Chorus)"

F.C. do Porto Desporto Adaptado - A portista Carla Oliveira (categoria BC4) sagrou-se este domingo, pela primeira vez, campeã regional de boccia, após vencer o companheiro de equipa Pedro da Clara (BC4) na final da fase regional do Campeonato Nacional, que durante o fim de semana decorreu no Pavilhão Municipal de Ponte de Lima.



«CARLA OLIVEIRA SAGRA-SE CAMPEÃ REGIONAL DE BOCCIA

Numa final da categoria BC4 cem por cento portista, Carla Oliveira venceu Pedro da Clara.

A portista Carla Oliveira (categoria BC4) sagrou-se este domingo, pela primeira vez, campeã regional de boccia, após vencer o companheiro de equipa Pedro da Clara (BC4) na final da fase regional do Campeonato Nacional, que durante o fim de semana decorreu no Pavilhão Municipal de Ponte de Lima.

O pódio da categoria ficou completo com Fernando Pereira, antigo atleta do FC Porto.Além de Pedro da Clara e Carla Oliveira, os Dragões fizeram-se representar por mais três atletas nesta competição: Fernando Ferreira (BC1) e Hugo Vilela (BC4) não conseguiram ultrapassar a fase de grupos, enquanto João Pereira (BC2) ficou com o quarto lugar.

Na agenda do boccia segue-se agora a fase regional dos atletas da classe BC3, que decorrerá em Barcelos, entre os dias 8 e 9 de abril.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Carla-Oliveira-sagra-se-campe%C3%A3-regional.aspx

26/03/17

Amarante Carvalho de Rei - O meu aluno de Carvalho de Rei, Fábio Teixeira, da Serra da Aboboreira, apresenta-nos registos de neve e de magia...


(O meu aluno, Fábio Teixeira, da Serra da Aboboreira, Carvalho de Rei, apresenta-nos excelentes instantâneos de neve)

F.C. do Porto Sub 17 Futebol: S.C. Braga 1 vs F.C. do Porto 1 - A igualdade no Campo da Ponte, em Braga, mantém os portistas (30 pontos) com cinco pontos de vantagem sobre os segundos classificados, precisamente o Braga (25), quando falta apenas disputar uma partida da Série Norte.



«EMPATE EM BRAGA GARANTE PRIMEIRO LUGAR DA SÉRIE NORTE

Equipa de Sub-17 do FC Porto empatou a uma bola no Campo da Ponte, em Braga.

A equipa de Sub-17 do FC Porto empatou (1-1) na manhã deste domingo frente ao Sporting de Braga, na 13.ª jornada da segunda fase do Campeonato Nacional de juniores B. A igualdade no Campo da Ponte, em Braga, mantém os portistas (30 pontos) com cinco pontos de vantagem sobre os segundos classificados, precisamente o Braga (25), quando falta apenas disputar uma partida da Série Norte.

No jogo que colocou frente a frente os dois primeiros da tabela, os portistas acabaram por se ver em desvantagem mesmo dominando todos os capítulos do encontro, depois da equipa da casa aproveitar da melhor maneira um momento de desconcentração do coletivo liderado por Bino, aos 31 minutos. Os bracarenses chegaram ao descanso em vantagem, mas o tempo complementar voltou a ter um FC Porto mais forte. O golo do empate foi conseguido por Matos, no minuto 72.

Os Sub-17 portistas alinharam com: João Gonçalo, Matos, Levi, Cláudio, Jota, Vítor, Maga (João Mário, 56m), Romário, Leandro (Vasco, 80m), Sousa (cap.) e Moura (Mané, 68m).

A segunda fase do campeonato fica concluída no dia 2 de abril, com os Dragões a receberam o Palmeiras, na 14.ª jornada.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/futebol-formacao-sc-braga-fc-porto-13jor-2f-sn-cnjb.aspx

F.C. do Porto Hóquei Patins: Valença 1 vs F.C. do Porto Fidelidade 4 - O FC Porto Fidelidade venceu na noite de sábado no pavilhão do Valença, no jogo da 18.ª jornada do Campeonato Nacional de hóquei em patins.



«EXIBIÇÃO PERSONALIZADA VALE TRIUNFO NO MINHO

FC Porto venceu o Valença por 4-1. Hélder Nunes esteve em destaque ao apontar três golos.

O FC Porto Fidelidade venceu (4-1) na noite de sábado no pavilhão do Valença, no jogo da 18.ª jornada do Campeonato Nacional de hóquei em patins. No Municipal de Valença, um hat-trick de Hélder Nunes e um golo de Jorge Silva valeram os três pontos aos Dragões, que assim sobem, ainda que à condição, ao segundo posto da tabela, mantendo os dois pontos de desvantagem para a líder Oliveirense, que antes havia batido o Sporting de Tomar.

Na antevisão da partida o capitão Hélder Nunes deixou bem vincado o objetivo da equipa, que passava por conseguir adiantar-se no marcador o marcador o mais cedo possível, num terreno com medidas máximas, em que a equipa da casa poderia facilmente surpreender um Dragão com menos cautelas defensivas. E foi mesmo isso que se viu durante os primeiros 25 minutos. Um FC Porto agressivo e pressionante, a jogar muitas vezes perto da baliza adversária que teve no guardião Paulo Matos a sua unidade em destaque. Parou praticamente tudo, à exceção de um lance de génio de Hélder Nunes que terminou no fundo da baliza da equipa da casa. Foi o capitão o primeiro a dar o exemplo, pela 25.ª vez neste campeonato, inaugurando o marcador aos 11 minutos e carimbado o 8.º jogo consecutivo a festejar.

Mais animados do que os primeiros 25 minutos foi o reatar do encontro após o descanso. Isto porque decorridos seis minutos o argentino Guido Pellizari empatou uma partida que Hélder Nunes estava determinado em vencer. Tanto que não só desfez a igualdade 20 segundos depois, como alargou a vantagem seis minutos depois. E assim deu aos Dragões um vantagem tranquila e confortável de gerir, que Jorge Silva se encarregou de dilatar a cinco minutos do fim. A vitória portista não merece discussão, mas falta ainda uma palavra para o guardião Carles Grau, que, com um par de boas defesas, com destaque para o lance da 10.ª falta do Valença, foi determinante para que a equipa de Guillem Cabestany continue como melhor defesa da prova.

Os Dragões voltam agora a centrar atenções na Liga Europeia, tendo encontro marcado com o Reus no próximo sábado, numa deslocação à Catalunha para disputar a segunda mão dos quartos-de final da principal prova europeia. No Dragão Caixa verificou-se um empate a sete golos, estando por isso tudo em aberto para saber quem vai garantir uma vaga na final-four. 

FICHA DE JOGO 

VALENÇA-FC PORTO, 1-4
Campeonato Nacional, 18.ª jornada
25 de março de 2017
Pavilhão Municipal de Valença, Valença do Minho

Árbitros: José Pinto (Porto) e Paulo Almeida (Aveiro)

VALENÇA: Paulo Matos (g.r.), Guido Pellizari, Luís Viana, José Campos e Miguel Fernandes (cap.)
Jogaram ainda: Gil Vicente e José Braga
Treinador: Orlando Graça

FC PORTO: Carles Grau (g.r.), Hélder Nunes (cap.), Reinaldo Garcia, Rafa e Gonçalo Alves
Jogaram ainda: Telmo, Pinto, Jorge Silva, Vítor Hugo e Ton Baliu
Treinador: Guillem Cabestany

Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Hélder Nunes (11m, 29m, 35m), Guido Pellizari (29m), Jorge Silva (45m)» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/hoquei-em-patins-valenca-fc-porto-18jor-cn.aspx

F.C. do Porto Atletas Internacionais - Avançado do FC Porto, André Silva, marcou e assistiu CR7 no jogo frente à Hungria (3-0).



«ANDRÉ SILVA BRILHA NA VITÓRIA PORTUGUESA

Avançado do FC Porto marcou e assistiu no jogo frente à Hungria (3-0).

André Silva esteve em grande plano na vitória de Portugal sobre a Hungria (3-0), no Estádio da Luz, em Lisboa, em partida referente à quinta jornada do Grupo B da fase de qualificação europeia para o Mundial 2018, no qual a seleção portuguesa segue em segundo lugar, com 12 pontos, menos três do que a líder Suíça.

Aos 32 minutos, o avançado do FC Porto deu o melhor seguimento a um cruzamento de Raphael Guerreiro e abriu caminho ao triunfo luso, apontando o quinto golo em seis internacionalizações pela principal seleção portuguesa. Instantes depois, com um delicioso toque de calcanhar, André Silva serviu Cristiano Ronaldo para o 2-0 favorável aos campeões europeus (36m). Seria o mesmo Cristiano Ronaldo a estabelecer o 3-0 final (65m) num jogo em que Danilo Pereira, o outro Dragão convocado, não foi utilizado por Fernando Santos.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Portugal-Hungria-5a-jor-Grupo-B-qualificacao-Mundial-2018.aspx


(Portugal vs Hungria 3-0 - All Goals & Extended Highlights 25/03/2017)

F.C. do Porto Andebol: F.C. do Porto 33 vs Midtjylland 25 - O FC Porto recebeu e venceu este sábado os dinamarqueses do Midtjylland, no Dragão Caixa, em partida referente à quinta jornada do Grupo B da Taça EHF.



«DRAGÕES CUMPREM A SUA PARTE NA RECEÇÃO AO MIDTJYLLAND

Triunfo sobre os dinamarqueses por 33-25, no Dragão Caixa, na quinta jornada do Grupo B da Taça EHF.

O FC Porto recebeu e venceu este sábado os dinamarqueses do Midtjylland (33-25), no Dragão Caixa, em partida referente à quinta jornada do Grupo B da Taça EHF. Com este resultado, os portistas passam a somar quatro pontos e mantêm-se na luta pela continuidade em prova caso o Granollers não vença este domingo o Göppingen. Na sexta e derradeira ronda desta fase, o FC Porto desloca-se à Alemanha para defrontar precisamente o Göppingen, atual detentor da Taça EHF. A partida realiza-se no dia 1 de abril (sábado), às 18h30 portuguesas.

Estiveram longe de ser fáceis os minutos iniciais do reencontro com o Midtjylland, equipa que, na Dinamarca, infligiu a primeira derrota ao FC Porto em 2016/17. As dificuldades criadas pela equipa dinamarquesa só permitiram aos Dragões ganhar algum conforto na liderança do marcador a partir dos 15 minutos, altura em que o coletivo de Ricardo Costa chegou aos dois golos de vantagem (9-7), precisamente a diferença registada ao intervalo, favorável ao FC Porto, claro está (16-14). Com Nikola Spelic (5 golos) de pontaria afinada e uma defesa muito bem comandada por Hugo Laurentino, os azuis e brancos foram globalmente melhores na primeira parte e recolheram aos balneários justamente na frente.

O reatamento não trouxe grandes mudanças e o FC Porto aproveitou os primeiros dez minutos do segundo tempo para ganhar cinco golos de vantagem (21-16), capitalizando uma série de erros no ataque acumulados pelo Midtjylland que, em abono da verdade, também encontrou em Alfredo Quintana um duríssimo opositor entre os postes da baliza portista. Muito concentrado a nível defensivo e consideravelmente eficaz no capítulo ofensivo, o FC Porto foi mantendo os dinamarqueses a uma distância segura e acabou mesmo por triunfar com tranquilidade, por 33-25. António Areia (7 golos) e Nikola Spelic (5 golos) assumiram-se como os melhores marcadores dos Dragões nesta partida.

FICHA DE JOGO

FC PORTO- MIDTJYLLAND, 33-25 
Taça EHF, Grupo B, 5.ª jornada
25 de março de 2017
Dragão Caixa, no Porto

Árbitros: Ivars Cernavskis e Edmunds Bogdanovs (Letónia)

FC PORTO: Hugo Laurentino (g.r.), Alexis Borges (2), Daymaro Salina (2), Gustavo Rodrigues (2), Nikola Spelic (5), António Areia (7) e Miguel Martins (2)
Jogaram ainda: Alfredo Quintana (g.r.), Rui Silva, Felipe Santaela (3), Leandro Semedo (3), Yoel Morales (4), José Carrillo (1), Ricardo Moreira, Hugo Santos (1) e Marko Matic (1)
Treinador: Ricardo Costa

MIDTJYLLAND: Lars Eggen Rismark (g.r.), Eivind Tangen (1), Bastian Straede (1), Lars Jakobsen (6), Rasmus Carlsen (4), Casper Sas Sörensen (4) e Oliver Bondrop (2)
Jogaram ainda: Tim Winkler (g.r.), Morten Slundt, Jacob Sjörslev-Ostergaard, Dennis Kirkegaard, Espen Lie Hansen, Mathias Pilgaard, Kristian Gjessing (2) e Kasper Gudnitz (5)
Treinador: Morten Secher

Ao intervalo: 16-14» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/FC-Porto-Midtjylland-5a-jornada-grupo-B-Taca-EHF-1617.aspx


Andebol: FC Porto-Midjtylland, 33-25 (Taça EHF, Grupo B, 5.ª jornada, 25/03/17)

25/03/17

Agrupamento de Escolas de Amarante - Brilhante a forma como os alunos representam artisticamente os nossos rios, com pureza e harmonia...


(Teixeira de Pascoaes dividia a existência humana em dois grandes momentos: A infância e o estado adulto que começava na mocidade... primeiro a ilusão do Fabuloso, depois a dura confrontação com a realidade... oxalá que o espírito destas crianças abençoadas se mantenha nos futuros homens de amanhã, ajudando assim a preservar os nosso belíssimos rios... quem disse que a escola não pode ser sonho... quem disse que os sonhos não poderão ser realidade!...)
Pin It button on image hover