13/12/17

Amarante Fregim - Pretendo aqui falar da minha terra, Fregim, que não o é de nascença, mas de vivência.



«Fregim, nobre Freguesia
12 dez 2017 11:25
MadreMedia
Helder Barros

A Minha Terra Fregim

Pretendo aqui falar da minha terra, que não o é de nascença, mas de vivência. Costuma-se dizer que pai não é só quem faz um filho, mas, mais importante, quem o cria. Assim, não tendo nascido em Fregim, tenho fortes raízes familiares nesta terra, que me acolheu desde muito miúdo. Pude assim passar os anos mais belos da minha vida, os da minha mocidade, nesta terra, percorrendo os seus caminhos, montes e campos, a pé ou de bicicleta, sempre em bandos de rapazes que passavam os dias a jogar à bola, enquanto acompanhávamos o pastoreio das ovelhas e cabras.

Esta terra foi sempre um local de passagem e de encruzilhada de viajantes, por muitos anos as estradas que a atravessaram, designadamente a estrada pombalina, que liga o Alto Douro à cidade do Porto e que foi igualmente, por décadas, uma via alternativa à estrada nacional n.º 15, entre Amarante e Vila Meã, que fazia a ligação de Trás-os-Montes ao Porto e vice-versa, traziam à freguesia um movimento importante, mormente, nos anos oitenta, que recordo com muita saudade.

Além disso, por ter sido por ter sido uma comenda da Ordem do Hospital de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta, teve em tempos remotos uma tradição de apoio aos peregrinos de São Tiago e de apoio a doentes e famintos, com a existência presumível de uma gafaria ou hospital da respetiva Ordem de Malta no Lugar de Fregim, da freguesia com o mesmo nome. Por isso, os cidadãos de Fregim, ou fregueses de Fregim são conhecidos como “malteses”.

Consta que na história administrativa/biográfica, “a freguesia de Santa Maria de Fregim era Vigararia e Comenda da Ordem de Malta, no antigo concelho de Santa Cruz de Riba Tâmega, na antiga comarca de Guimarães, passando mais tarde a reitoria. Pertenceu ao antigo concelho de Santa Cruz de Riba Tâmega, extinto pelo Decreto de 24 de Outubro de 1855, tendo passado para o de Amarante pelo Decreto de 31 de Dezembro de 1853. Da diocese de Braga passou para a do Porto em 1882. Comarca eclesiástica de Amarante - 4º distrito (1907). Primeira Vigararia de Amarante (1916; 1970).”

 
créditos: Hélder Barros

Camilo Castelo Branco na sua obra literária - “20 horas de liteira” - fala das suas passagens por Fregim e da personagem do Zé da Mó, que teria emigrado para o Brasil no final do século XIX na ânsia de ficar rico e que regressou ainda mais pobre.

É remota a povoação por humanos nesta freguesia, como se pode comprovar pelo castro da serra de São Jorge.

A festa anual é em meados de agosto, quando Fregim é invadida pelos seus filhos emigrados um pouco por todo o mundo, com uma bela procissão em homenagem à Imaculada Conceição, mais uma das muitas freguesias ligadas a Nossa Senhora, Santa Maria de Fregim.

Fregim foi igualmente palco da passagem das tropas de Napoleão, que invadiram a Casa da Capela pertencente à família do Capitão Augusto Casimiro e a incendiaram à partida. Capela que já não foi reconstruída por ter sido considerada profanada.

Os malteses de Fregim também ficaram conhecidos por montarem algumas emboscadas aos franceses que atravessaram a freguesia, rumo ao cerco da ponte de Amarante.

Esta freguesia possui inúmeras casas com interesse arquitetónico, tais como as já referidas Casas da Capela e da Mó, da Lage, da Obra, da Pedra, do Amarantinho, de São Miguel e as de Pousada, a do Visconde da Granja e a da Dona Emília de Sousa Ribeiro. Este nome, Pousada, tem a ver com o facto de este ser um local de paragem das antigas diligências e viajantes a cavalo, que pretendiam um excelente local de repasto e de repouso.


Na Casa da Pousada, originalmente do Comendador da Granja, viveu durante largos anos, o Comendador José de Abreu, dono das antigas fábricas do Tabopan e nessa casa existia um enorme jardim, pomares de maças, de laranjas, vinhas, com produção própria de vinhos e aguardentes em lagares e alambiques da quinta. Em Fregim existem grandes empresas na área da metalurgia, como a Metalocardoso, a Metalúrgica do Tâmega e a Bertim. Existe também uma das maiores fábricas de fabrico de urnas funerárias, a Joricastro. Temos também um centro de abate de veículos motorizados em fim de vida, a Resource.

A freguesia é delimitada a sudeste pelo rio Tâmega e é atravessada pela ribeira de Fregim, conferindo-lhe uma frescura única nos dias de verão, pelo vale onde ela corre em curvas e contracurvas sinuosas, por entre penedias e saltando nas rochas alisadas pelo desgaste das correntes de inverno em degraus nas zonas de declive.

Junto ao Rio Tâmega existe um dos maiores e mais reputados parques aquáticos de toda a península ibérica, o RTA. Lá existe também o conceito de “A Aldeia do Tâmega” que está inserida no complexo RTA Tâmega Clube, situado num local privilegiado da freguesia de Fregim, sobre a margem do Rio Tâmega, situada a cerca de 5Km do centro da cidade de Amarante. Existe igualmente a Casa do Rio, que é um local fantástico para a realização de festas e grandes eventos, embora seja também um restaurante reputado. No mesmo complexo, está um dos mais famosos campos de golfe de montanha do país, pelo que é mais uma possibilidade de praticar desporto, em ótimas condições, na nossa freguesia.

Além disso, em Fregim há inúmeros locais onde se come muito bem: Tony, Aposta Delirante, Cala o Bico, o Picadeiro, Casa do Rio, Varandas do Tâmega, o Mirante, o Reis, Restaurante do Campo de Golfe. Assim, a nossa freguesia poderá ser uma bela aposta gastronómica para passar uns bons momentos de lazer e de contraponto com o passado. De referir que Fregim é conhecida pela qualidade do seu vinho verde branco e pelos tintos de Ribeira de Cabra, outro curso de água da freguesia.

Sintam-se convidados!

A Minha Terra é uma rubrica do SAPO 24 onde os leitores são desafiados a escrever sobre o sítio onde vivem, as suas particularidades, desafios e mais-valias. Está interessado/a em participar? Envie o seu texto para 24@sapo.pt» in http://24.sapo.pt/vida/artigos/fregim-nobre-freguesia

F.C. do Porto - Dia 13 de dezembro de 1987, Estádio Nacional, em Tóquio: Fernando Gomes, o melhor marcador de todos os tempos dos Dragões, e Lima Pereira levantavam a Taça Intercontinental (e a secundária Taça Toyota, oferecida pelo patrocinador).



«GOMES E LIMA PEREIRA VOLTARAM A LEVANTAR A TAÇA

Exatamente 30 anos depois da conquista da Intercontinental, os capitães recordaram o jogo, cujo resumo pode rever aqui.

Dia 13 de dezembro de 1987, Estádio Nacional, em Tóquio: Fernando Gomes, o melhor marcador de todos os tempos dos Dragões, e Lima Pereira levantavam a Taça Intercontinental (e a secundária Taça Toyota, oferecida pelo patrocinador). Os ex-jogadores, que continuam ligados ao FC Porto, voltaram a erguer o troféu, no Museu, para celebrar os 30 anos da vitória por 2-1 frente ao Peñarol, após prolongamento (veja em baixo o vídeo com os golos de Gomes e Madjer). O FC Porto tornou-se o primeiro clube português a sagrar-se campeão do mundo (um título reconhecido oficialmente pela FIFA em outubro de 2017) e continua a ser o único, estatuto entretanto reforçado com novo triunfo, em 2004.

“Tornámos o FC Porto imortal”, declarou ao www.fcporto.pt e Porto Canal o Bibota de Ouro, que, tal como Lima Pereira, tinha falhado a final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, frente ao Bayern de Munique, em Viena, que permitiu a disputa da Intercontinental com o vencedor da Taça dos Libertadores da América. O jogo foi disputado em circunstâncias quase impensáveis, debaixo de um forte nevão, e, se é possível falar em heróis no futebol, os vencedores desta partida enquadram-se certamente nesta categoria. “Era um ambiente adverso, mas tivemos de lutar para conseguir mais um troféu”, frisa Lima Pereira.

No entanto, ambos reconheceram que, no momento, talvez não se tenham apercebido da dimensão do feito e do seu carater épico. Quem esteve acordado de madrugada, em Portugal, para o ver o jogo em direto, nunca mais o esqueceu. Depois, a lenda da partida de Tóquio cresceu como uma bola de neve entre as gerações seguintes.

“Naquele momento não havia calor humano, bem pelo contrário. Estava muito frio, as pessoas não batiam palmas. Isso tirou algum brilhantismo, mas o que contou e conta agora é que foi a primeira vez que um clube português venceu aquela taça. Somos bicampeões do mundo, em Portugal não há igual e sentimo-nos privilegiados por fazer parte daquela equipa”, comenta Gomes.

O antigo avançado recordou até os anteriores fracassos portugueses na prova, precisamente frente ao Peñarol, em 1961, e frente ao Santos, no ano seguinte. “À nossa maneira, acabamos por vingar a derrota do Benfica, que depois viria a perder também com o Santos, em duas mãos”, detalhou. A equipa uruguaia demonstrava até “uma certa arrogância”: “Aquele jogo é o expoente máximo para os sul-americanos, que jogam tudo ali. Nós estamos mais ligados à Liga dos Campeões, mas apesar de ficarmos no mesmo hotel nunca houve confrontos”.

A equipa azul e branca, em que pontificavam ainda nomes míticos como Mlynarczyk, João Pinto, André e Madjer, era um misto de “jogadores experientes e alguns jovens”, como Rui Barros. “Sobretudo havia ali espírito de união, para além da qualidade técnica. Era uma equipa na verdadeira aceção da palavra”, analisa Fernando Gomes.

A Taça Intercontinental original está exposta no Museu, isto depois de o FC Porto ter vencido a última edição, frente ao Once Caldas, em 2004. O carro atribuído a Madjer por ter sido considerado o melhor jogador desta final está exposto na FC Porto Store, na entrada do Museu, em cujo Auditório Fernando Sardoeira Pinto é projetado esta quarta-feira o jogo, às 11h00 e 15h00, com entrada livre.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Fernando-Gomes-e-Lima-Pereira-30-anos-Taca-Intercontinental-1987.aspx


(POR) Porto 2 - 1 Peñarol (URU)

F.C. do Porto Comunicado - Tal como foi informado a 23 de junho de 2017, o FC Porto recebeu há alguns meses um conjunto de emails relacionados com o Benfica, que entregou à Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária.



«COMUNICADO

Tal como foi informado a 23 de junho de 2017, o FC Porto recebeu há alguns meses um conjunto de emails relacionados com o Benfica, que entregou à Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária.

Uma parte desses documentos, dado o seu interesse público evidente, foi divulgada no programa Universo Porto da Bancada, do Porto Canal, com as restrições inerentes à vida íntima das pessoas que a rede de influências do Benfica tentou capturar. O FC Porto desconhece e é completamente alheio a qualquer outra forma de difusão desses ficheiros.

O FC Porto continuará a revelar tudo o que considerar de interesse para o combate pela verdade desportiva, sempre através do Porto Canal.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Comunicado-121217.aspx

F.C. do Porto Bilhar - O FC Porto empatou (2-2) frente ao Leça, na noite desta segunda-feira, na segunda jornada da zona Norte do Campeonato Nacional de bilhar às três tabelas.



«EMPATE EM LEÇA NA SEGUNDA JORNADA DO NACIONAL

Equipa de bilhar às três tabelas está no segundo lugar da zona Norte, a par dos leceiros.

O FC Porto empatou (2-2) frente ao Leça, na noite desta segunda-feira, na segunda jornada da zona Norte do Campeonato Nacional de bilhar às três tabelas. Com este empate, a equipa está agora no segundo lugar da classificação, com cinco pontos, precisamente os mesmos do Leça – adversário que já tinha eliminado os Dragões nas meias-finais do Torneio de Abertura – e menos um do que o líder Leixões.

No salão do Leça, Fernando Cunha bateu Vítor Fernandes (40-30, em 45 entradas) e João Ferreira (na foto, à esquerda, ao lado de Rui Manuel Costa) superiorizou-se a Pedro Pais (40-27, em 40 entradas). Em sentido oposto, Santos Oliveira foi derrotado por José Escudeiro (36-40, em 45 entradas) e Rui Manuel Costa por João Gomes (31-40, em 43 entradas). 

Na terceira jornada, os azuis e brancos recebem na Academia de Bilhar do Estádio do Dragão precisamente o Leixões, a 22 de dezembro, às 21h30.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/bilhar-empate-leca.aspx

12/12/17

Amarante Mancelos - Efeitos da tempestade "Ana" no Adro e no cemitério da Igreja Românica de Mancelos!






(Fotografias amavelmente cedidas pelo meu Amigo de Mancelos, Jorge Osvaldo Mendes)

Política de Educação - A dias do arranque de um braço-de-ferro entre o ministério e os sindicatos, o Conselho Nacional da Educação diz que os professores não se sentem reconhecidos nem pela sociedade nem na escola.



«Educação. O retrato dos professores portugueses

A dias do arranque de um braço-de-ferro entre o ministério e os sindicatos, o Conselho Nacional da Educação diz que os professores não se sentem reconhecidos nem pela sociedade nem na escola. Relatório anual diz ainda que os docentes portugueses “são os que mais acusam excesso de trabalho”. 

Ao contrário do que entende o ministro, que quer aumentar a formação contínua dos professores, os docentes portugueses têm “elevada” qualificação, são experientes e são dos que têm “mais horas de trabalho por semana”. Mas tudo isto não lhes garante reconhecimento tanto no local de trabalho como pela sociedade. Bem pelo contrário. Cerca de 26% dos docentes dizem nunca serem “reconhecidos” e 48% sentem-se “pouco respeitados pela sociedade”.    

Este é o retrato geral dos professores do básico e secundário traçado pelo último relatório do Estado da Educação 2016 do Conselho Nacional de Educação (CNE), que é hoje divulgado - o primeiro assinado pela recém-empossada Maria Emília Santos.

Todos os professores ouvidos pelo i revêem-se neste perfil e alertam que estes são sentimentos que têm vindo a agudizar nos últimos anos. 

De acordo com o relatório, os professores portugueses “são os que mais acusam excesso de trabalho” com uma carga semanal “acima de 40 horas”. Mais do que os docentes dinamarqueses, irlandeses, polacos ou espanhóis. Mas este é apenas um dos motivos para que os professores se sintam “desmotivados e desgostosos” sendo um sentimento “muitas vezes provocado pelo próprio governo”, remata o presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), Manuel Pereira. Reclamam, por isso, que o governo envie “com a máxima urgência sinais positivos para dentro das escolas”, alerta Manuel Pereira. 

“O não reconhecimento é uma realidade”, sustenta ainda o professor Paulo Guinote. 

No relatório do CNE lê-se que há três variáveis “cruciais” para que os docentes se sintam reconhecidos: “Sentir que os alunos aprendem e que fazem a diferença, ter um bom relacionamento com os alunos e conseguir controlar o comportamento em sala de aula”. 

Mas os docentes ouvidos pelo i apontam ainda que o descontentamento na classe tem também razões salariais tendo em conta que “há quase dez anos que têm as carreiras congeladas e há professores com quase 20 anos de serviço que estão no início de carreira”, sublinha Manuel Pereira. Mas também, continua o diretor, pelas “várias e sucessivas alterações feitas aos concursos e aos currículos. Há metas que vão sendo definidas nas costas dos professores”. 

Os professores não vêem num horizonte próximo melhorias na sua carreira.

Por tudo isto avisam em uníssono: “Há uma boa parte dos professores que não obstante serem altamente qualificados se pudessem encontrar outra profissão, mesmo gostando desta, provavelmente saíam”. 

Este é o estado dos professores a dias do arranque de uma negociação entre os sindicatos e o ministério de Tiago Brandão Rodrigues - começa dia 15 - que promete ser um duro braço de ferro: o descongelamento das carreiras. Será esta a primeira prova de fogo do ministro desde que tomou posse.  

Com o descongelamento das carreiras para toda a função pública a partir de janeiro de 2018, os professores exigem que os nove anos e quatro meses em que viram estagnada a sua progressão e salários sejam contabilizados para efeitos de  carreira. O que não é intenção do governo. 

Caso os professores não vejam contabilizados os nove anos e quatro meses na sua carreira os sindicatos já prometeram voltar às ruas em força sem “verem melhorias na sua carreira num horizonte próximo”, sublinha Manuel Pereira.

Formação dos professores A “elevada” formação dos professores é outro dos pontos focados no relatório. De acordo com o documento “a vasta maioria” dos alunos do 1.º ciclo (do 1.º ao 4.º ano) são ensinados por docentes com grau de licenciatura e, nestes anos de escolaridade, há 7% com formação a nível de mestrado ou doutoramento. Cenário semelhante acontece entre os professores dos restantes anos de escolaridade sendo que do 7.º ao 12.º ano há 20% de docentes com mestrado ou doutoramento. A somar à sua formação académica há 80% de docentes que dizem “ter tido formação ao nível dos conteúdos e currículo”.  

Ainda assim, em outubro, o Ministério da Educação anunciou que vai avançar com um reforço à formação de professores. Isto porque os alunos dos 2.º, 5.º e 8.ºanos de escolaridades apresentaram fracas notas nas provas de aferição. 

Corpo docente envelhecido Outro alerta lançado no relatório passa pelo envelhecimento do corpo docente. Em 2015, “39% dos professores tinha mais de 50 anos” o que não só facilita questões de indisciplina dentro das salas de aula como também problemas na renovação do corpo docente. Esta é, aliás, uma das questões que o relatório diz ser necessário acompanhar com “muita atenção”. 

Desde 2013 que o anterior governo lançou concursos extraordinários que permitem a entrada de contratados nos quados do ministério. No entanto têm sido firmados critérios para estes concursos  - chamados vinculações extraordinárias - que permitem a passagem aos quadros de docentes com muitos anos de carreias. “Todos estamos mais envelhecidos e os que entraram agora para os quadros raramente são novos. É residual o número de professores que entra abaixo dos 40 anos”, avisa Paulo Guinote. 

 “Os professores apresentam uma média de 23 anos de serviço, sinalizando estabilidade, mas também uma tendência para o envelhecimento do corpo docente”, alerta o documento do Conselho Nacional da Educação. 

Sobre a “excessiva” carga burocrática dos docentes, Paulo Guinote diz que “numa era digital nada justifica”. O professor explicou ainda que “as escolas têm  trabalho duplicado”. Isto porque “quando temos de justificar uma nota, quando temos uma inspeção temos de ter todos os registos em papel e em formato digital”. Além disso, “a cada nova ideia ou medida do ministério não se subtrai nada ao que existia e adiciona-se trabalho”, remata. 

Questionado pelo i sobre estes indicadores, o Ministério da Educação não  prestou qualquer esclarecimento até à hora de fecho desta edição.» in https://sol.sapo.pt/artigo/591997

F.C. do Porto - Foi a 12 de dezembro de 2004 que os Dragões bateram o Once Caldas no desempate por grandes penalidades, sendo o único clube em Portugal que pode orgulhar-se de ter duas Taças Intercontinentais.



«O FC PORTO SAGROU-SE BICAMPEÃO MUNDIAL DE CLUBES HÁ 13 ANOS

Foi a 12 de dezembro de 2004 que os Dragões bateram o Once Caldas no desempate por grandes penalidades.

Só há um clube em Portugal que pode orgulhar-se de ter a Taça Intercontinental no respetivo museu: o FC Porto. E pode orgulhar-se a dobrar, pois conquistou o troféu em causa por duas vezes, primeiro em 1987 e depois em 2004. Ora, esta terça-feira, dia 12 de dezembro, cumprem-se 13 anos desde que o FC Porto se sagrou bicampeão mundial de clubes.

E sim, o FC Porto é bicampeão mundial de clubes, uma vez que, em outubro deste ano, a FIFA passou a reconhecer oficialmente todos os vencedores da Taça Intercontinental como campeões do mundo de clubes. A 12 de dezembro de 2004, na qualidade de campeão europeu em título, o FC Porto defrontou os colombianos do Once Caldas no Estádio Internacional de Yokohama, no Japão.

Depois de um arreliador 0-0 durante os 90 minutos e prolongamento, pese embora as muitas oportunidades de golo criadas pelas Dragões, a decisão quanto ao vencedor do troféu chegou da marca de grande penalidade. Já se sabe que a lotaria pode sair a qualquer um, mas também exige competência: o FC Porto foi o feliz contemplado, com um 8-7 selado por Pedro Emanuel, pouco depois daquele olhar que nenhum portista esquecerá.

Esta foi a equipa do FC Porto: Vítor Baía (Nuno Espírito Santo, 102m); Seitaridis, Jorge Costa, Pedro Emanuel e Ricardo Costa; Costinha, Maniche e Diego; Derlei (Carlos Alberto, 70m), McCarthy e Luís Fabiano (Quaresma, 78m).» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Ha-13-anos-o-FC-Porto-sagrou-se-bicampeao-mundial-de-clubes.aspx


(Porto FC 0-0 Once Caldas (Pen. 8-7) | Copa Intercontinental 2004)

Portugal Turismo - Portugal venceu hoje o prémio de Melhor Destino Turístico do Mundo nos World Travel Awards, tornando-se o primeiro país europeu a conquistar esta distinção ao derrotar concorrentes como o Brasil, Grécia, Maldivas, EUA, Marrocos, Vietname ou Espanha.



«Portugal eleito o melhor destino turístico do mundo

Portugal venceu o prémio de Melhor Destino Turístico do Mundo nos World Travel Awards, tornando-se o primeiro país europeu a conquistar esta distinção. Lisboa foi considerada o "Melhor Destino para City Break" e a Madeira "o Melhor Destino Insular". No total o país conquistou este ano seis “óscares” do turismo

Portugal venceu hoje o prémio de Melhor Destino Turístico do Mundo nos World Travel Awards, tornando-se o primeiro país europeu a conquistar esta distinção ao derrotar concorrentes como o Brasil, Grécia, Maldivas, EUA, Marrocos, Vietname ou Espanha.

Na final dos WTA 2017 - que decorreu hoje em Phu Quoc, no Vietname - também a cidade de Lisboa saiu vencedora ao conquistar, pela primeira vez, o prémio de 'Melhor Destino para 'City Break' do Mundo', atribuída "pela sua atratividade e oferta de excelência no que respeita a estadias de curta duração".

Já a Parques de Sintra - uma empresa de capitais públicos que não recebe financiamento do Orçamento de Estado - venceu pelo quinto ano consecutivo na categoria 'Melhor Empresa do Mundo em Conservação', onde voltou a ser única nomeada europeia e foi distinguida pelo trabalho de recuperação e restauro dos parques e monumentos sob sua gestão.

Portugal passou a integrar a lista de 17 candidatos a 'Melhor Destino Turístico do Mundo' na final dos World Travel Awards 2017 depois de, em setembro, ter ganhado o prémio de 'Melhor Destino Europeu', tendo disputado o primeiro lugar na final de hoje com países como o Brasil, Grécia, Maldivas, EUA, Marrocos, Vietname ou Espanha, entre outros.

Considerando tratar-se de um "momento único para o turismo em Portugal", a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, afirmou ser o "reconhecimento do trabalho que tem sido desenvolvido ao longo dos anos por todos os que estão de alguma forma ligados ao turismo".

"Mas é igualmente o reconhecimento pelo país que temos. Um país autêntico, inovador, que se soube reinventar, que reúne uma grande variedade de experiências e paisagens, um país que junta cosmopolitismo, história, tradição, sol, natureza e gastronomia. Um país que sabe e que gosta de acolher todos", sustentou Ana Mendes Godinho.

Descrevendo Portugal como "um destino turístico de excelência", a governante diz ser agora preciso "continuar este trabalho de mostrar toda a diversidade do que Portugal tem para oferecer".

Para além do prémio de 'Melhor Destino Turístico do Mundo', Portugal conquistou ainda as distinções de 'Melhor Organismo Oficial de Turismo do Mundo', atribuída ao Turismo de Portugal, e de 'Melhor Site Oficial de Turismo', atribuída ao portal oficial de informação sobre o país, o 'visitportugal.com'.

Salientando que esta é a primeira vez "em dez anos de história" que o Turismo de Portugal é reconhecido "com prémios de âmbito global", o presidente deste organismo, Luís Araújo, considera que ver "a estratégia turística distinguida" dá "uma motivação acrescida na persecução dos objetivos até 2027, para afirmar Portugal enquanto destino turístico de excelência".

Criados em 1993, os World Travel Awards reconhecem o trabalho desenvolvido na área da indústria turística a nível global, de modo a estimular a competitividade e a qualidade do turismo, sendo a seleção dos nomeados realizada anualmente à escala mundial pelo público em geral e por mais de 200 mil profissionais de turismo oriundos de 160 países.

Os nomeados para a grande final do prémio são os vencedores das galas regionais, aos quais se juntam outros nomeados pelo próprio WTA.

Portugal conquistou este ano 6 “óscares” do Turismo, mais quatro do que os conquistados na cerimónia do ano passado.» in http://expresso.sapo.pt/sociedade/2017-12-10-Portugal-eleito-o-melhor-destino-turistico-do-mundo

F.C. do Porto Basquetebol - Will Hanley é o jogador mais valioso (MVP) da décima jornada da Liga portuguesa de basquetebol, que terminou no domingo.



«WILL HANLEY É O MVP DA DÉCIMA JORNADA DA LIGA DE BASQUETEBOL

Poste norte-americano ficou a uma assistência de assinar um triplo-duplo frente ao Eléctrico.

Will Hanley é o jogador mais valioso (MVP) da décima jornada da Liga portuguesa de basquetebol, que terminou no domingo. No sábado, o poste conseguiu números fantásticos na receção ao Eléctrico (116-60): 12 pontos, dez ressaltos, nove assistências, três roubos de bola, um desarme de lançamento e quatro faltas provocadas. Esta prestação valeu-lhe 33.5 pontos de valorização.

O norte-americano – que foi considerado MVP pela segunda vez esta época, depois do jogo em casa com o Galitos – ficou assim muito perto de um raríssimo triplo-duplo.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/basquetebol-will-hanley-e-o-mvp-da-decima-jornada-da-liga-de-basquetebol.aspx

11/12/17

Liga dos Campeões - O sorteio dos oitavos de final da Liga dos Campeões realizado esta segunda-feira em Nyon, na Suíça, ditou que o Liverpool será o adversário do FC Porto nos oitavos de final.



«LIVERPOOL É O ADVERSÁRIO NOS “OITAVOS” DA CHAMPIONS

Primeira mão joga-se no Estádio do Dragão, a 14 de fevereiro, e a segunda em Anfield Road​​​​​​​​​, a 6 de março.

O sorteio dos oitavos de final da Liga dos Campeões realizado esta segunda-feira em Nyon, na Suíça, ditou que o Liverpool será o adversário do FC Porto nos oitavos de final. Os azuis e brancos, que estão pela 13.ª vez na fase a eliminar da prova​, jogarão a primeira mão no Estádio do Dragão a 14 de fevereiro de 2018 e a segunda em Anfield Road a 6 de março.

Cinco vezes campeões europeus, a última das quais em 2004/05, os reds foram os primeiros classicados do Grupo E, com 12 pontos somados à custa de três vitórias e outros tantos empates. Foram ainda a segunda equipa mais concretizadora da fase de grupos (23 golos, menos dois do que o Paris-Saint Germain), tendo sofrido seis golos.

FC Porto e Liverpool já se cruzaram por quatro vezes nas competições europeias, tendo-se registado dois empates e duas vitórias dos britânicos. Em 2007/08, encontraram-se na fase de grupos da Champions: no Dragão, o jogo terminou com um empate (1-1) e em Liverpool, o resultado foi a favor dos anfitriões (4-1).

O encontro anterior foi relativo aos quartos de final da edição 2000/01 da Taça UEFA/Liga Europa: na primeira-mão, disputada no Estádio das Antas, ninguém marcou golos (0-0); na segunda, em Anfield, os ingleses levaram a melhor (2-0).» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/sorteio-ucl-oitavos-de-final.aspx

F.C. do Porto Natação - A equipa de estafeta júnior do FC Porto esteve em destaque nos Nacionais de piscina curta, ao vencer nas categorias 4x50, 4x100 e 4x200 metros livres.



«ESTAFETA JÚNIOR FOI TRICAMPEÃ NACIONAL

Nacionais de piscina curta decorreram no passado fim de semana, no Porto.

A equipa de estafeta júnior do FC Porto esteve em destaque nos Nacionais de piscina curta, ao vencer nas categorias 4x50, 4x100 e 4x200 metros livres. No clube Fluvial Portuense, na cidade Invicta, a formação vencedora (na foto) foi constituída pelas nadadoras Mariana Barbosa, Ana Ramos, Beatriz Silva e Maria Costa. Individualmente, Mariana Barbosa conseguiu também a medalha de prata nos 200 metros mariposa, com o tempo de 2m19,35s.

Nos masculinos, importa realçar as medalhas de prata dos juniores João Sousa, nos 50 e 100 metros mariposa, de Pedro Santos, nos 200 metros livres, e as medalhas de bronze do senior Rafael Lino, nos 50 e 100 metros mariposa.

De referir ainda que dos 13 nadadores azuis e brancos, 12 deles somaram 44 recordes pessoais, revelando um claro progresso, rumo aos aliciantes desafios da próxima primavera, mas em piscina olímpica (50 metros).

Em prova durante o fim de semana estiveram 402 nadadores de ambos os sexos, naquele que foi o encerramento da época de piscina curta e do primeiro macro ciclo da modalidade.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Estafeta-J%C3%BAnior-foi-tricampe%C3%A3-Nacional.aspx

F.C. do Porto Boxe - Quatro atletas do FC Porto saíram com medalhas da Odivelas Box Cup, que decorreu entre sexta-feira e domingo, no Multiusos da cidade.



«QUATRO MEDALHADOS NA ODIVELAS BOX CUP

Ouro para Sara Pinto e Fábio Silva, prata para o sénior Pedro Ribeiro e bronze para Daniel Rodrigues.

Quatro atletas do FC Porto saíram com medalhas da Odivelas Box Cup, que decorreu entre sexta-feira e domingo, no Multiusos da cidade. O sénior Pedro Ribeiro ficou com a prata na categoria de 64 quilos, os juniores Sara Pinto (60 quilos) e Daniel Rodrigues (64 quilos) arrecadaram ouro e bronze, respetivamente, e o cadete Fábio Silva sagrou-se vencedor na categoria de 56 quilos.

Esta foi a quinta edição da Odivelas Box Cup, um torneio de boxe olímpico em que marcaram presença 250 atletas, em representação de 15 países, divididos por seis escalões. É considerado o maior evento da modalidade em Portugal.» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/boxe-quatro-medalhados-na-odivelas-box-cup.aspx

Liga NOS: Setúbal 0 vs F.C. do Porto 5 - O FC Porto reassumiu a liderança da Liga NOS, após vencer de forma clara o Vitória de Setúbal, numa noite de domingo marcada pelas condições climatéricas muito adversas para a prática futebolística.



«ATAQUE À PROVA DE TEMPESTADE

FC Porto retomou a liderança do campeonato ao vencer no Bonfim, por 5-0, com um hat-trick de Aboubakar.

O FC Porto reassumiu a liderança da Liga NOS, após vencer de forma clara o Vitória de Setúbal, por 5-0, numa noite de domingo marcada pelas condições climatéricas muito adversas para a prática futebolística. Além dos golos de Aboubakar (3) e Marega (2), que deram expressão ao marcador e deixam os portistas com 36 pontos (os mesmos do Sporting), o clima foi mesmo um dos obstáculos maiores para as duas equipas, que se viram obrigadas a lidar com a muita chuva e sobretudo com o muito vento que se fez sentir na região de Setúbal e que fustiga grande parte do território nacional.

À parte isso, o primeiro tempo da equipa portista acabou por tornar fácil uma vitória no Bonfim, que habitualmente o Setúbal vende cara. E esta noite até foi a equipa da casa a dar o primeiro sinal, com Edinho a desperdiçar a melhor chance em todo o encontro logo aos dois minutos: o remate saiu fraco, fácil para José Sá. A partir daí, o Dragão acordou e começou a impor o seu futebol, dificultado nos primeiros minutos pela barreira de cinco defesas montada por José Couceiro.

A noite inspirada de Aboubakar começou a ser desenhada cedo. Quatro minutos e o camaronês fez a primeira tentativa abrir o marcador, de cabeça, a mesma com que voltou a tentar aos 12 e a mesma com que inaugurou a contagem aos 31. Servido por Alex Telles (sexta assistência do lateral no campeonato), que minutos antes esteve muito perto de marcar um golo olímpico, o camaronês acabou por fazer o que ele próprio tinha oferecido a Brahimi minutos antes (23m): o golo inaugural da partida. Aberto o marcador, a maior qualidade portista veio ao de cima e, mesmo em velocidade de cruzeiro, os números foram-se avolumando.

Aos 40 minutos quis o destino que Marega estivesse no sítio certo para tocar para o fundo da baliza após uma bola rematada por Maxi ao poste, na sequência de uma boa defesa de Cristiano a uma primeira tentativa de Aboubakar. Para o camaronês haveriam de estar reservados mais dois momentos: o primeiro a fechar a primeira parte, ao cobrar uma grande penalidade que o próprio sofreu (45+4), e o segundo, já na segunda parte, ao emendar com sucesso um lance muito bem imaginado por Marega.

Mais dois golos acabaram por ser o maior destaque de toda a segunda parte, disputada a um ritmo e intensidade mais baixos. Mas nisto de ritmos e velocidade já sabemos que Marega não tem meias medidas. No último pique do jogo, o maliano aproveitou bem um corte defeituoso e arrancou em direção à baliza sem dar hipótese à concorrência. Para tornar tudo mais bonito, finalizou com classe após a saída de Cristiano, fechando assim com nota artística mais uma goleada portista. Ultrapassado o capítulo de Setúbal, segue-se a Taça de Portugal, com o Vitória de Guimarães a visitar o Dragão já na quinta-feira, na disputa de um lugar nos quartos de final.

VER FICHA DE JOGO» in 
http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/2017%20-%202018/ataque-a-prova-de-tempestade-12-10-2017.aspx


(HD| RESUMO - V. SETUBAL 0-5 FC PORTO - LIGA NOS - SPORTALIOS)

10/12/17

Acidentes - Uma mulher do Marco de Canaveses que seguia sozinha, com 49 anos de idade, despistou-se, devido a um deslizamento de terras, e, ao sair do carro para resolver a situação, foi atingida por uma árvore, apurou o Observador junto de fonte oficial da GNR.



«Queda de árvore mata mulher de 49 anos em Marco de Canaveses

Dois carros foram atingidos por uma árvore que caiu devido ao mau tempo. Uma mulher, com 49 anos, morreu ao ser atingida pela árvore. Era natural do Marco de Canaveses, apurou o Observador.

Dois carros foram atingidos por uma árvore que caiu devido ao mau tempo, em Marco de Canaveses. Uma mulher, que seguia sozinha, com 49 anos de idade, despistou-se, devido a um deslizamento de terras, e, ao sair do carro para resolver a situação, foi atingida por uma árvore, apurou o Observador junto de fonte oficial da GNR.

A mulher era natural do Marco de Canaveses, apurou o Observador junto do Comandante Sérgio Silva, dos Bombeiros Voluntários de Marco de Canaveses.

O alerta foi dado ao 112 pelas 17h15. O acidente ocorrido por volta das 17h00.

Além da vítima mortal, há mais dois feridos ligeiros, que seguiam num outro carro. Estes feridos estão no Hospital de Penafiel sob observação.

A estrada nacional 211, onde ocorreu o acidente, continua encerrada, informou a fonte dos Bombeiros e da GNR.

Às 18h25 encontravam-se no local 26 operacionais, com 10 viaturas, e uma equipa de psicólogos para apoiar os familiares da vítima, avança a Lusa.» in http://observador.pt/2017/12/10/queda-de-arvore-faz-um-morto-em-marco-de-canaveses/

Ledman LigaPro: F.C. do Porto B 1 vs Guimarães B - O FC Porto B bateu este domingo o Vitória de Guimarães B pela margem mínima, no Estádio de Pedroso, em jogo referente à 16.ª jornada da Ledman LigaPro, na qual os azuis e brancos seguem na terceira posição, com 28 pontos.



«“BÊS” BATEM VITÓRIA DE GUIMARÃES B

André Pereira apontou o golo do triunfo portista (1-0) na 16.ª jornada da Ledman LigaPro.

O FC Porto B bateu este domingo o Vitória de Guimarães B (1-0), no Estádio de Pedroso, em jogo referente à 16.ª jornada da Ledman LigaPro, na qual os azuis e brancos seguem na terceira posição, com 28 pontos. Os Dragões voltam a entrar em campo no dia 16 de dezembro (sábado), em casa do Sporting de Braga B, na 17.ª ronda. O encontro no Estádio 1.º de Maio, em Braga, arranca às 15h00.

A primeira parte do duelo entre as equipas B de FC Porto e Vitória de Guimarães esteve longe de ser um grande espetáculo, mas a realidade é que as condições climatéricas extremamente adversas também não ajudaram. Apesar do maior ascendente portista, foi difícil encontrar caminhos para qualquer uma das balizas, pelo que o nulo se arrastou sem surpresa até ao intervalo.

Houve mais espaço para jogar na etapa complementar e o domínio azul e branco foi-se acentuando com o passar do tempo, até que André Pereira deu finalmente vantagem ao FC Porto B. Galeno fez o que quis de Falaye Sacko no flanco esquerdo e serviu o avançado portista que, à segunda, atirou a contar para o 1-0, estabelecendo aquele que viria a ser o resultado final (75m).

“Não é fácil jogar nestas condições e os treinadores ainda não conseguem preparar este tipo de coisas. Foi um jogo muito difícil, mas estou muito contente pela vitória e pela atitude dos meus jogadores, que se mantiveram fiéis às nossas ideias de jogo. Conquistámos os três pontos e só posso estar satisfeito por isso. Foi uma vitória difícil mas justa, frente a um adversário que tem mais qualidade do que a classificação reflete”, afirmou António Folha, no final da partida, em declarações ao Porto Canal.

FICHA DE JOGO

FC PORTO B-VITÓRIA DE GUIMARÃES B, 1-0
Ledman LigaPro, 16.ª jornada
10 de dezembro de 2017
Estádio de Pedroso, em Vila Nova de Gaia

Árbitro: Daniel Cardoso
Assistentes: Tiago Mota e João Ricardo Silva
Quarto árbitro: Rui Licínio

FC PORTO B: Diogo Costa; Musa Yahaya, Jorge Fernandes, Diogo Leite e Diogo Dalot; Luizão, Rui Moreira (cap.) e Fede Varela; Bruno Costa, Galeno e André Pereira
Substituições: Luizão por Rui Pires (88m), Musa Yahaya por Diogo Queirós (90m+1) e André Pereira por Santiago irala (90m+3)
Não utilizados: Mouhamed Mbaye, Chikhaoui, Madi Queta e Anderson
Treinador: António Folha

VITÓRIA DE GUIMARÃES B: Miguel Oliveira; Falaye Sacko, Ricardo Carvalho, Dénis Duarte (cap.) e David Luís; Joseph Amoah, Haashim Domingo, Tiago Castro e Rúben Oliveira; Artur Abreu e Pedro Raúl
Substituições: Joseph Amoah por Cafú Phete (53m), Rúben Oliveira por João Correia (69m) e Falaye Sacko por Jacques Haman (82m)
Não utilizados: André Costa, Mimito Biai, Rui Gomes e Bence Biró
Treinador: Vítor Campelos

Ao intervalo: 0-0
Marcadores: André Pereira (75m)

Disciplina: cartão amarelo para Joseph Amoah (39m), Bruno Costa (50m), David Luís (79m), Rui Pires (90m+5), Artur Abreu (90m+6)» in http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/FC-Porto-B-Vitoria-SC-B-16a-jor-Ledman-LigaPro-1718.aspx
Pin It button on image hover